TOP 6 ARTISTAS MULHERES IMPRESSIONISTAS PARTE 2

EVA GONZALÈS (1849 A 1883) Como outras aspirantes a artistas na França do século 19, Gonzalès foi impedida de frequentar a École des Beaux-Arts, embora sua rica educação lhe permitisse ter aulas particulares. Em 1869, ela conheceu Manet em Paris e se tornou sua  única aluna formal.

Le chignon, 1865-70.

TOP 3

A influência de Manet sobre o trabalho de Eva é evidente nesta tela, com a perspectiva plana e o olhar direto da mulher. Quando se conheceram, Manet criou um retrato de Gonzalès e, em resposta, ela produziu uma série de autorretratos, afirmando sua identidade profissional.

Uma Caixa no Theatre des Italiens , 1874.

Eva morreu aos 34 anos, de embolia pós-parto, tendo atingido seu objetivo de expor no prestigiado Salão de Paris. Em 1885, uma retrospectiva com 90 de suas obras foi realizada no salão da prestigiada revista La Vie Moderne, em Paris.

La Toilette, 1879.

BERTHE MORISOT (1841-1895) Estreou aos 25 anos no Salão de Paris de 1864 e foi a única mulher a participar da 1ª exposição impressionista em 1874. Cunhada de Manet, os dois se influenciaram mutuamente, mas ela seguiu em direções mais ousadas com pinceladas soltas e marcadas.

Marie-Joséphine & Edma, 1869/70.

TOP 2

Nesta obra, Berthe retrata uma mãe olhando para a filha com pouco sentimento, talvez até de tédio ou exaustão. Com a representação do estado mental da mãe, a pintura exemplifica a sensibilidade da artista. Morisot morreu de pneumonia em 1895,  aos 54 anos.

O Jardim de Maurecourt , ca. 1884.

MARY CASSATT (1844–1926) Única americana entre os impressionistas fundadores, Mary veio de uma família abastada de Pittsburgh, que apoiou sua educação formal em artes na Pensilvânia e depois na Europa, depois que a famosa escola da Filadélfia rejeitou seus pedidos de estudar modelos nus.

Bebê apanhando uma maçã, 1892.

TOP 1

Mary aprendeu com mentores acadêmicos como Jean-Léon Gérôme e Édouard Frère. Se estabeleceu em Paris em 1874, onde começou a mostrar seus retratos no salão. Em 1877, Degas a convidou para se apresentar com os impressionistas, e ela participou de quatro  das oito exposições.

Mulher com colar de pérola em um sofá, 1879.

“Nenhuma mulher tem o direito de desenhar assim”, disse Degas ao ver esta tela de Mary de 1891. Ela aceitou o insulto velado, e os dois mantiveram uma amizade, baseada no respeito compartilhado pela composição assimétrica e pelas estampas clássicas japonesas.

Jovem colhendo frutas,  1891-1892.

Mary se sustentou como uma bem-sucedida retratista, tendo se declarado imprópria para o casamento ou a maternidade. Apesar disso, um assunto frequente em suas pinturas era a relação entre mães e filhos. Em suas  palavras, ela queria retratar mulheres como ”temas,  não objetos.”

O passeio de barco de Mary Cassat, 1893-94.

STORIES

MAIS

DESCUBRA 9 ARTISTAS QUE MORRERAM  AOS 20 ANOS

VOCÊ CONHECE O SIMBOLISMO?