MARGS implementa plano de recuperação de danos causados pela enchente

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), instituição vinculada à Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), deu início ao plano de recuperação de danos causados pela tragédia climática que assolou o Estado no mês de maio. A operação, conduzida por especialistas — entre eles restauradores e conservadores —, envolve o resgate e o salvamento de obras, patrimônio e documentos afetados pela água e pela umidade, além do restabelecimento das redes elétrica, hidráulica e do sistema de climatização.

“Salvamos grande parte das obras, incluindo aquelas consideradas entre as mais afamadas e lembradas, antes mesmo da água chegar à Praça da Alfândega. Mas, em termos de patrimônio, todas as obras de um acervo são igualmente importantes. E essa operação que vem sendo conduzida por especialistas nos garante agir com precisão e expertise, nos métodos e procedimentos de salvamento e recuperação”, pontua o diretor-curador do MARGS, Francisco Dalcol, lembrando que uma força-tarefa trabalhou na movimentação de centenas de peças e itens do Museu até o momento de evacuação do prédio, na tarde de 03 de maio.

Apesar dos esforços da equipe e em virtude do grande volume de água que se acumulou na Praça da Alfândega — no interior do térreo do MARGS, a medição chegou a 2 metros de altura —, a enchente alagou o térreo da instituição, impactando diretamente o seu mobiliário, equipamentos, documentos administrativos e obras do acervo em papel, entre gravuras, fotografias e desenhos.

Segundo Dalcol, a prioridade, neste momento, é atuar na estabilização dessas obras: “Tudo está sendo tratado e restabelecido. Nos casos em que for necessário, e considerando especificidades de tipologia e características das obras, elas serão restauradas ou ganharão novas impressões”, ressalta.

O plano de recuperação de danos está sendo coordenado pela conservadora e restauradora Isis Fófano Gama, do Departamento de Conservação e Memória do Patrimônio Cultural do Complexo do Palácio Piratini, com a consultoria e atuação de Naida Corrêa, restauradora e conservadora que atuou por 24 anos no MARGS. A equipe é formada por funcionários do Museu, do Palácio, colaboradores da Sedac e externos. Professores e alunos do curso de Conservação e Restauro de Bens Culturais Móveis da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), e integrantes da Associação para a Preservação do Patrimônio das Américas (APOYOnline) também auxiliam nos trabalhos.

“Nosso sentimento, neste momento, é de ambivalência, pois ao mesmo tempo que estamos tristes por tudo o que aconteceu no nosso Estado, ficamos felizes quando nos deparamos com tantas pessoas e instituições dispostas a ajudar nesse recomeço. Nossa parceria com a UFPel, por exemplo, vem desde 2019, e esse comprometimento e disponibilidade da instituição são fundamentais para que consigamos passar por esse momento sensível com a certeza de que o resultado será exitoso”, avalia a secretária da Cultura Beatriz Araujo.

Diagnóstico e reconstrução

As equipes técnicas do Departamento de Memória e Patrimônio (DMP), do Sistema Estadual de Museus (SEM) e do MARGS foram as responsáveis por mapear os impactos do desastre meteorológico no Museu. Além das obras em papel guardadas em mapotecas — grandes gavetas metálicas para armazenagem de obras em papel —, a água e a umidade atingiram as documentações administrativas e do acervo, o estoque de publicações e os catálogos.
Agora, as obras estão no processo de secagem e estabilização. Posteriormente, caso necessário, elas serão restauradas. Os próprios espaços expositivos do MARGS foram adaptados para dar lugar a essa operação, como um grande laboratório. Já os documentos atingidos foram removidos do prédio e congelados, para posterior procedimento de limpeza e restabelecimento.

A estrutura operacional do Museu, que também funcionava no térreo, foi igualmente comprometida. São computadores, equipamentos, mobiliários, recursos e materiais de trabalho e exposições. E ainda: partes das instalações elétrica, hidráulica, de lógica, telefonia, do sistemas de climatização e do circuito interno de câmeras — tudo passará por uma vistoria rigorosa e voltará a funcionar somente quando tiver operando em segurança.

O futuro do MARGS

Não há previsão para reabertura do MARGS ao público. A médio e longo prazo, o Museu passará por uma ampla reorganização interna de seus espaços, que envolverá realocação das atividades e funções que ocorriam no térreo. Um exemplo é a reserva técnica no cofre, que deverá ser transferida para os andares superiores, como já funcionam as duas torres do terraço adaptadas e climatizadas para esta finalidade.

Criado em 1954 e funcionando no prédio histórico tombado desde 1978, o Margs tem um um acervo com mais de 5.700 obras desde a primeira metade do século 19, de diferentes linguagens das artes visuais, incluindo ainda pintura, escultura, cerâmica, arte têxtil, objeto, instalação, arte digital, vídeo, filme e design. Esse conjunto é composto por arte brasileira, com ênfase na produção de artistas gaúchos, e também por obras de artistas estrangeiros. Ao final de 2022, o prédio havia passado por reforma arquitetônica e ganhado pintura e novo sistema de climatização.

Compartilhar:
Notícias - 18/07/2024

Busão das Artes retorna a São Paulo com exposição interativa

Com sua personalidade enigmática e uma linguagem poética e inovadora, Clarice Lispector (1920-1977) é, merecidamente, cultuada em todo o mundo …

Notícias - 18/07/2024

Artista pinta paredes do Louvre

Convidado pelo Chefe de Programas Contemporâneos do Louvre, Donatien Grau, para pintar diretamente nas paredes do museu mais visitado do …

Notícias - 18/07/2024

Escultura gigante é instalada em Paris para as olimpiadas

Sempre há um bom motivo para ir à piscina. Porque está calor, porque queremos esquecer o quotidiano, porque queremos relaxar… …

Notícias - 18/07/2024

Seis telas danificadas no 8 de janeiro são restauradas

Seis das 11 telas vandalizadas nos ataques de 8 de janeiro de 2023 ao Palácio do Planalto, em Brasília (DF), …

Notícias - 18/07/2024

Artista inclui forno de pizza em sua exposição

Um artista contemporâneo e multifacetado, Eli Russell Linnetz apresenta a exposição MONUMENTS na Jeffrey Deitch Gallery. Ele quebra as barreiras …

Notícias - 17/07/2024

14ª Bienal do Mercosul já tem nova data definida

A 14ª Bienal do Mercosul irá acontecer entre 27 de março a 01 de junho de 2025. A mostra, que …

Notícias - 17/07/2024

Cientistas reproduzem cheiro de obra-prima de Da Vinci. Mas como é este cheiro?

Qual seria o cheiro da Dama com Arminho (ca. 1489–91) de Leonardo da Vinci? Tinta e verniz velhos? Um depósito …

Notícias - 17/07/2024

Entenda porque pintura de Cristo como um personagem dos 'Looney Tunes' causou alvoroço

Uma pintura representando Jesus Cristo como um personagem dos Looney Tunes causou alvoroço durante uma competição de arte em Sydney. …

Notícias - 17/07/2024

Comitiva visita Foz do Iguaçu consolidar construção da filial do Centro George Pompidou

Uma comitiva do Centro Nacional de Arte e Cultura George Pompidou, de Paris, França, fez uma visita técnica institucional na …

Notícias - 16/07/2024

Um tubo de metal exposto em museu polonês é uma cápsula do tempo de 150 anos

Por décadas, um tubo de metal descoberto em uma rua na Polônia ficou intocado em um museu. Um estudo recente …

Notícias - 16/07/2024

Escultura da Virgem Maria dando à luz foi decapitada

Uma escultura representando a Virgem Maria dando à luz Jesus foi decapitada na Catedral de Santa Maria em Linz, Áustria, …

Notícias - 16/07/2024

O que significam estas esculturas de homens sem partes do corpo?

Entre a 34th Street e a 38th Street ao longo da Park Avenue de Manhattan, várias esculturas figurativas de bronze …