Musée d’Orsay homenageia mulheres negras dando nomes a elas em obras de arte como “Olympia” de Manet

Marie-Guillemine Benoist, “Portrait of Madeleine”

A mostra Modelos negras: de Géricault a Matisse, temporariamente renomeia trabalhos com modelos negras historicamente anônimas para homenagea-las.

O Musée d’Orsay renomeou temporariamente os trabalhos apresentados em sua exposição Modelos Negras: de Géricault a Matisse, para homenagear os temas e figuras negras em pinturas icônicas. A Olympia de Édouard Manet (1863), por exemplo, foi renomeada para Laure homenageando a empregada retratada na tela. Outros trabalhos com o título da mostra incluem peças de Paul Cézanne, Pablo Picasso e Marie-Guillemine Benoist, cujo Retrato de uma Mulher Negra (1800) foi renomeado para Retrato de Madeleine.

Édouard Manet, “Laure” (1863)

“Escrevi para meus colegas do museu no Louvre, Quai Branly, para informá-los da decisão que tomamos para renomear certas obras com um olho para a evolução da sociedade, e todos apoiaram essa iniciativa”, disse Laurence des Cars, a diretora do Musée d’Orsay.

“Isso não teria sido possível dez, talvez até cinco anos atrás”, acrescentou.

Black Models” é uma versão expandida de uma exposição que estreou no ano passado na Wallach Art Gallery em New York City, onde foi curada por Denise Murrell e intitulada “Posicionando a Modernidade: A Modelo Negra de Manet e Matisse hoje”.

A exposição é baseada na dissertação de Denise Murrell de 2013 para o departamento de história da arte e arqueologia da Universidade de Columbia. Murrell traça a linhagem da figura feminina negra na arte moderna desde a “Olympia” de Édouard Manet (1865) até o século 21, examinando os modos mutáveis ​​de representação histórica da arte oferecida às mulheres negras, muitas vezes reduzidas a tropos anônimos. Murrell enfoca especificamente as mulheres negras na representação artística francesa nos séculos 19 e 20, começando com os trabalhos de Manet e Matisse.

Murrell diz que muitas dessas identidades femininas têm sido encobertas por “referências raciais desnecessárias”, como negras ou mulatas. “Foi a história da arte que as deixou de fora. Contribuiu para a construção dessas figuras como tipos raciais em oposição aos indivíduos que eram”, diz Murrell.

O trabalho mais famoso da exposição, “Olympia” de Manet, é frequentemente identificado como o nascimento da arte moderna. No contexto de modelos negras, Murrell coloca um grande foco na história de Laure para destacar um novo foco na pintura, que apresenta uma mulher reclinada nua sendo servida por uma empregada.

Pouco se sabe sobre Laure, embora a imagem icônica tenha sido apropriada e revisitada pelos artistas há mais de um século. Em 1862, Manet escreveu uma breve descrição dela em seu caderno: “Laure, negra muito bonita. Rue Vintimille, 11, 3º andar”. Ela também modelou em “Children in the Tuileries Gardens” (1862) de Manet .

A exposição também exibe retratos de indivíduos negros de Delacroix, Gauguin, Picasso, Bonnard e Cézanne, como Jeanne Duval, muitas vezes chamada de “Vênus Negra”, que foi amante e musa do poeta Baudelaire e também foi pintada por Manet.

Compartilhar:
Notícias - 16/10/2020

Instituição coloca à venda pintura de David Hockney em meio a tensões financeiras

Na semana passada, a Royal Opera House de Londres anunciou planos de vender o Retrato de Sir David Webster de …

Notícias - 16/10/2020

Itáu Cultural reabre com mostras de Sandra Cinto e ocupação de Rino Levi

O Itaú Cultural (IC) retomou a partir de terça-feira (13) suas atividades presenciais. Neste momento, o público pode visitar as …

Notícias - 16/10/2020

Marina Abramović terá a primeira obra de arte de realidade mista vendida em leilão

Marina Abramović é uma das artistas contemporâneas mais conhecidas do mundo, mas muito de seu trabalho é efêmero: performances que …

Notícias - 16/10/2020

Juíza anuncia nova decisão sobre caso Inhotim e surpreende

O instituto assinou um acordo em 2016 para doar 20 obras de seu acervo ao governo, a fim de reembolsar …

Notícias - 16/10/2020

Como obras redescobertas de velhos mestres vêm de destacando em leilões com números extraordinários?

A Christie’s realizará seu leilão de Velhos Mestres durante as vendas clássicas da semana na sede do Rockefeller Center. Ao …

Notícias - 16/10/2020

Escultura de Medusa nua vira símbolo do movimento #meetoo e causa polêmica

Na maioria dos casos de violência sexual, sempre se pergunta à vítima: ‘Bom, o que você fez para provocá-lo?’ Questões …

Notícias - 16/10/2020

Famoso artista chinês desafia fronteira EUA-México para pintar e mostra processo em vídeo

Para o artista contemporâneo Liu Xiaodong, a história pessoal é a maior fonte de inspiração. Sua infância na China rural e …

Notícias - 16/10/2020

Foto impressionante de Vik Muniz é uma homenagem a um grande artista americano

Se você está familiarizado com a arte americana contemporânea, a imagem de uma estação da Standard Oil pode trazer imediatamente …

Notícias - 16/10/2020

A história de vida de Artemisia Gentileschi será tema de uma série de tv

A vida de Artemisia Gentileschi (1593-1652), a grande pintora barroca que é o tema da tão aclamada exposição da London National Gallery, será …

Notícias - 15/10/2020

Exposição na Paulista chega à sexta edição com o tema “Liberdade e Democracia”

Uma realização da União Geral dos Trabalhadores – UGT, A Exposição na Paulista traz 15 obras de 18 artistas de …

Notícias - 13/10/2020

Artistas colorem empenas em BH e marcam maior mural assinado por uma artista indígena no mundo

Em menos de duas semanas, artistas negros e indígenas pintaram empenas gigantes na capital de Minas Gerais levando resistência e afeto …

Notícias - 02/10/2020

Como a arte inspira o cinema e o cinema inspira a arte?

Como os artistas contemporâneos do cinema conseguiram trazer os temas e técnicas das maiores pinturas para o grande ecrã

O 77º …