Pintura recuperada 40 anos após roubo pode ser de Rembrandt

Uma pintura holandesa que foi roubada no maior roubo de arte na Alemanha Oriental comunista e recuperada no ano passado pode ser obra de Rembrandt, de acordo com pesquisas e análises feitas por curadores do Schloss Friedenstein em Gotha.

A pintura de um homem idoso barbudo, datada de entre 1629 e 1632, foi uma das cinco obras do Velho Mestre devolvidas ao Schloss Friedenstein no ano passado, mais de quatro décadas depois de terem desaparecido no roubo de dezembro de 1979. Todas as cinco pinturas foram restauradas agora e estão em exibição em uma exposição no Schloss Friedenstein chamada Back in Gotha! The Lost Masterpieces, que vai até 21 de agosto de 2022.

O retrato do velho, que foi o mais danificado dos cinco no roubo e sofreu arranhões profundos, ao longo dos anos foi atribuído a Jan Lievens e a Ferdinand Bol, aluno de Rembrandt. Mas Timo Trümper, o curador da exposição, diz que a análise do estilo de pintura descartou tanto o artista quanto o autor da obra. A atribuição a Bol deriva da assinatura do artista no verso, mas Trümper diz que isso pode indicar que ele era o dono do retrato, não que ele o pintou. Ele diz que Bol pode ter obtido o trabalho após a falência de Rembrandt em 1656.

A pintura é muito semelhante a um trabalho nos museus de arte de Harvard nos Estados Unidos. Essa obra traz a assinatura de Rembrandt, embora sua atribuição também tenha sido uma questão de debate. Trümper diz que a sub-pintura da obra de Gotha indica que pode ter sido a original, e que a pintura de Harvard é uma cópia de estúdio posterior.

“É uma questão de interpretação”, diz ele sobre o trabalho de Gotha. “Podemos ter certeza de que se originou no estúdio de Rembrandt – a questão é quanto é Rembrandt e quanto são seus alunos? Já conversamos com muitos colegas. Metade diz: ‘Não, não é Rembrandt, é um de seus alunos’. A outra metade diz que é uma teoria interessante e eles não podem descartá-la”.

O roubo

A pintura foi recuperada no ano passado, junto com outras quatro obras. O ladrão, Rudi Bernhardt, era um maquinista desiludido da Alemanha Oriental que contrabandeou as obras para a Alemanha Ocidental, com a ajuda de cúmplices um casal que já morreu e deixou as pinturas para os filhos. Bernhardt morreu em 2016, levando seu segredo para o túmulo.

Para Schloss Friedenstein, o maior castelo barroco da Alemanha com uma coleção construída pelos duques de Saxe-Gotha, o roubo não era novidade. As cinco pinturas roubadas foram saqueadas uma vez antes, no final da Segunda Guerra Mundial, e acabaram na União Soviética junto com muitos outros tesouros. O palácio registrou cerca de 1.700 itens ainda desaparecidos no banco de dados de arte perdida alemã: Trümper diz que isso não inclui milhares de livros e moedas que também foram perdidos.

A exposição examina o destino de objetos roubados desde o século 19 até os dias atuais, incluindo cerca de 80 obras que foram devolvidas nas últimas décadas.

Compartilhar:
Notícias - 01/12/2021

Restauro de obras de arte do Metrô de São Paulo vira documentário

Em curso desde 2019 e com as primeiras etapas registradas em um documentário disponível no YouTube com aproximadamente …

Notícias - 01/12/2021

Obra icônica de Banksy vai a leilão pela Bolsa de Arte SP

Pela primeira vez, uma obra de Banksy irá a leilão na América Latina – no dia 10 de fevereiro, na …

Notícias - 30/11/2021

Inhotim recebe o Museu de Arte Negra idealizado por Abdias Nascimento

Poeta, escritor, dramaturgo, curador, artista plástico, professor universitário, pan-africanista e parlamentar, Abdias Nascimento (1914-2011), indicado oficialmente ao prêmio Nobel da …

Notícias - 30/11/2021

Museu Judaico de São Paulo é inaugurado

A partir do dia 5 de dezembro de 2021, abre para visitação o Museu Judaico de São Paulo (MUJ), espaço …

Notícias - 29/11/2021

Festival de performances abre convocatória

Festival Atos de Fala completa 10 anos e sua sexta edição – que acontece de 19 de janeiro a 02 …

Notícias - 29/11/2021

Prêmio Arcanjo de Cultura divulga indicados e retoma cerimônia presencial

Valorizar e premiar nossa cultura e seus artistas em tempos tão difíceis é a missão do Prêmio Arcanjo de Cultura, …

Notícias - 26/11/2021

Steve McCurry e a resiliência da infância em fotos

De meninas enfrentando o Mar de Sulu a crianças em idade escolar no Afeganistão, no novo livro Stories and Dreams …

Notícias - 26/11/2021

Veja resenha de nova biografia de Magritte, um homem de mistério

Ao contrário de seus contemporâneos surrealistas, René Magritte tendia a manter Freud à distância de sua obra – embora poucos artistas ofereçam …

Notícias - 26/11/2021

A 'amizade íntima' de Basquiat e Warhol é explorada em drama

A exposição prometia ser de tirar o fôlego, com os dois artistas usando luvas de boxe no pôster. Mas a ansiosamente …

Notícias - 26/11/2021

Imagem da semana: Um espírito emerge de um depósito de lixo no Senegal

Outside Dakar, capital do Senegal, é um depósito de lixo com seu próprio nome: Mbeubeuss. O terreno onde fica situado foi …

Notícias - 26/11/2021

A moda esquisita de Helmut Newton - em imagens

As sessões inusitadas do fotógrafo para revistas como Vogue e Vanity Fair tiveram uma influência duradoura nas artes visuais – …

Notícias - 18/11/2021

Frida Kahlo bate recorde em leilão da Sotheby's

Três lágrimas escorrem pelo rosto de Kahlo, seu cabelo solto sobre os ombros, enquanto a imagem de seu marido, o …