Pintora Cecily Brown traz uma visão apocalíptica em suas novas pinturas

Exposição individual na cidade natal de Churchill mostra imagens que a artista chama de uma Inglaterra destruída

Em meio a toda a pompa, esplendor e tradição de uma das grandes casas mais espetaculares da Grã-Bretanha, agora há divisão, desespero e morte aparentes.

Há um estranho pássaro azul nas novas pinturas de Cecily Brown, mas não vindo em nossa direção com otimismo e sim sendo feito em pedaços.

O Palácio de Blenheim em Oxfordshire, local de nascimento de Winston Churchill, abriu na quinta-feira uma exposição de pinturas inspiradas pelo coronavírus, muitas das quais exploram uma Inglaterra destruída.

Cecily Brown, considerada por muitos como a pintora mais notável da geração YBA (Young British Artists – Jovens Artistas Britânicos), é britânica, mas mora em Nova York há 26 anos. Ela disse que pode estar no “exílio”, mas ainda ama o país onde nasceu, que descreveu como “uma pequena ilha que ainda é culturalmente grande”.

“Pensei em uma visão idealizada da Inglaterra e na contradição entre isso e a realidade de uma nação em turbulência. O Palácio de Blenheim parece a situação perfeita para exibir imagens de um país destruído, em conflito sobre seu futuro e seu lugar no mundo. ”

Uma mulher olha para o Cão com os cascos dos cavalos no Palácio de Blenheim.

Brown segue artistas como Ai Weiwei, Michelangelo Pistoletto e Jenny Holzer em uma apresentação solo em Blenheim. A última exposição foi de Maurizio Cattelan, que exibiu um sólido vaso sanitário de ouro de 18 quilates , que ganhou as manchetes em todo o mundo depois de ter sido roubado três dias após a exibição.

Frahm disse que a exposição de Brown foi a primeira que a fundação encomendou a um pintor contemporâneo.

“Blenheim, para cada um dos artistas que estiveram aqui, é uma tarefa bastante assustadora”, disse ele. “Para um pintor, acho que é ainda mais desafiador porque você está se colocando em um lugar onde já tem muitos trabalhos e pinturas excelentes de mestres. Definitivamente não é fácil, mas acho que Cecily realmente encontrou um belo equilíbrio ao se inserir no tecido, mas também fazendo algumas declarações muito ousadas.

No total, Brown fez 24 novas pinturas, cinco desenhos, duas monotipias e um grande tapete. Eles foram instalados nos grandes quartos de Blenheim, entre os armários do palácio de porcelana de Sévres, móveis históricos e pinturas de artistas como Jan Van Dyck e Reynolds.

As obras de Brown, There'll Be Bluebirds, à esquerda, e Spot the Spaniel em exibição no Palácio de Blenheim.

As obras de Brown, There’ll Be Bluebirds, à esquerda, e Spot the Spaniel em exibição no Palácio de Blenheim. Fotografia: Alicia Canter / The Guardian

A exposição inclui a maior obra de Brown, composta por quatro painéis que medem 5,36 metros quadrados, intitulados O Triunfo da Morte. Foi inspirado por um afresco italiano do século 14 em uma igreja em Palermo, Sicília, e mostra um cavaleiro do apocalipse cavalgando sobre corpos massacrados. Em um canto estão senhoras aristocráticas em casacos de pele bebendo champanhe, aparentemente alheias à carnificina.

Quando ela fez a pintura, ela estava pensando em uma nação em turbulência, mas pré-pandemia. Agora, assume uma nova presciência.

“Parece tão oportuno”, disse Anders Kold, que foi curador da grande mostra de pesquisa de Brown no Museu de Arte Moderna da Louisiana, na Dinamarca, em 2018. “É o velho tema da roda da vida … a loucura do homem. Tudo tem o seu tempo.”

Outro trabalho, intitulado Dog is Life, na Green Writing Room, leva o nome de uma faixa de 1988 do outono.

Algumas das pinturas são cenas de caça, que Brown, com um estilo misto de figurativo e abstrato, retrata em todo o seu horror sangrento – um contraste com a forma mais bucólica como é exibido nas obras históricas do palácio.

Frahm espera que o programa crie um diálogo. “Nem todo mundo vai concordar com seus pontos de vista, mas tudo bem. Se todos concordarem com o que estamos fazendo, então não estamos fazendo certo. ”

exposição Cecily Brown está no Blenheim Palace em Oxfordshire de 17 de setembro a 3 de janeiro.

Compartilhar:
Notícias - 20/01/2021

Horrana de Kássia Santoz assume vaga de curadora na Pinacoteca

Pinacoteca do Estado de São Paulo e a Coleção Ivani e Jorge Yunes comemoram a parceria com a chegada de …

Notícias - 20/01/2021

Curso gratuito de Artes Integradas e Acessibilidade abre inscrições

Já estão abertas as inscrições para o curso Artes Integradas + Educação + Acessibilidade, do projeto Um Novo Olhar. A …

Notícias - 11/01/2021

Artista mineira Marina Amaral entra para lista da Forbes

A colorista mineira Marina Amaral entrou para a lista da Forbes dos jovens mais influentes do ano.  A Under 30 …

Notícias - 11/01/2021

Iphan e Polícia Federal resgatam material arqueológico no Acre

Na manhã do dia 5 de janeiro, uma ação conjunta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no …

Notícias - 11/01/2021

Exposição do estilista Tomo Koizumi inicia o Departamento de Moda, Design e Arquitetura da Fundação Iberê

Em 2021, a Japan House São Paulo (JHSP) vai expandir sua presença pelo Brasil, por meio de um projeto de …

Notícias - 11/01/2021

Pinacoteca de São Paulo divulga programação de 2021

 

Em 2021, a Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, …

Notícias - 28/12/2020

Os universos díspares da Rússia contemporânea pelas lentes de Serguei Maksimishin em “O Último Império”

A exposição “O Último Império – Serguei Maksimishin”, que esteve no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, entre dezembro de …

Notícias - 20/12/2020

Consciência diante do perigo: as representações do medo ao longo da História da Arte

Quando Susan Sontag fala que fotografia é sobre dor, ela fala sobre Arte. Quando Susan afirma que “fotos são um …

Notícias - 19/12/2020

São Paulo ganha mural em homenagem às comunidades indígenas afetadas pela pandemia

As Nações Unidas e a ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 4-Amarela, em São Paulo, se unem …

Notícias - 18/12/2020

Farol Santander abre hoje mostra do artista chileno Iván Navarro

Abre hoje, 18 de dezembro, no Farol Santander São Paulo, a exposição ExFinito, primeira grande mostra individual no país do …

Notícias - 17/12/2020

Conheça os 91 projetos selecionados do Rumos Itaú Cultural 2019/2020

A Dasartes participou na última quarta-feira, 16 de dezembro, na coletiva de imprensa do Itaú Cultural, que anunciou os projetos selecionados …

Notícias - 17/12/2020

REGINA BONI ANUNCIA INAUGURAÇÃO DA GALERIA SÃO PAULO FLUTUANTE EM 2021

Para quem afrontou militares e a extrema direita em plena ditadura nos anos 60, não seria uma pandemia em escala …