Musée d’Orsay homenageia mulheres negras dando nomes a elas em obras de arte como “Olympia” de Manet

Marie-Guillemine Benoist, “Portrait of Madeleine”

A mostra Modelos negras: de Géricault a Matisse, temporariamente renomeia trabalhos com modelos negras historicamente anônimas para homenagea-las.

O Musée d’Orsay renomeou temporariamente os trabalhos apresentados em sua exposição Modelos Negras: de Géricault a Matisse, para homenagear os temas e figuras negras em pinturas icônicas. A Olympia de Édouard Manet (1863), por exemplo, foi renomeada para Laure homenageando a empregada retratada na tela. Outros trabalhos com o título da mostra incluem peças de Paul Cézanne, Pablo Picasso e Marie-Guillemine Benoist, cujo Retrato de uma Mulher Negra (1800) foi renomeado para Retrato de Madeleine.

Édouard Manet, “Laure” (1863)

“Escrevi para meus colegas do museu no Louvre, Quai Branly, para informá-los da decisão que tomamos para renomear certas obras com um olho para a evolução da sociedade, e todos apoiaram essa iniciativa”, disse Laurence des Cars, a diretora do Musée d’Orsay.

“Isso não teria sido possível dez, talvez até cinco anos atrás”, acrescentou.

Black Models” é uma versão expandida de uma exposição que estreou no ano passado na Wallach Art Gallery em New York City, onde foi curada por Denise Murrell e intitulada “Posicionando a Modernidade: A Modelo Negra de Manet e Matisse hoje”.

A exposição é baseada na dissertação de Denise Murrell de 2013 para o departamento de história da arte e arqueologia da Universidade de Columbia. Murrell traça a linhagem da figura feminina negra na arte moderna desde a “Olympia” de Édouard Manet (1865) até o século 21, examinando os modos mutáveis ​​de representação histórica da arte oferecida às mulheres negras, muitas vezes reduzidas a tropos anônimos. Murrell enfoca especificamente as mulheres negras na representação artística francesa nos séculos 19 e 20, começando com os trabalhos de Manet e Matisse.

Murrell diz que muitas dessas identidades femininas têm sido encobertas por “referências raciais desnecessárias”, como negras ou mulatas. “Foi a história da arte que as deixou de fora. Contribuiu para a construção dessas figuras como tipos raciais em oposição aos indivíduos que eram”, diz Murrell.

O trabalho mais famoso da exposição, “Olympia” de Manet, é frequentemente identificado como o nascimento da arte moderna. No contexto de modelos negras, Murrell coloca um grande foco na história de Laure para destacar um novo foco na pintura, que apresenta uma mulher reclinada nua sendo servida por uma empregada.

Pouco se sabe sobre Laure, embora a imagem icônica tenha sido apropriada e revisitada pelos artistas há mais de um século. Em 1862, Manet escreveu uma breve descrição dela em seu caderno: “Laure, negra muito bonita. Rue Vintimille, 11, 3º andar”. Ela também modelou em “Children in the Tuileries Gardens” (1862) de Manet .

A exposição também exibe retratos de indivíduos negros de Delacroix, Gauguin, Picasso, Bonnard e Cézanne, como Jeanne Duval, muitas vezes chamada de “Vênus Negra”, que foi amante e musa do poeta Baudelaire e também foi pintada por Manet.

Compartilhar:
Notícias - 13/04/2021

Médico e artista plástico expõe obra feita de raio-x na Igreja Presbiteriana do Butantã

Moradores e visitantes da região do Butantã têm se deparado com uma cena inusitada ao circularem a Praça Vicente Rodrigues, …

Notícias - 13/04/2021

Após reclamações, outdoors de Steven Shearer são retirados de festival em Vancouver

Uma série de sete outdoors com fotos de pessoas dormindo foi encoberta depois que os organizadores do Capture Photography Festival …

Notícias - 13/04/2021

Sotheby's e Niftygateway oferecem edição ilimitada de criptoarte

A criptoarte segue sendo assunto quente no mercado. De olho na tendência, a Sotheby’s e o site Niftygateway estão oferecendo …

Notícias - 12/04/2021

FAMA Museu lança edital para exposições no espaço

A fim de incentivar a produção artística contemporânea e valorizar a diversidade cultural por meio da multiplicidade de expressões artísticas …

Notícias - 09/04/2021

Inhotim e Arte1 firmam parceria para exibição da série Diálogos

Duas instituições voltadas para a arte acabam de se unir para disseminar conteúdos de qualidade para o público. O Instituto …

Notícias - 08/04/2021

Conheça Bruna Pessoa de Queiroz, presidente da “Usina da Arte”

Ancorada numa tradição cultural “artistocrática”, a família Pessoa de Queiroz revive desde 2015 uma antiga fábrica de cana-de-açúcar perto do …

Notícias - 08/04/2021

Galeria Nara Roesler representa o Brasil na EXPO CHGO ONLINE

Com o apoio do projeto Latitude – Platform for Brazilian Art Galleries Abroad, uma parceria da ABACT (Associação Brasileira de …

Notícias - 08/04/2021

INSTITUTO TOMIE OHTAKE ABRE AS INSCRIÇÕES PARA O 5º PRÊMIO TERRITÓRIOS

Iniciativa idealizada e coordenada pelo Instituto Tomie Ohtake, com patrocínio da Estácio e do Grupo GPS, em parceria com o …

Notícias - 07/04/2021

Conheça o jovem que saiu da Vila Vintém para defender o acesso à cultura em Boston

Como já vem sendo feito há alguns anos, a Brazil Conference at Harvard & MIT 2021, evento criado por …

Notícias - 07/04/2021

Nova galeria de arte vende obras com o tema "identidade"

Inaugurada no mês de celebração ao Dia Mundial das Mulheres, a Pequena Galeria apresenta cinco artistas mulheres de diferentes regiões …

Notícias - 06/04/2021

Obras de Antony Gormley colocadas na praia dividem opiniões

Esperava-se que incentivassem a apreciação da arte contemporânea. Mas, em vez disso, quatro esculturas de ferro de Antony Gormley parecem …

Notícias - 06/04/2021

National Gallery cria sua primeira mostra projetada para telefones celulares

A National Gallery apresentará sua primeira exposição projetada para telefones celulares, permitindo que as pessoas vivenciem com detalhes incríveis uma …