Pintura de Jacob Lawrence, desaparecida há décadas, foi encontrada de forma inusitada

Uma pintura de 1956 de Jacob Lawrence que se acreditava estar desaparecida por 60 anos, da série “Struggle”, retrata uma revolta de fazendeiros americanos em Massachusetts. Ele será exibido ao público na quinta-feira no Metropolitan Museum of Art.Crédito...Fundação Jacob e Gwendolyn Knight Lawrence, Seattle / Artists Rights Society (ARS)

O painel do renomado artista negro, parte de sua série “Struggle”, foi visto pela última vez em 1960. Mas alguém teve um palpite de onde a  pintura estava.

VEJA AQUI matéria completa sobre o artista e a exposição The American Struggle.

A célebre exposição do Metropolitan Museum “Jacob Lawrence: The American Struggle” atraiu muitos visitantes, mas recentemente um deles teve uma revelação: ela suspeitou que um dos 5 painéis que faltavam na série original de 30 painéis do artista que reexamina a história inicial da nação esteve pendurada no apartamento de seus vizinhos no Upper West Side por décadas.

Ela voltou para casa e os incentivou a contatar o museu. Os vizinhos haviam comprado o pequeno quadro do renomado artista negro por uma quantia muito modesta no leilão de arte de Natal de um amigo em 1960, para beneficiar uma escola de música. Eles são um casal de idosos e pediram ao Met e ao The New York Times que não fossem identificados para proteger sua privacidade. Eles não são colecionadores de arte; eles só se deram conta de que sua pintura do confronto entre soldados e fazendeiros em tempos de guerra revolucionária poderia possivelmente fazer parte de uma série maior quando leram histórias sobre a exposição de Jacob Lawrence que estreou no início deste ano no Peabody Essex Museum em Salem, Massachusetts, e os esforços dos curadores para localizar as obras perdidas. Na semana passada, o casal finalmente contatou um consultor de arte para ajudá-los a navegar pelo Met, um dos maiores museus do país.

Na quarta-feira, sua pintura – o Painel 16 de Lawrence de sua série “Struggle: From the History of the American People” – foi pendurada no Metropolitan Museum of Art, reunida com o resto das obras conhecidas nas duas semanas restantes da exposição, até 1º de novembro. Em exibição a partir de quinta-feira, ela viajará por empréstimo para locais em Birmingham, Seattle e Washington, DC, até o próximo ano.

“A pintura está pendurada na minha sala de estar há 60 anos intacta”, disse uma das proprietárias da pintura, acrescentando que ela a comprou com o marido quando tinha 27 anos. Ela disse que a dupla inicialmente adiou o contato com o Museu Peabody Essex porque estavam viajando para a Flórida. Filha de imigrantes, a proprietária disse que cresceu no South Bronx e estudou latim e arte – sua filha e sua neta são artistas. Ela disse que sempre amou o trabalho de Lawrence e está feliz em compartilhá-lo.

Técnicos instalando o painel de Jacob Lawrence localizado recentemente no Met na quarta-feira.Crédito…Jeenah Moon para The New York Times

“Na semana passada, um amigo meu foi a exposição e disse: ‘Há um ponto em branco na parede e eu acredito que é onde sua pintura pertence’”, ela continuou. “Eu senti que devia tanto ao artista quanto ao Met permitir que eles mostrassem a pintura.”

O diretor do Met, Max Hollein, disse em um comunicado: “É raro fazer uma descoberta desse significado na arte moderna, e é emocionante que um visitante local seja o responsável”.

Randall Griffey, o co-curador da apresentação do Met (com Sylvia Yount), disse em uma entrevista na terça-feira que soube da existência do painel na semana passada, quando foi copiado em uma longa cadeia de e-mail.

“Dado que esse trabalho estava agora do outro lado do parque em relação aos proprietários, no Met, isso é o que fez com que eles descobrissem uma maneira de entrar em contato”, disse Griffey.

Qualquer curador suspeitaria no início da autenticidade do trabalho, disse Griffey, mas as imagens que ele enviou foram imediatamente convincentes. A obra foi assinada e datada de 1956, ano em que Lawrence completou a série. O assunto, Rebelião de Shays, também se alinhou historicamente ao Painel 16 ausente no ciclo, para o qual não existe fotografia – apenas o título dado por Lawrence a partir de uma carta de George Washington referindo-se aos preparativos para a rebelião em Massachusetts: “Existem combustíveis em todos os estados que podem ser atingidos por uma faísca. – Washington, 26 de dezembro de 1786. ”

“É um grupo de casacas-azuis – novas autoridades americanas – em um confronto óbvio com fazendeiros infelizes, que é o motivo da Rebelião de Shays”, disse Griffey, acrescentando que a composição angular cubista e paleta com tons de pele de terra são as marcas da série. A conservadora de pinturas modernas do Met, Isabelle Duvernois, que trabalhou intimamente com as obras de Lawrence na exposição, fez uma visita ao apartamento do casal para dar sua própria avaliação e garantir que a pintura estava em condições de exibição e viagem.

Barbara Haskell , curadora do Whitney Museum of American Art que frequentemente mostra o trabalho de Lawrence, disse que a descoberta do painel ausente é “realmente algo a ser celebrado”, acrescentando que foi “muito emocionante começar a reunir toda essa série histórica e veja como Lawrence queria que fosse visto.”

Mas o paradeiro de quatro obras permanece desconhecido. Poderia um raio cair novamente?

Compartilhar:
Notícias - 24/11/2020

Escavação revela restos preservados de homens envoltos em cinzas vulcânicas

Arqueólogos da cidade romana de Pompéia recorreram a uma técnica centenária para conservar os corpos de dois homens recentemente desenterrados …

Notícias - 24/11/2020

Desenho recém-descoberto é um verdadeiro da Vinci, afirma especialista

Um desenho que esteve em uma coleção privada por anos foi atribuído a Leonardo da Vinci. O jornal italiano La …

Notícias - 23/11/2020

Virgínia Di Lauro aborda feminino e ancestralidade na galeria Simone Cadinelli

Simone Cadinelli Arte Contemporânea apresenta “Em Suspensão”, ocupação feita pela artista Virgínia Di Lauro em sua vitrine voltada para a …

Notícias - 23/11/2020

4º Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea apresenta mostra com finalistas

Na terça-feira, 24 de novembro, às 19h, acontece a inauguração virtual da Mostra Coletiva do 4º Prêmio Aliança Francesa de …

Notícias - 19/11/2020

Bruno Barbey, Fotógrafo da Magnum Photos, morre aos 79 anos

Bruno Barbey, fotógrafo francês da agência Magnum Photos que produziu trabalhos poderosos e empáticos em zonas de guerra, bem como …

Notícias - 19/11/2020

Arqueólogos egípcios fazem a 'maior descoberta de 2020'

Arqueólogos egípcios anunciaram a descoberta de mais de 100 caixões pintados na antiga necrópole de Saqqara, ao sul do Cairo. …

Notícias - 19/11/2020

Sonia Gomes figura na lista de artistas da Bienal de Gwangju, na Coreia do Sul

A Bienal de Gwangju, na Coreia do Sul, revelou a lista completa de artistas participantes de sua 13ª edição, programada …

Notícias - 18/11/2020

Art Basel Hong Kong adiada dois meses por causa de Covid-19

A edição de 2021 da Art Basel Hong Kong — aguardada como a primeira feira presencial a ser realizada pela …

Notícias - 18/11/2020

Eduardo Kac fala de sua produção em painel do Instituto Cisneros do MoMA

O artista Eduardo Kac apresentará, em painel organizado pelo Instituto Cisneros do MoMA, suas explorações da Bio Arte e seu …

Notícias - 17/11/2020

Festival Novas Frequências comemora 10 anos

A 10ª edição do Festival Novas Frequências, considerado o principal evento sul-americano de música experimental e arte sonora, irá acontecer …

Notícias - 17/11/2020

Arquiteto negro ganha escultura afro-futurista em São Paulo para o Dia da Consciência Negra

A Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo entrega à cidade, em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, uma …

Notícias - 17/11/2020

Uma rixa familiar e a obra-prima de Botticelli que desapareceu

É uma obra-prima do Renascimento Italiano retratando uma das imagens mais célebres da civilização. Supostamente propriedade de Imelda Marcos, Madonna …