Morre Carlos Cruz-Diez, pioneiro da arte cinética

O pioneiro da cinética e Op Art Carlos Cruz-Diez morreu em Paris aos 95 anos de idade. Um dos artistas mais conhecidos da América Latina da segunda metade do século 20, Cruz-Diez trabalhou com camadas brilhantes de cores, variando de dois trabalhos dimensionais que parecem saltar da página para instalações imersivas de “Cromossaturações” de projeções hiper-saturadas de luzes de néon.

A notícia da morte do artista venezuelano foi anunciada no site de sua fundação. “Seu amor, sua alegria, seus ensinamentos e suas cores permanecerão para sempre em nossos corações”, disse sua família em um comunicado.

Nascido em Caracas em 1923, Cruz-Diez estudou na Escola de Artes Plásticas e Aplicadas de 1940 a 1945. Trabalhou como ilustrador antes de ser contratado em 1946 como diretor criativo da filial da McCann-Erickson na Venezuela, a agência de publicidade americana. Cruz-Diez mudou-se para a Europa em 1955, finalmente se estabelecendo em Paris, onde viveu de 1960 até sua morte.

Inspirado em se libertar das tradições acadêmicas, Cruz-Diez fez um grande avanço com um trabalho simples que criou em 1959. Ele percebeu que duas linhas vermelhas e verdes em um fundo preto produziam a ilusão de ótica de uma terceira linha amarela. Trabalhando com tiras coloridas de plástico sobre papelão e, posteriormente, alumínio mais durável, Cruz-Diez dedicou-se a fazer trabalhos que mudassem de aparência com base na posição do espectador, mudando com base na luz e na posição.

Ele foi destaque na exposição de 1965 The Responsive Eye, no Museu de Arte Moderna de Nova York, que cativou os telespectadores – mas dividiu os críticos – com suas vertiginosas ilusões de movimento. O trabalho de Cruz-Diez nesse programa, Physichromie Number 116 (1964), apareceu ao lado de obras de artistas como Josef Albers , Larry Bell , Ellsworth Kelly , Robert Irwin, Agnes Martin , Bridget Riley e Frank Stella.

Cruz-Diez venceu o prêmio internacional de pintura de 1967 na Bienal de São Paulo e representou a Venezuela na Bienal de Veneza em 1970. Também criou obras de arte públicas específicas para todo o mundo, inclusive para o aeroporto Simón Bolivar em Caracas, o Parque de Madri. Juan Carlos I e o estádio Marlins em Miami.

Embora Cruz-Diez nunca tenha sido tão reconhecido nos Estados Unidos ou Europa quanto na América do Sul, suas contribuições históricas à Op Art e o papel que outros artistas latino-americanos desempenharam no movimento foram revisitados na exposição de 2016 The Illusive Eye, no El Museo del Barrio de Nova York. As obras de Cruz-Diez podem ser encontradas nas coleções de instituições, incluindo o MoMA e a Tate Modern.

Carlos Cruz Diez, <em> Chromatique de Indução à Fréquence Dupla para o navio de l'Edmund Gardner </ eM> (2014).  O artista criou este navio deslumbrante para a Bienal de Liverpool.  Foto por Mark McNulty, cortesia 14-18 Agora.

Carlos Cruz Diez, Induction Chromatique à Double Fréquence pour l’Edmund Gardner Ship (2014). Foto por Mark McNulty, cortesia de 14-18 Agora.

Projetos mais recentes incluem um navio deslumbrante que ele fez como parte de um projeto de arte centenário de 14 a 18 anos, durante a Bienal de Liverpool em 2014, e uma instalação permanente de janelas que projetam sombras coloridas no saguão de um escritório de advocacia em Washington. O maior projeto norte-americano da Diez. Em 2017, o artista foi contratado para pintar uma faixa de travessia do lado de fora do museu Broad, em Los Angeles, como parte do “Pacific Standard Time: LA / LA”, uma série de exposições de arte latino-americanas realizadas em instituições da cidade.

Carlos Cruz-Diez, <em> </ em> (2017), um crosswalk encomendado pela Broad para "Pacific Standard Time: LA / LA".  Foto cedida pela Broad, Los Angeles.

A travessia de pedestres de Carlos Cruz-Diez encomendada pela Broad para o “Pacific Standard Time: LA / LA” (2017). Foto cedida pela Broad, Los Angeles.

“Eu sempre achei que a arte não deveria ser isolada da sociedade, a arte é um meio de comunicação. Não deve ser fechado dentro de quatro paredes ”, disse Cruz-Diez à Associated Press . “Então, sempre gostei de entrar na rua, fazer da melhor maneira, ser sincero e oferecê-lo a todos.”

Fonte: Artnet News

Compartilhar:
Notícias - 09/04/2021

Inhotim e Arte1 firmam parceria para exibição da série Diálogos

Duas instituições voltadas para a arte acabam de se unir para disseminar conteúdos de qualidade para o público. O Instituto …

Notícias - 08/04/2021

Conheça Bruna Pessoa de Queiroz, presidente da “Usina da Arte”

Ancorada numa tradição cultural “artistocrática”, a família Pessoa de Queiroz revive desde 2015 uma antiga fábrica de cana-de-açúcar perto do …

Notícias - 08/04/2021

Galeria Nara Roesler representa o Brasil na EXPO CHGO ONLINE

Com o apoio do projeto Latitude – Platform for Brazilian Art Galleries Abroad, uma parceria da ABACT (Associação Brasileira de …

Notícias - 08/04/2021

INSTITUTO TOMIE OHTAKE ABRE AS INSCRIÇÕES PARA O 5º PRÊMIO TERRITÓRIOS

Iniciativa idealizada e coordenada pelo Instituto Tomie Ohtake, com patrocínio da Estácio e do Grupo GPS, em parceria com o …

Notícias - 07/04/2021

Conheça o jovem que saiu da Vila Vintém para defender o acesso à cultura em Boston

Como já vem sendo feito há alguns anos, a Brazil Conference at Harvard & MIT 2021, evento criado por …

Notícias - 07/04/2021

Nova galeria de arte vende obras com o tema "identidade"

Inaugurada no mês de celebração ao Dia Mundial das Mulheres, a Pequena Galeria apresenta cinco artistas mulheres de diferentes regiões …

Notícias - 06/04/2021

Obras de Antony Gormley colocadas na praia dividem opiniões

Esperava-se que incentivassem a apreciação da arte contemporânea. Mas, em vez disso, quatro esculturas de ferro de Antony Gormley parecem …

Notícias - 06/04/2021

National Gallery cria sua primeira mostra projetada para telefones celulares

A National Gallery apresentará sua primeira exposição projetada para telefones celulares, permitindo que as pessoas vivenciem com detalhes incríveis uma …

Notícias - 06/04/2021

Visitas aos 100 principais museus e galerias do mundo caem 77% devido a Covid

O número de visitantes nos 100 principais museus e galerias de arte do mundo caiu 77% no ano passado, de …

Notícias - 05/04/2021

Exposição artística mais extensa do mundo é realizada no Caminho de Santiago

“Las Estrellas del Camino” é uma exposição permanente com curadoria de Estrella Galicia e realização da agência AUPA!. A mostra …

Notícias - 05/04/2021

Inscrições para a ArtRio 2021 prorrogadas até 30 de abril

As inscrições para as galerias que desejam participar da 11ª edição da ArtRio foram prorrogadas até o dia 30 de …

Notícias - 31/03/2021

Instituto Cultural Vale lança programa gratuito de formação em Gestão Contemporânea das Artes

O Instituto Cultural Vale lança nesta terça-feira, 30, seu programa de formação em Gestão Contemporânea das Artes. Voltado para profissionais …