Manuscrito de Van Gogh é destruído em pedaços

Annie Slade-Jones, proprietária de Van Gogh em Isleworth Foto: cortesia do Museu Van Gogh, Amsterdã

Seis páginas de poemas e textos copiados por um jovem Vincent van Gogh escrito para uma mulher de Isleworth, no Reino Unido, foram tratados como se fossem relíquias de um santo medieval: cortados e distribuídos a vários proprietários. Uma tesoura foi usada para desmembrar o manuscrito, cortando-o em pedaços, na tentativa de maximizar seu valor financeiro.

Esse ato de vandalismo moderno significa que os textos de Van Gogh foram separados, com fragmentos espalhados entre coleções particulares desconhecidas. Como ele escreveu nos dois lados de três folhas, os poemas no verso são cortados no meio.

A Art Newspaper pode revelar que metade dos textos de Van Gogh acabaram no Getty Research Institute, em Los Angeles, uma parte ilesa desse escândalo.

As páginas estavam contidas em um álbum com capa de couro que originalmente pertencia a Annie Slade-Jones, proprietária desses poemas de Van Gogh em Isleworth, no oeste de Londres. Seu marido, o reverendo Thomas Slade-Jones, administrava uma escola e Van Gogh, então com 23 anos, morava lá enquanto trabalhava como professor de outubro a dezembro de 1876, depois de ter sido demitido como assistente de revendedor de arte.

A segunda das seis páginas de Van Gogh no álbum, fotografada na década de 1970 antes de ser cortada

A segunda das seis páginas de Van Gogh no álbum, fotografada na década de 1970 antes de ser cortada Foto: cortesia do Museu Van Gogh, Amsterdã

Vincent se deu bem com Annie, embora ela odiasse o cheiro do cachimbo onipresente dele. Em uma ocasião, ele disse a seu irmão Theo, que lhe deu violetas perfumadas: “Comprei algumas para a Sra. Jones para compensar o cachimbo que fumo aqui de vez em quando, principalmente no final da tarde no parque infantil. O tabaco aqui é bastante forte.”

Annie recebeu o álbum em seu aniversário de 16 anos em 1855. Durante o resto da vida, convidou amigos íntimos para escrever neste precioso volume, com a última anotação adicionada poucos meses antes de sua morte em 1923, aos 86 anos. Ao todo, existem 180 páginas de escrita, de 60 amigos.

A contribuição de 5.000 palavras de Van Gogh foi uma das mais longas. Seus textos vieram de fontes publicadas: poesia, passagens da Bíblia, hinos e escritos literários. Eles estavam em holandês, inglês, francês ou alemão – evidência de suas habilidades linguísticas. Numa sétima página, colou uma impressão do Cristo de  no Monte das Oliveiras (1855), de Paul Delaroche.

Outra mão, provavelmente a de Annie, escreveu a lápis no final da última página de seu texto: “Vincent Van Hoch” [ sic ]. Sem essas palavras escritas a lápis, os descendentes de Annie provavelmente nunca teriam percebido que os textos foram escritos por seu jovem inquilino holandês.

Trabalho de detetive

O Art Newspaper rastreou o que aconteceu com o álbum de Annie. Passou para a neta, Constance Violet Slade-Jones, que morreu em 1986. No final da vida, Constance deu o álbum a um parente, o dramaturgo Francis Sewell Stokes.

Stokes tentou leiloar o álbum na Sotheby’s em Londres em 1977 e novamente no ano seguinte, mas mesmo com as páginas de Van Gogh, não conseguiu vender. Após sua morte em 1979, seus herdeiros a ofereceram novamente na Sotheby’s em 1980. Desta vez, foi vendido – por apenas 550 libras. John Wilson, um revendedor de autógrafos de Oxford, comprou em nome de um revendedor estrangeiro.

Em algum momento no final dos anos 80, uma pessoa não identificada removeu as páginas de Van Gogh do álbum e cortou os textos individuais. Uma folha de frente e verso e quatro fragmentos, representando metade do texto, foram posteriormente comprados por Alistair McAlpine, um lorde britânico que montou uma coleção eclética de objetos que variam de uma pintura de Rothko a um pênis de dinossauro. Em 1986, McAlpine vendeu grande parte de sua coleção de manuscritos para o Getty Museu, incluindo os textos de Van Gogh, através do revendedor americano Kenneth Rendell. Esses fragmentos de Van Gogh foram então avaliados em US$ 9.000.

Os curadores do Getty sabiam que os textos haviam sido escritos por Van Gogh, mas não perceberam que tinham vindo do álbum de Annie. O material não foi ilustrado on-line pela Getty e só foi consultado por sete pessoas nos últimos 20 anos. Os curadores do Museu Van Gogh, em Amsterdã, não sabiam que os textos acabaram no Getty.

Fonte/tradução: The Art Newspaper

Compartilhar:
Notícias - 23/10/2020

Olafur Eliasson projeta 'nossas perspectivas glaciais' como um instrumento astronômico

Artista Olafur Eliasson revela sua última obra de arte pública permanente, ‘nossas perspectivas glaciais’, ao longo da geleira hochjochferner do …

Notícias - 23/10/2020

Pintura de Klimt roubada - enterrada por 20 anos - volta a ser exibida em museu italiano

Descoberto pelo jardineiro da galeria Ricci Oddi no ano passado, o Retrato de uma Senhora será a estrela de uma …

Notícias - 23/10/2020

Vândalos atacaram 70 obras de arte em museus de Berlim em plena luz do dia

Um líquido oleoso foi derramado sobre muitas obras no que foi considerado o pior ataque à arte e antiguidades na …

Notícias - 23/10/2020

Guerra declarada entre museu e herdeiros de Piet Mondrian para recuperação de pinturas no valor de US$ 200 milhões

Como parte de um esforço contínuo de anos para recuperar os direitos de propriedade de várias pinturas criadas pelo modernista …

Notícias - 23/10/2020

Pintura de Jacob Lawrence, desaparecida há décadas, foi encontrada de forma inusitada

O painel do renomado artista negro, parte de sua série “Struggle”, foi visto pela última vez em 1960. Mas alguém …

Notícias - 21/10/2020

SESC SÃO PAULO EM NOVA ETAPA, RETOMADA GRADUAL CONTEMPLA EXPOSIÇÕES, BIBLIOTECAS E EXIBIÇÃO DE FILMES NO CINESESC

 O anúncio da aguardada Fase Verde, a penúltima e mais branda de uma  escala de cinco etapas do Plano São …

Notícias - 16/10/2020

Instituição coloca à venda pintura de David Hockney em meio a tensões financeiras

Na semana passada, a Royal Opera House de Londres anunciou planos de vender o Retrato de Sir David Webster de …

Notícias - 16/10/2020

Itáu Cultural reabre com mostras de Sandra Cinto e ocupação de Rino Levi

O Itaú Cultural (IC) retomou a partir de terça-feira (13) suas atividades presenciais. Neste momento, o público pode visitar as …

Notícias - 16/10/2020

Marina Abramović terá a primeira obra de arte de realidade mista vendida em leilão

Marina Abramović é uma das artistas contemporâneas mais conhecidas do mundo, mas muito de seu trabalho é efêmero: performances que …

Notícias - 16/10/2020

Juíza anuncia nova decisão sobre caso Inhotim e surpreende

O instituto assinou um acordo em 2016 para doar 20 obras de seu acervo ao governo, a fim de reembolsar …

Notícias - 16/10/2020

Como obras redescobertas de velhos mestres vêm de destacando em leilões com números extraordinários?

A Christie’s realizará seu leilão de Velhos Mestres durante as vendas clássicas da semana na sede do Rockefeller Center. Ao …

Notícias - 16/10/2020

Escultura de Medusa nua vira símbolo do movimento #meetoo e causa polêmica

Na maioria dos casos de violência sexual, sempre se pergunta à vítima: ‘Bom, o que você fez para provocá-lo?’ Questões …