Estudo revela o despertar das mulheres surrealistas em leilões nos últimos 10 anos

Frida Kahlo, The Little Deer, 1946 | FOTO: Reprodução

Sabemos que na maioria dos movimentos artísticos históricos, há dezenas de mulheres cuja influência e trabalho foram negligenciados ou, no mínimo, desvalorizados. O movimento surrealista é um exemplo disso, tendo sido amplamente definido por artistas masculinos icônicos como Dali, Magritte e Miro.

Mas, recentemente, exposições, livros e artigos fizeram o trabalho de reencontrar a participação feminina no Surrealismo e rever as narrativas que permitiram este apagamento. No entanto, à medida que a História da Arte é repensada – e até revisada – o mercado de arte reflete essa nova valorização crítica? E em caso afirmativo, quanto tempo demora a recuperar o atraso?

Uma colaboração entre O Morgan Stanley e a Artnet News, usando o Artnet Price Database, analisou o mercado de arte para obras surrealistas vendidas em leilão de 2013 a 2023, usando dados de leilões e analisando seus preços e taxas de venda (lotes vendidos contra lotes oferecidos, menos retiradas). Embora os dados para homens e mulheres surrealistas ao longo do tempo não possam oferecer conclusões ou previsões firmes, eles podem apresentar uma visão mais completa de como essa categoria mais recente e muito falada está se desenvolvendo de uma perspectiva de mercado.

Nos últimos anos, uma proliferação de grandes exposições colocou as mulheres surrealistas na frente e no centro e encontrou uma resposta popular maciça. Exemplos incluem “Mulheres, Surrealismo e Abstração”, de 2020, no Museu de Arte Nora Eccles Harrison; “Meret Oppenheim: My Exhibition” no MoMA (2022) “Surrealism Beyond Borders” de 2022 no Met,que mais tarde viajou para a Tate Modern; o “Surrealismo e Magia: Modernidade Encantada”, de 2022, na Coleção Peggy Guggenheim, em Veneza; e “Remedios Varos: Science Fictions” de 2023 no Art Institute of Chicago.

No entanto, a redescoberta das mulheres surrealistas remonta à década de 2010, com a mostra histórica de 2012 no LACMA “No País das Maravilhas: As Aventuras Surrealistas de Mulheres Artistas no México e nos Estados Unidos”. Além disso, em 2015, o Jardim Botânico do Bronx foi palco da popular exposição “Frida Kahlo: Arte, Jardim, Vida”. Também vale a pena notar que o redesenho do MoMA, concluído em 2019, viu a inclusão de muito mais mulheres surrealistas em sua coleção permanente. [12] Naquele mesmo ano, multidões se reuniram para uma retrospectiva sobre Dorothea Tanning na Tate Modern.

Que efeitos essas tentativas de ressignificar as mulheres surrealistas tiveram em seu desempenho no mercado secundário?

O mercado também foi fundamental para o desenrolar dessa história. Em 2012, Le Miroir (1950), de Dorothea Tanning, foi vendido na Christie’s por £ 217.250, um recorde para a artista na época. Então, em 2014, Le Passage (1956), de Kay Sage, foi vendido por US$ 7 milhões em um leilão da Sotheby’s, mais de 23 vezes seu recorde anterior de leilão. A Sotheby’s pareceu responder a esse interesse montando a exposição “Cherchez la femme: Women and Surrealism” em 2015. [16]

No que diz respeito ao mercado, parece claro que o interesse por mulheres surrealistas tem aumentado constantemente ao longo dos anos. Em 2013, o preço médio de venda de uma obra de uma mulher surrealista foi de US$ 35.098, em comparação com a média surrealista masculina de US$ 72.273. Enquanto o preço médio de venda para artistas homens tem suas quedas e ressurgimentos, com um preço médio baixo de US$ 54.505 em 2016 e uma alta de US$ 97.972 em 2017, as mulheres surrealistas veem sua média mais modesta subir constantemente ao longo do tempo, com um grande salto em 2021, para US$ 167.263, antes de se estabelecer em US$ 84.339 no ano seguinte. Até outubro de 2023, embora o período de dados não inclua as vendas nos principais leilões de novembro em Nova York, o preço médio de venda para mulheres surrealistas era de até US$ 95.376, superando a média surrealista masculina de US$ 59.183.

Com US$ 4,26 bilhões em vendas nos últimos dez anos, o volume total de vendas para surrealistas masculinos supera em muito o de surrealistas mulheres, que arrecadaram US$ 252 milhões. No entanto, parece que as mulheres estão acelerando, depois de superar seus colegas homens em preço médio em leilão em 2014, e mais do que dobrando seu número em 2021. Foi também em 2021 que a primeira artista mulher chegou ao top 20 dos lotes surrealistas, quando Diego y yo (1949), de Frida Kahlo, foi vendida por US$ 34,9 milhões, marcando o terceiro preço mais alto para uma peça surrealista em leilão durante o período e a obra mais cara já vendida por uma artista latinoamericana. Notavelmente, essa alta também supera em muito o preço recorde de leilão de seu marido Diego Rivera, de US$ 14,13 milhões, realizado em uma venda da Christie’s em 2022 para a peça The Rivals (1931). É certo que o valor total de vendas dos surrealistas masculinos em leilão continua a superar em muito o das mulheres surrealistas, chegando a US$ 561 milhões em 2022, contra a marca de US$ 62,05 milhões para as mulheres em 2021.

Esses totais de leilões também devem ser contextualizados pelo número de lotes ofertados. Nos últimos dez anos, os surrealistas homens tiveram cerca de 80.864 lotes colocados em leilão, em comparação com 3.908 lotes surrealistas de artistas mulheres no mesmo período. Com o crescente interesse em mulheres surrealistas, pode-se ver mais trabalhos delas entrando em circulação no mercado.

A história do mercado de surrealistas femininas ainda está em desenvolvimento, com exemplos na temporada de leilões do outono de 2023 em Nova York, incluindo a venda especializada da Bonhams “Surrealism: Beyond Reality” em 15 de novembro com obras de grandes mulheres surrealistas, incluindo Leonor Fini, Leonora Carrington, Remedios Varo, Rachel Baes e Jane Graverol, bem como surrealistas masculinos notáveis, incluindo Salvador Dali, Rene Magritte, Jean Cocteau, Man Ray e Andre Masson. [21]

Além disso, a influência do movimento surrealista, e de suas artistas mulheres, parece longe de desaparecer. De fato, à medida que as mulheres surrealistas ganham mais estatura crítica e de mercado, parece ser cada vez mais evidente que elas moldaram uma nova geração de artistas ultracontemporâneos. Alguns dos artistas ultracontemporâneos mais procurados – muitos deles mulheres – têm fortes laços estéticos com o movimento surrealista, de Emily Mae-Smith a Julie Curtiss. Somente esses dois artistas venderam um total de US$ 22.797.522 de 2013 a 2023, com preço médio notável por leilão e taxas de venda de US$ 202.396 e 88%, e US$ 221.278 e 91%, respectivamente.

Esses artistas de tendência surrealista não só podem ser interpretados como queridinhos do mercado, como estão bem representados em algumas das principais mostras da temporada.

Parece que enfim a mulher surrealista despertou do sonho, e o mercado também está acordado, apreciando seu trabalho e acompanhando de perto seu valor.

Compartilhar:
Notícias - 22/02/2024

Grada Kilomba e Paulo Nazareth integram a programação de Inhotim em 2024

O ano de 2024 traz um novo programa artístico no Inhotim. A instituição reformula suas exposições de arte e projetos …

Notícias - 21/02/2024

feira de arte ArPa apresenta curadores de sua terceira edição

Após dois anos de realização bem-sucedida e reconhecida pelo mercado, a feira de arte ArPa chega a sua terceira edição …

Notícias - 21/02/2024

Museu Britânico é inundado de pedidos por devolução de uma escultura da Ilha de Páscoa

A conta do Instagram do Museu Britânico recebeu, no fim de semana, uma enxurrada de mensagens pedindo o retorno de …

Notícias - 21/02/2024

"Não sou um pintor", veja poema de Michelangelo sobre como foi torturante pintar a Capela Sistina

Michelangelo pode ter se imortalizado pintando o teto (e a parede do altar) da Capela Sistina, mas quebrou a coluna …

Notícias - 20/02/2024

Conheça os vencedores do People's Choice para Fotógrafo de Vida Selvagem

O Prêmio People’s Choice para Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano, patrocinado e desenvolvido pelo Museu de História Natural de …

Notícias - 20/02/2024

UNESCO revela 341 centros culturais danificados na Ucrânia com prejuízo de US$ 9 bilhões

Em Abril passado, a UNESCO informou que 248 locais históricos na Ucrânia foram danificados durante a invasão da Rússia em …

Notícias - 20/02/2024

Bolsa IAC de Formação e Pesquisa abre edital de arte e cultura para pesquisadores

O Instituto de Arte Contemporânea lança a segunda edição da Bolsa IAC de Formação em Pesquisa com a intenção de …

Notícias - 20/02/2024

Representação sexy de Jesus gera debate acalorado na Espanha

Uma imagem criada para a Semana Santa vem causando polêmica na Espanha: Jesus é retratado na imagem com traços faciais …

Notícias - 20/02/2024

Impressionante: IA decifra texto de pergaminho de 2 mil anos queimado durante erupção do Monte Vesúvio

A escrita grega em de um pergaminho de 2.000 anos queimado durante a erupção do Monte Vesúvio em 79 dC …

Notícias - 20/02/2024

Veja por onde anda a obra roubada e devolvida de Van Gogh

Uma pintura antiga de Vincent van Gogh que foi roubada e entregue a um detetive de arte holandês em uma …

Notícias - 19/02/2024

Decolou! Foguete SpaceX envia esculturas de Jeff Koons para a lua

Depois de muitos atrasos, 125 esculturas de Jeff Koons foram finalmente enviadas à Lua na manhã de 15 de fevereiro, …

Notícias - 19/02/2024

Conheça a única pintura que Van Gogh vendeu em vida

Vincent van Gogh é o exemplo por excelência do artista torturado que sofreu a penúria durante sua vida, apenas para …