DASARTES 53 /

Artes visuais em revista

Nesta edição comemorativa, para a matéria de CAPA, demos voz aos 15 jovens artistas contemporâneos que participam da primeira mostra da Dasartes “Artes Visuais em Revista: A exposição”, em cartaz até 26 de novembro no Espaço Cultural BNDES no Rio de Janeiro. Os artistas falam de suas produções e processo de criação. Leia, entenda e visite a exposição.

Criada em 2008, a revista Dasartes surgiu em um momento especialmente profícuo nas artes visuais no país. Testemunhava-se uma revigoração no circuito brasileiro, que consolidava então novos espaços e plataformas para uma produção que, até aquele momento, basicamente, só dispunha de salões, alguns poucos programas de apoio (importantes, vale ressaltar) e eventos intermitentes. No campo editorial, a Dasartes preencheu uma lacuna sentida há muito tempo, propondo-se como uma revista especializada voltada para o grande público. Amantes da arte que queriam se manter informados de forma prazerosa, sem a necessidade de conhecer de antemão o vocabulário técnico dos periódicos acadêmicos e um passo além do restrito conteúdo dos cadernos culturais, passaram a ter sua própria revista. O sucesso foi imediato e sua circulação rapidamente disparou, alcançando todo o país.

Em 2016, a Dasartes completa oito anos, que permitiram aos seus leitores acompanhar a conformação da linguagem de artistas então em início ou meio de carreira, assim como a emergência de novos talentos de nossa arte contemporânea, hoje internacionalmente reconhecida. Além disso, sempre apoiou iniciativas dedicadas à ampliação e à inovação no meio de arte, sejam institucionais ou individuais. Hoje, tal postura se amplia, com sua presença em diferentes meios digitais.

Esta exposição procura ser, portanto, um perfil, a um só tempo, de sua história, mas, naturalmente, de aspectos da recente produção brasileira nesses anos de existência da revista. Em virtude disso, era mais do que imperativo privilegiar a variedade de linguagens e pesquisas individuais, reafirmando nossa pluralidade. Os artistas convidados representam uma seleção daqueles inúmeros apresentados na revista. Desejamos com esse recorte – afortunadamente destinado a adesões, complementos, questionamentos, alternativas – que ele sirva de impulso para iniciativas semelhantes, vindo a enriquecer ainda mais nossa cultura.

Compartilhar:

Confira outras matérias

Destaque

REN HANG – NUDES

A mostra NUDES, do artista chinês Ren Hang, apresenta um compêndio de 90 obras, sendo uma retrospectiva com os trabalhos …

Alto relevo

NICOLAS DE STAËL

Nicolas de Staël (São Petersburgo, 1914-1955) é um dos artistas mais relevantes do panorama artístico francês desde 1945. A exposição …

Flashback

JAN VAN EYCK

JAN VAN EYCK ESTEVE AQUI

Foi o historiador Gombrich quem disse que “um simples recanto do mundo real fora subitamente fixado …

Alto relevo

J. CARLOS

J. Carlos (1884-1950), como ficou conhecido José Carlos de Brito e Cunha, era carioca de Botafogo, e viveu grande parte …

Do mundo

Félix Fénéon

Nunca é demais reforçar: no mundo da arte, nem tudo é sobre o artista. De fato, a arte moderna parece …

Capa

AUBREY BEARDSLEY

Com pouco mais de seis anos de produção, Aubrey Beardsley não apenas marcou uma época e inseriu seu nome na …

Alto falante

Sim

“Eu preferiria não”
Herman Melville

Sim. São diversas opções. Sim. Existem horários sobrepostos. Sim. Há certa sensação de democratização de acesso. Sim. …

Flashback

JAMES TISSOT

O MODERNO AMBÍGUO

James Tissot nasceu em 1836 e morreu no alvorecer do século 20. Teve uma longa carreira em ambos …

Capa

ALEX KATZ

A aparente simplicidade das pinceladas de Alex Katz pode gerar desinteresse apenas ao olhar desatento. Os grandes blocos de cor, …

Destaque

WOLFGANG TILLMANS

Nascido em 1968, em Remscheid, Alemanha, Tillmans estudou no Poole College of Art e Design, em Bournemouth, Inglaterra. Em 2000, …

Alto relevo

FRANK WALTER

“Nossa coroa já foi comprada e paga. Tudo o que precisamos fazer é usá-la.”
James Baldwin, em uma conversa na televisão, …

Garimpo

JANA EULER

Concebidos nos últimos três anos, os trabalhos da exposição Unform trazem muitas das investigações pictóricas de Euler sobre as inter-relações …

Reflexo

ANA PAULA OLIVEIRA

“Escrever sobre o próprio trabalho sempre é desafiador para mim, difícil encontrar palavras para algo indizível…. proponho aqui algumas reflexões …

Resenhas

O baile urbano e sincrônico de Bettina Pousttchi em Berlim

“Todo objeto, sem exceção, quer seja criado
pela natureza ou pela mão do homem, é um ente
com vida própria que inevitavelmente …

Alto falante

Amor

Elxs acordaram em um tempo cíclico, onde a referência de passado e futuro tinha desaparecido quase instantaneamente. E, mesmo sabendo …