Homem que comprou Rothko pela Sotheby’s usando uma identidade roubada é condenado

Mark Rothko, Untitled, 1964

O homem da Flórida que comprou um Rothko da Sotheby’s usando uma identidade roubada foi condenado recentemente a 4,5 anos de prisão.

O designer de interiores Antonio diMarco foi condenado por conspiração por cometer fraude eletrônica na compra de arte em galerias, casas de leilão e colecionadores, usando os documentos de seus ricos clientes.

Em um leilão da Sotheby’s em Nova York em novembro de 2017, DiMarco e um associado identificado pelo FBI como consultor de arte Joakim von Ditmar usaram a identidade de um rico aposentado octogenário de Bal Harbour para fazer os lances vencedores em uma pintura sem título de Mark Rothko, vendida por US$ 6,4 milhões, e uma pintura de Ad Reinhardt intitulada nº 12 , por US$ 1,2 milhão. No momento do leilão, DiMarco e Von Ditmar apresentaram à Sotheby’s as informações do passaporte e da conta bancária do aposentado, além de documentos falsificados indicando que ela havia autorizado o par a fazer lances em seu nome. “Nossas discussões com os compradores levantaram suspeitas e preocupações significativas com o cliente idoso que eles pretendiam representar e achamos que era necessário entrar em contato com o FBI”, disse a Sotheby’s ao Sun Sentinel, em 2018.

De acordo com uma declaração feita pelo Ministério Público dos EUA no Distrito Sul de Nova York, DiMarco e Von Ditmar continuaram a tentar comprar arte fraudulentamente após esse leilão até pelo menos outubro de 2018. Eles usaram uma variedade de métodos, incluindo a apropriação da identidade das vítimas e “criação e apresentação uma série de documentos fraudulentos”. Durante um período de quase um ano, a dupla tentou comprar obras de arte de aproximadamente 20 galerias e colecionadores em todo o mundo, nunca pagando pelas obras, mas chegando ao ponto de acordos de venda concluídos para “mais de 60 obras de arte que totalizam mais de US$ 150 milhões”, de acordo com o Ministério Público dos EUA. Entre eles, peças de Pablo Picasso, Edward Hopper e Henri Matisse, este último avaliado em US$ 16,5 milhões.

“Antonio DiMarco foi um vigarista e enganador em série que roubou as identidades das pessoas, colocou ofertas vencedoras em obras de arte de renome que ele não podia pagar e fraudou credores e seguradoras com falsas reivindicações de propriedade”, diz o procurador dos EUA Geoffrey S. Berman em comunicado. “Como o Tribunal observou hoje, DiMarco mentiria para qualquer um se isso se adequasse aos seus interesses.”

Além de sua sentença de prisão, DiMarco foi condenado a pagar US$ 2,4 milhões em restituição àqueles que fraudou. O advogado de Von Ditmar se recusou a comentar, e não ficou claro quem representou DiMarco.

Fonte e tradução: The Art newspaper

Compartilhar:
Notícias - 15/10/2021

Ruas de São Luís recebem performances

Quando corpo e rua se encontram, muitas histórias podem ser contadas e, mais do que isso, podem ser sentidas e …

Notícias - 15/10/2021

Centro do Rio ganha novo espaço de arte

Os cariocas e o Centro do Rio de Janeiro ganham uma nova opção de cultura com conteúdo e lazer. Com …

Notícias - 12/10/2021

Projeto Latitude apoia participação de galerias brasileiras na Frieze London, FIAC Paris 2021 e SP-Arte 2021

Marcando presença em importantes feiras internacionais, cinco galerias brasileiras figurarão em dois eventos de grande prestígio no mês de outubro, …

Notícias - 12/10/2021

Leilão de fotos em NFT destinará arrecadação para ações do SOS Pantanal

Até o dia 16/10 ocorre, virtualmente, o primeiro leilão de fotos em NFT 100% beneficente para ajudar em ações de …

Notícias - 12/10/2021

Museu em Roterdã inaugura ambicioso projeto e abre sua reserva técnica para visitação

O Depot [depósito] Boijmans Van Beuningen deve abrir suas portas no dia 6 de novembro de 2021 – tornando toda …

Notícias - 08/10/2021

Sotheby's anuncia obra prima de Botticelli em leilão

 

Primeiro, em julho de 2019, houve o especulativo Retrato de um Jovem, catalogado como “No estilo de Botticelli”, que foi …

Notícias - 08/10/2021

Feira em Dubai é acusada de censurar "Davi", de Michelangelo

Uma cópia impressa em 3D do David de Michelangelo está no centro da controvérsia em Dubai, onde expositores obscureceram os …

Notícias - 06/10/2021

Descoberta versão casta da "Madonna" de Munch

Na década de 1890, a representação erótica da Madona por Edvard Munch, retratada com as mãos levantadas atrás das costas …

Notícias - 06/10/2021

Mercado de arte contemporânea se recupera com quase três bilhões em vendas no último ano

O mercado de arte contemporânea arrecadou um recorde de US $ 2,7 bilhões em vendas entre junho de 2020 e …

Notícias - 06/10/2021

Inhotim apresenta obra de Rivane Neuenschwander nas ruas de Belo Horizonte

As ruas de Belo Horizonte foram tomadas por retratos, desenhos daqueles que ocuparam o posto de primeiro amor na vida …

Notícias - 01/10/2021

Artista gera polêmica ao receber verba e devolver telas em branco para museu

O artista Jens Haaning causou polêmica ao enviar telas em branco para o museu de arte na Dinamarca. A nova …

Notícias - 01/10/2021

Após mostras de Van Gogh, vem aí a experiência imersiva de Frida Kahlo

As experiências de imersão de Vincent van Gogh acontecidas recentemente nos Estados Unidos (VEJA AQUI) atraíram milhões de visitantes em …