Obscenidades desesperadas de Picasso: mostra de últimos trabalhos captura um gênio ainda furioso

Esta exposição emocionante revela os anos crepusculares de Picasso em uma villa palaciana em Cannes – ultrajante, torturado e em busca da energia primitiva de sua juventude

Todos acabam perdendo o fôlego. No caso de Pablo Picasso, o processo foi demorado e ele o lutou com flashes de fúria, luxúria e inteligência. Ele obviamente não se considerava velho quando, na casa dos 70, posou de peito nu para a fotografia que aparece no início da nostálgica homenagem da Galeria Bastian a seu último estúdio, em Cannes do pós-guerra. Picasso trabalharia com a energia de sempre, até sua morte aos 91 anos, deixando uma pilha de trabalhos recentes. Mas será que o último quarto de século de sua carreira realmente acrescenta algo aos milagres que aconteceram antes?

Em 1900, como um adolescente prodígio de Málaga via Barcelona, ​​ele visitou Paris pela primeira vez e pintou cenas brilhantemente lúgubres de salões de dança e bordéis. Em 1907, ele pintou Les Demoiselles d’Avignon, incendiando séculos de arte ocidental em uma conflagração selvagem que simultaneamente inventa o cubismo e o surrealismo. Ainda estavam por vir orgias estupendas de destruição e criação e sua transformação mais inesperada de todas, de diário sensual da vida privada a pintor público da história moderna em Guernica.

Talvez ele devesse ter se aposentado depois de tais maravilhas. Em vez disso, em 1955, ele montou um estúdio em La Californie, uma mansão palaciana em Cannes. Era seu espaço de trabalho mais teatral – e talvez isso diga algo sobre seu declínio. Ele pintou Les Demoiselles em um casebre em ruínas em Montmartre, Paris e Guernica em um loft escuro na margem esquerda. Agora, aqui estava ele montando seu cavalete em um amplo espaço feito no estilo norte-africano.

L’Atelier afirma ter “reimaginado o Cannes Studio de Picasso como uma experiência imersiva dentro da galeria”, mas não faz isso com muita precisão. A Bastian Gallery em Mayfair, em Londres, é uma butique esguia que nem chega a sugerir a expansividade de La Californie. Em vez disso, tenta capturar a mistura de trabalho e casa do estúdio com potes dispostos em uma cômoda, uma cadeira de vime vazia onde Picasso poderia ter sentado contemplando suas próprias obras e exemplos das esculturas africanas que amava. Infelizmente, é tudo falso.

Uma sala em La Californie de Picasso, Cannes. Fotografia: Cortesia da Bastian Gallery

Essas peças africanas não pertenciam a ele, o que é uma prestidigitação terrível. Picasso colecionou reverentemente arte mundial e estudou-a de perto. Uma fotografia desta mostra o retrata sentado ao lado de Nevimbumbaau, um cocar figurativo da Oceania que está no Museu Picasso de Paris. Ele nunca tratou suas amadas obras de arte do Pacífico ou da África como arte “étnica” genérica, como faz esta exposição. Em uma justaposição estúpida, vemos uma escultura em madeira com chifres da Nigéria ao lado de suas impressões do Minotauro e um fauno, paralelos simplistas de feras com fúria.

Quanto a examinar seriamente o trabalho de Picasso dos anos 1950 a 1973, descobri que o programa também não faz isso. Ao longo do tempo, as obras tardias são judiciosamente apimentadas com obras-primas dos anos 1930, incluindo uma joia rara: a edição ilustrada de Picasso da comédia grega de Aristófanes, antiga greve de sexo, Lisístrata.

No entanto, essa exibição francamente enganosa é irresistível. Picasso pode ter ficado fora de moda nos círculos de vanguarda depois de 1945, mas foi quando ele se tornou uma celebridade em massa. As fotos aqui de André Villers mostram como imaginamos Picasso, o careca musculoso fã de touradas. Seus pôsteres para as corridas do sul da França também são exibidos aqui. Este é um Picasso amigo das crianças, pintando rostos malucos em pratos em uma versão cartoon de seus retratos cubistas.

Momento amigo das crianças … Placas de rosto de Picasso, 1963. Fotografia: Cortesia da Galeria Bastian

Normalmente, presume-se que Salvador Dalí foi o primeiro artista famoso, mas Picasso também sabia como casar e desfrutar a fama. A diferença era seu gênio. Duas gravuras de 1969 mostram uma mulher deitada nua, não graciosamente reclinada, mas exibindo suas coxas e o que está entre elas para seu olho insaciável. Ele desenha tudo em linhas pretas claras sem retrabalho. Você sente a velocidade, a urgência. Ela é tão sólida, tão carnal – parece incrível que um artista possa tornar alguém tão fisicamente real com apenas uma linha.

Aqui está o mistério de Picasso, como era chamado um filme da década de 1950 em que trabalhava: um mágico que pode criar novas percepções da vida a partir de um simples esboço ou transformar um prato em algo vivo. Sexo é vida para ele e, em suas últimas tentativas de atiçar a chama, há uma espécie de obscenidade desesperada. Em seu desenho de 1972, Dois Nus e Cabeças Masculinas, ele parece retornar em memória aos bordéis de Montmartre que descobriu aos 19 anos. Um homem e uma mulher nua assistem a uma exibição erótica. É algo terrível e inesquecível.

Picasso na velhice era ultrajante e um pouco patético, desempenhando o papel de veterano e criativo toureiro enquanto se torturava em seu estúdio enquanto tentava recapturar a energia primitiva de sua juventude. No entanto, talvez este seja o Picasso mais humano e inspirador de todos – um gênio que desceu de seu pedestal para falhar e lutar com o resto de nós, que ainda pode fazer arte que pode abrir seus sentidos para a vida como nenhum outro. O artista aqui não é perfeito. Ele é muito maior do que isso.

• O Atelier Picasso está na Bastian Gallery, Londres, de 3 de setembro a 31 de outubro.

Fonte e tradução: The Guardian

Compartilhar:
Notícias - 20/01/2021

Horrana de Kássia Santoz assume vaga de curadora na Pinacoteca

Pinacoteca do Estado de São Paulo e a Coleção Ivani e Jorge Yunes comemoram a parceria com a chegada de …

Notícias - 20/01/2021

Curso gratuito de Artes Integradas e Acessibilidade abre inscrições

Já estão abertas as inscrições para o curso Artes Integradas + Educação + Acessibilidade, do projeto Um Novo Olhar. A …

Notícias - 11/01/2021

Artista mineira Marina Amaral entra para lista da Forbes

A colorista mineira Marina Amaral entrou para a lista da Forbes dos jovens mais influentes do ano.  A Under 30 …

Notícias - 11/01/2021

Iphan e Polícia Federal resgatam material arqueológico no Acre

Na manhã do dia 5 de janeiro, uma ação conjunta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no …

Notícias - 11/01/2021

Exposição do estilista Tomo Koizumi inicia o Departamento de Moda, Design e Arquitetura da Fundação Iberê

Em 2021, a Japan House São Paulo (JHSP) vai expandir sua presença pelo Brasil, por meio de um projeto de …

Notícias - 11/01/2021

Pinacoteca de São Paulo divulga programação de 2021

 

Em 2021, a Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, …

Notícias - 28/12/2020

Os universos díspares da Rússia contemporânea pelas lentes de Serguei Maksimishin em “O Último Império”

A exposição “O Último Império – Serguei Maksimishin”, que esteve no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, entre dezembro de …

Notícias - 20/12/2020

Consciência diante do perigo: as representações do medo ao longo da História da Arte

Quando Susan Sontag fala que fotografia é sobre dor, ela fala sobre Arte. Quando Susan afirma que “fotos são um …

Notícias - 19/12/2020

São Paulo ganha mural em homenagem às comunidades indígenas afetadas pela pandemia

As Nações Unidas e a ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 4-Amarela, em São Paulo, se unem …

Notícias - 18/12/2020

Farol Santander abre hoje mostra do artista chileno Iván Navarro

Abre hoje, 18 de dezembro, no Farol Santander São Paulo, a exposição ExFinito, primeira grande mostra individual no país do …

Notícias - 17/12/2020

Conheça os 91 projetos selecionados do Rumos Itaú Cultural 2019/2020

A Dasartes participou na última quarta-feira, 16 de dezembro, na coletiva de imprensa do Itaú Cultural, que anunciou os projetos selecionados …

Notícias - 17/12/2020

REGINA BONI ANUNCIA INAUGURAÇÃO DA GALERIA SÃO PAULO FLUTUANTE EM 2021

Para quem afrontou militares e a extrema direita em plena ditadura nos anos 60, não seria uma pandemia em escala …