Fotos sensuais de Georgia O’Keeffe feitas por seu amante revelam sua vulnerabilidade

Alfred Stieglitz, Georgia O’Keeffe–Hand and Breasts, 1919. Foto: Cortesia Alfred A. Knopf.

A introdução de Georgia O’Keeffe ao mundo da arte não foi através de suas pinturas icônicas de flores e paisagens desérticas – mas através de suas fotografias feitas por outro artista de seu corpo nu. No inverno de 1921, Alfred Stieglitz exibiu suas fotos eróticas de O’Keeffe na Anderson Galleries de Nova York, com os seios nus, o tronco magro e suas mãos expressivas à mostra.

“Fotografias marcadas por essa intimidade nunca haviam sido vistas em público. Elas pareciam contar uma história traçando o crescimento da afeição do casal”, escreve Carolyn Burke em seu novo livro, Foursome (2019), que traça as complexas relações entre Stieglitz e O’Keeffe, bem como o casal de artistas Rebecca Salsbury e Paul Strand.

Georgia O’Keeffe

Alfred Stieglitz, Georgia O’Keeffe, 1918 (Georgia O’Keeffe” at Tate Modern, London). Cortesia de Alfred A. Knopf.

Embora as fotografias de Stieglitz tenham encontrado um público bem-vindo entre espectadores masculinos – alguns até pediram a Stieglitz que fotografasse suas esposas – as avaliações dos críticos foram divididas: as imagens eram obscenas ou inovadoras, primitivas ou engenhosamente refinadas. A série inspirou Strand, um jovem fotógrafo na época, a capturar sua própria amante, Salsbury, em filme; os dois casais estavam romântica e esteticamente entrelaçados nas décadas subsequentes.

Um século depois, os quadros de Stieglitz permanecem com nuances de representações da relação entre artista e musa. Mas eles também expõem a vulnerabilidade de uma das pintoras mais famosas da América quando ela estava descobrindo seu próprio talento.

Em 1º de janeiro de 1916, aniversário de 52 anos de Stieglitz, o artista recebeu desenhos de carvão de O’Keeffe de 28 anos em sua galeria em Manhattan, 291. O’Keeffe, que era professora de arte na Columbia College na Carolina do Sul na época, demonstrou ambição significativa, ao alistar sua amiga, a fotógrafa Anita Pollitzer, para levar os desenhos à galeria para revisão – foi um movimento ousado para uma artista desconhecida apresentar trabalhos não solicitados diretamente ao próprio Stieglitz.

Georgia O'Keeffe, Drawing XIII, 1915. Image via Wikimedia Commons.

Georgia O’Keeffe, Drawing XIII, 1915. Foto: Wikimedia Commons.

 

Alfred Stieglitz, Georgia O'Keeffe-Torso, 1918. Cortesia de Alfred A. Knopf.

Alfred Stieglitz, Georgia O’Keeffe–Torso, 1918. Cortesia de Alfred A. Knopf.

Antes que eles se encontrassem pessoalmente, o erotismo da arte em si era parte integrante do relacionamento do casal. Desde o início, Stieglitz adorava as linhas de carvão sensuais de O’Keeffe, formando composições simples em ondulações, redemoinhos e dobras. “Eles são como se eu visse uma parte de mim”, ele proclamou. Mais tarde, suas fotografias dela ressoaram com essas obras. As curvas suaves e as formas biomórficas em seus primeiros carvões aparentados encontram seus ecos nas fotos em close de seus cabelos escuros e esvoaçantes; as sombras ao longo do pescoço dela; e inclinação de seus seios.

No entanto, desde o início, as desigualdades afetaram seu relacionamento. Na primavera, Stieglitz estreou o trabalho de O’Keeffe sem sua permissão. Quando O’Keeffe descobriu, ela apareceu na galeria e exigiu que ele removesse seu trabalho de suas paredes. Para acalmá-la, Stieglitz levou-a para almoçar e O’Keeffe cedeu. Apesar de seu romance com o cientista político Arthur MacMahon, ela começou uma prolífica correspondência com Stieglitz; eles trocariam 25.000 páginas de cartas ao longo de seu relacionamento.

Georgia O'Keeffe - Pescoço

Alfred Stieglitz, Georgia O’Keeffe — Neck, 1921. Foto: The Metropolitan Museum of Art.

O próprio Stieglitz era casado com a herdeira da cervejaria Emmeline Obermeyer, embora continuasse a perseguir O’Keeffe depois que ela se mudou para o Texas (cartas da época mostram que ela continuou a escrever para MacMahon também). O’Keeffe e Strand – unidos pelo status de protegidos de Stieglitz – também estavam se tornando aconchegantes. Stieglitz até financiou uma viagem para que os dois viajassem juntos para San Antonio, onde fizeram arte e passearam pela cidade. O’Keeffe chegou a pensar em morar com Strand, mas finalmente achou o jovem fotógrafo desamparado e exasperado.

Mais do que tudo, O’Keeffe queria a liberdade de pintar. Em junho de 1918, sofrendo uma doença estranha, ela deixou o sudoeste de Nova York e mudou-se para um apartamento com Stieglitz. “Alfred passava cada dia no estúdio, emocionado por ser o guardião de sua mulher dos sonhos, cuja saúde frágil a tornava dependente dele”, escreve Burke. Uma dinâmica de poder complexa e desequilibrada estava evoluindo. Stieglitz, que já era a empresária de O’Keeffe, agora também era sua cuidadora e hoteleira.

Por todas as contas, no entanto, O’Keeffe estava tão entusiasmada com Stieglitz quanto ele por ela. Enquanto morava com ele, ela pintou nus, então, de bom grado, tornou-se modelo de Stieglitz. No entanto, de acordo com Burke, os dois não consumaram o relacionamento por meses: Stieglitz era casado e O’Keeffe ainda era frágil. “Durante esse tempo, Stieglitz tomou posse de sua amada com sua câmera”, escreve Burke. As imagens, então, revelam o que aconteceu entre os dois – intimidade, confiança, contemplação – como o que não aconteceu: o próprio sexo. Frustração sexual provou frutífero para ambos os esforços artísticos deles / delas.

Alfred Stieglitz, Georgia O: Keeffe: A Portrait (1), 1918. Fotografia © Museu de Belas Artes, Boston.

Alfred Stieglitz, Georgia O’Keeffe: A Portrait (1), 1918. Foto: © Museum of Fine Arts, Boston.

Fonte: Artsy

Compartilhar:
Notícias - 12/04/2021

FAMA Museu lança edital para exposições no espaço

A fim de incentivar a produção artística contemporânea e valorizar a diversidade cultural por meio da multiplicidade de expressões artísticas …

Notícias - 09/04/2021

Inhotim e Arte1 firmam parceria para exibição da série Diálogos

Duas instituições voltadas para a arte acabam de se unir para disseminar conteúdos de qualidade para o público. O Instituto …

Notícias - 08/04/2021

Conheça Bruna Pessoa de Queiroz, presidente da “Usina da Arte”

Ancorada numa tradição cultural “artistocrática”, a família Pessoa de Queiroz revive desde 2015 uma antiga fábrica de cana-de-açúcar perto do …

Notícias - 08/04/2021

Galeria Nara Roesler representa o Brasil na EXPO CHGO ONLINE

Com o apoio do projeto Latitude – Platform for Brazilian Art Galleries Abroad, uma parceria da ABACT (Associação Brasileira de …

Notícias - 08/04/2021

INSTITUTO TOMIE OHTAKE ABRE AS INSCRIÇÕES PARA O 5º PRÊMIO TERRITÓRIOS

Iniciativa idealizada e coordenada pelo Instituto Tomie Ohtake, com patrocínio da Estácio e do Grupo GPS, em parceria com o …

Notícias - 07/04/2021

Conheça o jovem que saiu da Vila Vintém para defender o acesso à cultura em Boston

Como já vem sendo feito há alguns anos, a Brazil Conference at Harvard & MIT 2021, evento criado por …

Notícias - 07/04/2021

Nova galeria de arte vende obras com o tema "identidade"

Inaugurada no mês de celebração ao Dia Mundial das Mulheres, a Pequena Galeria apresenta cinco artistas mulheres de diferentes regiões …

Notícias - 06/04/2021

Obras de Antony Gormley colocadas na praia dividem opiniões

Esperava-se que incentivassem a apreciação da arte contemporânea. Mas, em vez disso, quatro esculturas de ferro de Antony Gormley parecem …

Notícias - 06/04/2021

National Gallery cria sua primeira mostra projetada para telefones celulares

A National Gallery apresentará sua primeira exposição projetada para telefones celulares, permitindo que as pessoas vivenciem com detalhes incríveis uma …

Notícias - 06/04/2021

Visitas aos 100 principais museus e galerias do mundo caem 77% devido a Covid

O número de visitantes nos 100 principais museus e galerias de arte do mundo caiu 77% no ano passado, de …

Notícias - 05/04/2021

Exposição artística mais extensa do mundo é realizada no Caminho de Santiago

“Las Estrellas del Camino” é uma exposição permanente com curadoria de Estrella Galicia e realização da agência AUPA!. A mostra …

Notícias - 05/04/2021

Inscrições para a ArtRio 2021 prorrogadas até 30 de abril

As inscrições para as galerias que desejam participar da 11ª edição da ArtRio foram prorrogadas até o dia 30 de …