Famoso museu americano cancela mostra em meio a polêmica dos próprios artistas em exposição

Whitney Museum of American Art planejou mostrar  uma exposição de respostas artísticas à pandemia do coronavírus e demonstrações do movimento Black Lives Matter logo após a reabertura. Mas o museu reverteu o curso no mês passado, cancelando seus planos depois que vários artistas negros incluídos na mostra criticaram publicamente o Whitney por adquirir suas obras sem consentimento e por meio de vendas com desconto destinadas a beneficiar instituições de caridade de justiça racial.

Os artistas disseram que não era justo adquirir as obras da forma como o museu fez – dizendo que o museu deveria compensar os artistas adequadamente se eles quisessem adquirir suas obras, especialmente em um momento em que os artistas precisam de dinheiro por causa da pandemia.

Na quinta-feira, mais de 45 dos 80 artistas da exposição divulgaram uma carta pedindo que o museu “se comprometa com um ano de ação” para produzir mudanças significativas, reformando suas diretrizes éticas para aquisições e reconsiderando seu papel em um momento político carregado .

“Esses desastres nascem do sistema quebrado que sustenta todas as nossas vidas e instituições”, continua a carta. “As maneiras pelas quais você adquiriu nosso trabalho e planejou mostrá-lo, sem conversa ou consentimento de muitos dos artistas incluídos, demonstra uma profunda desvalorização de nosso trabalho e negação de nossa existência.”
Os curadores de Whitney embarcaram em uma turnê de escuta com muitos dos artistas prejudicados em relação à exposição, chamada de Ações coletivas: intervenções artísticas em tempos de mudança, para curar divisões. “Nas últimas três semanas, falamos pessoalmente com cada um dos artistas para reconhecer suas preocupações e tivemos conversas produtivas com muitos deles”, escreveu Scott Rothkopf, vice-diretor sênior e curador-chefe do museu, em um e-mail na quinta-feira para O jornal New York Times.

“Reconhecemos as questões levantadas e estamos empenhados em continuar este diálogo e fazer mudanças positivas para o futuro”, acrescentou.

De acordo com vários signatários, a redação da carta foi um processo colaborativo que ocorreu nas últimas três semanas com os artistas Kara Springer, Chiara No e Field Harrington liderando a iniciativa.

Após meses de protestos em todo o país contra a injustiça racial, os museus têm enfrentado uma avaliação de suas políticas de equidade e diversidade. A pressão interna no Guggenheim recentemente levou à criação de um plano de dois anos para lidar com as acusações de racismo institucional em suas ações. Medidas semelhantes estão supostamente nas obras do Museu de Arte Moderna, onde 229 funcionários assinaram uma carta em julho que expressava preocupação com os procedimentos de reabertura da instituição e o que consideravam a inércia do museu nos prometidos esforços anti-racismo.

O que permanece obscuro para os artistas envolvidos na disputa de Whitney é se Ações Coletivas algum dia será exibida em suas galerias. Alguns artistas gostariam de ver a exposição montada como um testemunho dos avanços que o Whitney deve dar para melhorar suas políticas.

“O museu tem um ano para prestar contas do que foi feito”, disse a artista Chiara No. “Há um crescimento que precisa acontecer e ter a exposição pode dar transparência a esse trabalho.”

Compartilhar:
Notícias - 11/01/2021

Artista mineira Marina Amaral entra para lista da Forbes

A colorista mineira Marina Amaral entrou para a lista da Forbes dos jovens mais influentes do ano.  A Under 30 …

Notícias - 11/01/2021

Iphan e Polícia Federal resgatam material arqueológico no Acre

Na manhã do dia 5 de janeiro, uma ação conjunta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no …

Notícias - 11/01/2021

Exposição do estilista Tomo Koizumi inicia o Departamento de Moda, Design e Arquitetura da Fundação Iberê

Em 2021, a Japan House São Paulo (JHSP) vai expandir sua presença pelo Brasil, por meio de um projeto de …

Notícias - 11/01/2021

Pinacoteca de São Paulo divulga programação de 2021

 

Em 2021, a Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, …

Notícias - 28/12/2020

Os universos díspares da Rússia contemporânea pelas lentes de Serguei Maksimishin em “O Último Império”

A exposição “O Último Império – Serguei Maksimishin”, que esteve no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, entre dezembro de …

Notícias - 20/12/2020

Consciência diante do perigo: as representações do medo ao longo da História da Arte

Quando Susan Sontag fala que fotografia é sobre dor, ela fala sobre Arte. Quando Susan afirma que “fotos são um …

Notícias - 19/12/2020

São Paulo ganha mural em homenagem às comunidades indígenas afetadas pela pandemia

As Nações Unidas e a ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 4-Amarela, em São Paulo, se unem …

Notícias - 18/12/2020

Farol Santander abre hoje mostra do artista chileno Iván Navarro

Abre hoje, 18 de dezembro, no Farol Santander São Paulo, a exposição ExFinito, primeira grande mostra individual no país do …

Notícias - 17/12/2020

Conheça os 91 projetos selecionados do Rumos Itaú Cultural 2019/2020

A Dasartes participou na última quarta-feira, 16 de dezembro, na coletiva de imprensa do Itaú Cultural, que anunciou os projetos selecionados …

Notícias - 17/12/2020

REGINA BONI ANUNCIA INAUGURAÇÃO DA GALERIA SÃO PAULO FLUTUANTE EM 2021

Para quem afrontou militares e a extrema direita em plena ditadura nos anos 60, não seria uma pandemia em escala …

Notícias - 17/12/2020

Itaú Cultural lança publicação com trabalhos de artes visuais selecionados em edital

No dia 15 de dezembro entrou no ar, no site do Itaú Cultural, www.itaucultural.org.br, uma publicação virtual que reúne as …

Notícias - 17/12/2020

CASA FIAT DE CULTURA DIVULGA SELECIONADOS PARA EXPOR NA PICCOLA GALLERIA

O 4º Programa de Seleção da Piccola Galleria da Casa Fiat de Cultura já tem os nomes dos artistas selecionados …