Sesc Piracicaba abre 15ª Bienal Naïfs do Brasil

Alma da Estrada, 2018, Thiago Nevs | Foto: Isabella Matheus

Em 28 de novembro, o Sesc São Paulo abre ao público em sua unidade de Piracicaba a 15ª Bienal Naïfs do Brasil. Com curadoria de Ana Avelar e Renata Felinto, a Bienal reúne 125 artistas de 21 estados do país, além do Distrito Federal. A partir do tema Ideias para adiar o fim da arte – uma referência direta ao pensamento do líder indígena, ambientalista e escritor brasileiro Ailton Krenak e ao filósofo e crítico de arte americano Arthur Danto -, a exposição traz 212 obras em suportes diversos. São instalações, pinturas, desenhos, colagens, gravuras, esculturas, bordados, marcheteria e entalhes. Em diálogo com o corpo expositivo, as artistas Carmela Pereira, Leda Catunda, Raquel Trindade e Sonia Gomes integram a mostra a convite das curadoras.

Ana Mae Barbosa e Lélia Coelho Frota, mulheres intelectuais brasileiras que demonstraram em suas pesquisas a preocupação e o cuidado com o entendimento da pessoa artista e de sua produção de forma mais humana e plural, também são reverenciadas no processo curatorial desta 15ª edição da Bienal.

Inicialmente prevista para inaugurar em agosto deste ano, a mostra, que teve sua abertura adiada devido às restrições impostas pela pandemia de Covid-19, poderá ser visitada gratuitamente pelo público de terça a sábado, das 14h às 18h, mediante agendamento prévio pelo site sescsp.org.br/ piracicaba . A permanência máxima na unidade é de 90 minutos e o uso de máscara facial é obrigatório para todas as pessoas durante toda a visita.

A BIENAL

Realizada pelo Sesc São Paulo em Piracicaba desde o início da década de 1990, a Bienal Naïfs é um convite para o público refletir sobre os fazeres populares inventados por artistas. Nesta 15ª edição, a partir do título Ideias para adiar o fim da arte, a mostra traz discussões sobre temas como meio ambiente; o feminino como força social, como divindade e como figura do sagrado; as violências estruturais históricas; os espaços de coletividade e sociabilidade em ritos, festas e cerimônias; e o debate sobre objetualidade e utilidade.

Segundo Danilo Santos de Miranda, Diretor Regional do Sesc São Paulo, “a longeva relação do Sesc com esse universo, que antecede à realização das Bienais Naïfs do Brasil, está ligada ao reconhecimento de que a arte popular merece um espaço condizente com sua relevância. Além disso, essa trajetória colaborou para que a própria instituição alargasse seus horizontes e sua compreensão sobre ação cultural, evidenciando as conexões entre cultura, democracia e cidadania. Cada nova edição impõe desafios sintonizados com contextos cambiantes e suas urgentes questões. Pois o presente é caleidoscópio de temporalidades, onde passados e futuros são disputados – e a arte é uma das principais expressões dessa tão humana condição”.

Manto tropeiro – Um breve olhar do caminho das tropas, 2019, Angeles Paredes e Carmem Kuntz | Foto de Isabella Matheus

A CURADORIA

A partir da seleção feita pelas curadoras Ana Avelar e Renata Felinto – foram inscritas 980 obras, de 520 artistas com idades entre 19 e 87 anos – surgiram eixos temáticos, plurais e diversos, que compõem a mostra. O processo de seleção de trabalhos partiu do critério da representatividade e considerou as regiões de onde provêm e atuam esses artistas, suas declarações étnico-raciais, faixas etárias, os assuntos e as materialidades com as quais trabalham.

“Saltam aos olhos assuntos da maior relevância na imprensa hoje, como é o caso da questão premente da conservação ambiental, em particular no que diz respeito ao desmatamento na Amazônia, tema que há décadas ocupa o centro da política nacional, com negociações frequentes entre governos e órgãos internacionais, acionando avanços e retrocessos no debate ambiental. É também visível a associação da figura feminina à natureza, frequentemente como divindade. Nesse sentido, surgem imagens do sagrado e do fantástico, muitas vezes num amálgama sincrético de linguagens e religiões. As mulheres, aliás, são protagonistas de umas tantas cenas para além dessas fantásticas”, explica Ana Avelar.

“Nosso desejo durante a seleção foi de contemplar várias humanidades, que é a multiplicidade de cores. Nós temos, por exemplo, um grande número de pessoas não brancas participando dessa exposição, e isso é necessário porque é preciso equilibrar dentro das exposições, o número de participantes, as origens, as complexidades das pessoas humanas participantes de acordo com a complexidade da população constitucional brasileira. Temos um grande número de pessoas de povos originários e de pessoas que são consideradas também pretas, ou negras e pardas, de acordo com as categorias oficiais. E isso é muito estimulante porque foi a nossa tentativa de apresentar, na Bienal Näifs do Brasil, uma pluralidade do povo brasileiro”, ressalta Renata Felinto .

A ênfase desta 15ª edição da Bienal Naïfs numa crescente representatividade geográfica, étnico-racial, etária e de gênero, entre outros marcadores sociais, é, segundo a curadoria, uma maneira de estar à altura desse panorama. Os artistas naïfs constituem parte importante de tal questionamento, expandindo e relativizando os pontos de vista presentes na arte, campo tradicionalmente atrelado a distinções de classe. Maior diversidade de vozes e, portanto, de formas e cores, de assuntos e aproximações.

Comadre Fulosinha da a luz depois de degolar o caçador que a engravidou, 2019, Eriberto de Almeida Chagas | Foto: Isabella Matheus

Compartilhar:
Notícias - 12/08/2022

ArtRio 2022 apresenta artistas e curador do programa SOLO

A ArtRio 2022 terá esse ano 11ª edição do programa SOLO. Trazendo projetos expositivos originais dedicados a um único artista, …

Notícias - 12/08/2022

Esquema de extorsão envolvendo a família Boghici choca o mundo da arte

O mundo da arte está atônito com a revelação do esquema de extorsão montado por Sabine Boghici, estrela de uma …

Notícias - 09/08/2022

Olafur Eliasson cria impressionante pavilhão de degustação para vinícola na Califórnia

O artista e arquiteto islandês-dinamarquês Sebastian Behmann projetou um pavilhão caleidoscópico para o Donum Estate, um dos principais produtores do …

Notícias - 09/08/2022

Brasileira recebe prêmio internacional de fotografia

A brasileira Verônica Alkmim França é a responsável por uma das 20 imagens vencedoras do British Journal of Photography’s FEMALE …

Notícias - 09/08/2022

Orgia artística de Hermann Nitsch é apresentada na Áustria

O Castelo Prinzendorf em Mistelbach, Baixa Áustria, local idílico do Orgien-Mysterien-Theater de Hermann Nitsch, é um lugar de intenso “ser”. …

Notícias - 09/08/2022

Oferendas de Arte de Jeff Koons a Apolo, Deus do Sol, são expostas em Ilha Grega

A imagem de Apolo é a peça central do espetáculo multissensorial do artista Jeff Koons na ensolarada ilha grega de …

Notícias - 09/08/2022

I Bienal Carioca de Arte Indígena com atrações gratuitas

Artistas indígenas de todo o Brasil relembram as lutas dos povos originários do Brasil na I Bienal Carioca de Arte …

Notícias - 08/08/2022

Quando os esportes imitam a arte

O que uma falta da NBA e uma pintura de Pietà renascentista compartilham em comum? Muito, na verdade.

“A vida imita …

Notícias - 08/08/2022

Andy Warhol: Cars - Exposição combina carros coloridos das pinturas de Warhol com automóveis clássicos que os inspiraram

Foi a encomenda final de Andy Warhol: em 1986, a montadora alemã Mercedes-Benz ficou sabendo das serigrafias do artista pop …

Notícias - 08/08/2022

Lourdes Grobet, icônica fotógrafa mexicana de Lucha Libre, morre aos 81 anos

Lourdes Grobet, a artista mexicana cujas fotografias celebravam o mundo da lucha libre com dignidade e franqueza, morreu em 15 …

Notícias - 08/08/2022

'Falo de três metros': escultura de Antony Gormley cai em desgraça com estudantes universitários

Os planos de instalar uma escultura de Antony Gormley no Imperial College, em Londres, causaram preocupação entre os estudantes da …

Notícias - 08/08/2022

Artista italiano afirma ser Pak, criador do NFT mais caro de todos os tempos

A identidade de um dos criadores mais proeminentes da arte criptográfica foi revelada. Bem, talvez. Em um tweet enigmático , …