Trabalho de Francis Bacon ‘incrivelmente comovente’ será exibido pela primeira vez no Reino Unido

detalhe de um tríptico de Bacon pintado em 1973 que retornou às imagens de Três figuras em uma sala de 1964. Clique aqui para ver a imagem completa Fotografia: Espólio de Francis Bacon / Todos os direitos reservados / Adagp, Paris, e DACS, Londres, 2019

A última pintura do artista, Study of a Bull, será a principal obra em exibição da Royal Academy of Arts.

Detalhe do estudo de um touro.
 Detalhe do estudo de um touro. Fotografia: Francis Bacon / © The Estate of Francis Bacon / Todos os direitos reservados / Adagp, Paris e DACS, Londres 2019

Uma pintura “incrivelmente comovente” e raramente vista de Francis Bacon, na qual ele reflete sobre sua morte iminente, será exibida pela primeira vez no Reino Unido.

A pintura de 2 metros de altura, Study of a Bull, é a obra final de Bacon e foi produzida no famoso estúdio caótico do artista em South Kensington, Londres, poucos dias antes de sua morte em 1992.

Mostra um touro fugindo da vida para o vazio. “Sentimos que o touro, que poderia ser o artista, está prestes a entrar no escuro logo atrás dele”, disse Michael Peppiatt, amigo e biógrafo de Bacon.

A existência da pintura, no que se tem denominado “uma coleção muito particular”, só se tornou conhecida em 2016. Antes não tinha sido vista, reproduzida, discutida ou escrita publicamente.

Em 2021, será uma exibição estelar em uma nova exposição de Bacon na Royal Academy of Arts de Londres, a primeira a traçar seu desenvolvimento como artista por meio de seu fascínio pelos animais.

Peppiatt, amigo e filho quase substituto por três décadas, lembra-se de ter conversado com Bacon quando ele o pintava. “Foi a última vez que falei com ele”, disse ele.

Ele queria se encontrar, mas Bacon estava relutante. “Ele disse: ‘Eu simplesmente não consigo sair … Não tenho energia.’ Claro, ele era a pessoa mais enérgica que você poderia conhecer, ele tinha uma vitalidade incrível. Eu não percebi que quando ele disse que estava ‘doente, muito doente’ que ele já estava no limite.”

Quinze dias depois, Bacon, considerado um dos maiores pintores do século 20, morreu aos 82 anos.

Francis Bacon em seu estúdio South Kensington em 1980
 Francis Bacon em seu estúdio South Kensington em 1980. Fotografia: Jane Bown / The Observer

A nova mostra, com curadoria de Peppiatt, incluirá 45 pinturas, incluindo algumas das primeiras obras do artista feitas nas décadas de 1930 e 1940.

Bacon teve uma fascinação vitalícia por animais, disse Peppiatt. Ele gostava de observar chimpanzés no zoológico, acompanhou-os em viagens à África do Sul e acumulou uma enorme coleção de livros sobre vida selvagem.

O artista acreditava que podia ver a verdadeira natureza humana, normalmente camuflada, nos animais.

“Ele estava tentando encontrar o instinto básico”, disse Peppiatt. “Bacon queria saber sobre a vida, sobre a morte, sobre o instinto, o medo, a raiva. Acho que ele aprendeu muito sobre a natureza humana com os animais. ”

Bacon passou a produzir algumas das pinturas mais psicologicamente brutais da história da arte.

Os trabalhos em exibição incluirão o Head 1, emprestado pelo Metropolitan Museum of Art de Nova York , no qual ele reduz a forma humana a uma boca que rosna com presas. A pintura teve origem na fotografia de um chimpanzé.

Haverá também dois retratos de “Papas gritando, obras inspiradas pelo retrato do Papa Inocêncio X de Diego Velázquez , em que o poder divino é substituído pelo desamparo de um animal enjaulado.

Um destaque particular será a exibição, em conjunto pela primeira vez, de um trio de pinturas que, segundo os curadores, exploram “os limites entre carne, violência e erotismo, vida e morte”.

Peppiatt, de 21 anos, conheceu Bacon, um dos hedonistas da vida, em Soho em 1963 e eles se tornaram amigos para o resto da vida. “Não sei como sobrevivi”, disse ele.

“Éramos pessoas muito diferentes, mas em poucas palavras fiquei fascinado por ele e ele se tornou muito importante para mim, era uma figura paterna. 

Ele disse que agora era um bom momento para fazer uma exposição de Bacon e que sua arte permanecia notavelmente presciente. “Obviamente, ele não tinha noção dessa doença horrível, mas tinha uma forte noção da solidão da humanidade. Há um sentimento de isolamento muito forte na obra de Bacon, pessoas em suas quatro paredes e espaço fechado.

“Bacon tem uma capacidade extraordinária de ser muito perspicaz sobre o destino da humanidade”.

 Francis Bacon: Homem e Fera estarão nas galerias principais do RA, Londres, 30 de janeiro a 18 de abril de 2021

Compartilhar:
Notícias - 28/10/2020

Em fotografia: como a pandemia ressignificou o cotidiano

Por Milena Buarque Lopes Bandeira (Itáu Cultural)
Com o mundo em suspensão, olhares vacilantes e temerosos voltaram-se para dentro. O silêncio …

Notícias - 23/10/2020

Olafur Eliasson projeta 'nossas perspectivas glaciais' como um instrumento astronômico

Artista Olafur Eliasson revela sua última obra de arte pública permanente, ‘nossas perspectivas glaciais’, ao longo da geleira hochjochferner do …

Notícias - 23/10/2020

Pintura de Klimt roubada - enterrada por 20 anos - volta a ser exibida em museu italiano

Descoberto pelo jardineiro da galeria Ricci Oddi no ano passado, o Retrato de uma Senhora será a estrela de uma …

Notícias - 23/10/2020

Vândalos atacaram 70 obras de arte em museus de Berlim em plena luz do dia

Um líquido oleoso foi derramado sobre muitas obras no que foi considerado o pior ataque à arte e antiguidades na …

Notícias - 23/10/2020

Guerra declarada entre museu e herdeiros de Piet Mondrian para recuperação de pinturas no valor de US$ 200 milhões

Como parte de um esforço contínuo de anos para recuperar os direitos de propriedade de várias pinturas criadas pelo modernista …

Notícias - 23/10/2020

Pintura de Jacob Lawrence, desaparecida há décadas, foi encontrada de forma inusitada

O painel do renomado artista negro, parte de sua série “Struggle”, foi visto pela última vez em 1960. Mas alguém …

Notícias - 21/10/2020

SESC SÃO PAULO EM NOVA ETAPA, RETOMADA GRADUAL CONTEMPLA EXPOSIÇÕES, BIBLIOTECAS E EXIBIÇÃO DE FILMES NO CINESESC

 O anúncio da aguardada Fase Verde, a penúltima e mais branda de uma  escala de cinco etapas do Plano São …

Notícias - 16/10/2020

Instituição coloca à venda pintura de David Hockney em meio a tensões financeiras

Na semana passada, a Royal Opera House de Londres anunciou planos de vender o Retrato de Sir David Webster de …

Notícias - 16/10/2020

Itáu Cultural reabre com mostras de Sandra Cinto e ocupação de Rino Levi

O Itaú Cultural (IC) retomou a partir de terça-feira (13) suas atividades presenciais. Neste momento, o público pode visitar as …

Notícias - 16/10/2020

Marina Abramović terá a primeira obra de arte de realidade mista vendida em leilão

Marina Abramović é uma das artistas contemporâneas mais conhecidas do mundo, mas muito de seu trabalho é efêmero: performances que …

Notícias - 16/10/2020

Juíza anuncia nova decisão sobre caso Inhotim e surpreende

O instituto assinou um acordo em 2016 para doar 20 obras de seu acervo ao governo, a fim de reembolsar …

Notícias - 16/10/2020

Como obras redescobertas de velhos mestres vêm de destacando em leilões com números extraordinários?

A Christie’s realizará seu leilão de Velhos Mestres durante as vendas clássicas da semana na sede do Rockefeller Center. Ao …