Detetive descobre ponto exato do último trabalho de Van Gogh, pintado algumas horas antes de suicídio

As raízes da árvore de Vincent van Gogh (1890) Cortesia do Museu Van Gogh, Amsterdã (Fundação Vincent van Gogh)

O local – em uma vila ao norte de Paris – agora tem uma placa ligando-o à morte de Van Gogh

O local exato onde Vincent van Gogh estava pintando apenas algumas horas antes de se matar foi encontrado. A imagem, Tree Roots, foi identificada como seu último trabalho há alguns anos atrás. Agora, um cartão postal antecipado tornou possível identificar o local.

Esta semana, Willem van Gogh, bisneto do irmão do artista, Theo, e a diretora do Museu Van Gogh, em Amsterdã, Emilie Gordenker, apresentaram formalmente uma placa em Auvers-sur-Oise, vila ao norte de Paris, onde o artista morreu em 29 de julho de 1890.

A presença deles demonstra que tanto a família quanto o museu acreditam que é altamente plausível que o local da última pintura tenha sido finalmente encontrado. Essa descoberta poderia lançar uma nova luz sobre a trágica morte de Van Gogh.

O trabalho de detetive começou em 2012, quando o pesquisador sênior do museu Louis van Tilburg e o especialista em vegetação Bert Maes identificaram as raízes das árvores como a última pintura de Van Gogh. A evidência mais importante veio de um artigo obscuro e sem assinatura de Andries Bonger, cunhado de Vincent. Em 1893, Bonger escreveu que “na manhã anterior à sua morte ele havia pintado uma vegetação rasteira, cheia de sol e vida”. A sugestão de que Tree Roots foi a última imagem derrubou a crença de longa data de que o campo de trigo simbolicamente carregado de corvos era o trabalho final.

Campo de Trigo de Vincent van Gogh com Corvos (1890) Cortesia do Museu Van Gogh, Amsterdã (Fundação Vincent van Gogh)

A última reviravolta na história é a localização dos restos das árvores reais. A descoberta foi feita por Wouter van der Veen, diretor científico do Instituto Van Gogh, uma organização ligada à Maison Van Gogh – o antigo Auberge Ravoux em Auvers, onde o artista morreu em 29 de julho de 1890.

Há quatro meses, Van der Veen estava olhando através de velhos cartões postais de Auvers quando viu um retratando um ciclista em uma estrada, com uma íngreme ladeira de árvores atrás. De repente, ele percebeu que parte da cena era estranhamente semelhante à de Tree Roots, a pintura no Museu Van Gogh de Amsterdã. Depois de comparar a pintura de 1890 e o cartão postal de 1900-10, ele ficou cada vez mais convencido de que eles retratavam a mesma fileira de árvores.

Um cartão postal intitulado Auvers-sur-Oise, Rue Daubigny (1900-10) Cortesia de @ arthénon

 

A pintura de Raízes das Árvores adaptada e parcialmente sobreposta ao cartão postal Cortesia de @ arthénon

Com as restrições da pandemia do coronavírus nas viagens, Van der Veen teve que esperar até maio, quando pôde dirigir para Auvers. O cartão postal se chama Rue Daubigny e, ao chegar à estrada, ele rapidamente conseguiu identificar o local, do lado de fora do número 48. Surpreendentemente, o maior tronco de árvore na pintura e no cartão postal ainda está lá.

A localização fica a apenas 150 metros da pousada de Van Gogh, a apenas dois minutos a pé. Embora gerações de especialistas e aficionados de Van Gogh tenham passado por lá, ninguém havia descoberto o link. Quando Van der Veen visitou em 15 de maio, os restos das árvores e raízes estavam cobertos principalmente por vegetação fresca. A encosta foi então parcialmente limpa, revelando o contorno rígido da raiz principal e do tronco representado na pintura.

Uma barreira protetora foi erguida para evitar danos e permitir que a vista seja apreciada pelos turistas em Auvers, que visitam o Auberge Ravoux (que reabrirá em março próximo após o fechamento do coronavírus) além dos túmulos dos gêmeos Vincent e Theo Van Gogh.

Uma fotografia do local, como foi descoberta originalmente, em 15 de maio de 2020 Cortesia de @ arthénon

Uma fotografia do local, após a remoção de vegetação recente, mas antes da construção de uma barreira protetora, em 30 de maio de 2020 Cortesia de @ arthénon

Van der Veen investigou o que aconteceu em 27 de julho de 1890, o dia em que Vincent morreu. Citando Bonger, ele acredita que Van Gogh começou sua pintura naquela manhã, neste local convenientemente próximo a sua pousada. Embora seja uma foto grande (com um metro de largura), o artista normalmente trabalhava muito rapidamente e provavelmente a terminaria naquela manhã.

Van Gogh voltou para a pousada para o almoço de domingo. Van der Veen acredita que o artista voltou à Rue Daubigny, acrescentando alguns refinamentos à pintura e retratando os efeitos da luz do final da tarde. Ele levou o trabalho quase concluído de volta para a estalagem.

Embora isso permaneça especulativo, ao retornar ao quarto de dormir, ele pode ter tomado a decisão fatal. Naquela noite, carregando um pequeno revólver, ele deixou a estalagem e caminhou até os campos de trigo nos limites da vila. Não foi assassinato, como alguns autores recentes afirmaram, mas suicídio. Van Gogh morreu dois dias depois.

Como Van der Veen explica: “Depois de trabalhar por horas em uma pintura que mostra uma preocupação com a luta incansável entre a vida e a morte, Van Gogh, sentindo-se sozinho e sem alternativa, decidiu encontrar seu descanso terrestre com o sol poente, a periferia da vila com vista para um campo de trigo recém-colhido. Quanto às raízes das árvores, Van der Veen a considera uma “nota de despedida pintada”.

Fonte e tradução: The Art Newspaper

Compartilhar:
Notícias - 09/04/2021

Inhotim e Arte1 firmam parceria para exibição da série Diálogos

Duas instituições voltadas para a arte acabam de se unir para disseminar conteúdos de qualidade para o público. O Instituto …

Notícias - 08/04/2021

Conheça Bruna Pessoa de Queiroz, presidente da “Usina da Arte”

Ancorada numa tradição cultural “artistocrática”, a família Pessoa de Queiroz revive desde 2015 uma antiga fábrica de cana-de-açúcar perto do …

Notícias - 08/04/2021

Galeria Nara Roesler representa o Brasil na EXPO CHGO ONLINE

Com o apoio do projeto Latitude – Platform for Brazilian Art Galleries Abroad, uma parceria da ABACT (Associação Brasileira de …

Notícias - 08/04/2021

INSTITUTO TOMIE OHTAKE ABRE AS INSCRIÇÕES PARA O 5º PRÊMIO TERRITÓRIOS

Iniciativa idealizada e coordenada pelo Instituto Tomie Ohtake, com patrocínio da Estácio e do Grupo GPS, em parceria com o …

Notícias - 07/04/2021

Conheça o jovem que saiu da Vila Vintém para defender o acesso à cultura em Boston

Como já vem sendo feito há alguns anos, a Brazil Conference at Harvard & MIT 2021, evento criado por …

Notícias - 07/04/2021

Nova galeria de arte vende obras com o tema "identidade"

Inaugurada no mês de celebração ao Dia Mundial das Mulheres, a Pequena Galeria apresenta cinco artistas mulheres de diferentes regiões …

Notícias - 06/04/2021

Obras de Antony Gormley colocadas na praia dividem opiniões

Esperava-se que incentivassem a apreciação da arte contemporânea. Mas, em vez disso, quatro esculturas de ferro de Antony Gormley parecem …

Notícias - 06/04/2021

National Gallery cria sua primeira mostra projetada para telefones celulares

A National Gallery apresentará sua primeira exposição projetada para telefones celulares, permitindo que as pessoas vivenciem com detalhes incríveis uma …

Notícias - 06/04/2021

Visitas aos 100 principais museus e galerias do mundo caem 77% devido a Covid

O número de visitantes nos 100 principais museus e galerias de arte do mundo caiu 77% no ano passado, de …

Notícias - 05/04/2021

Exposição artística mais extensa do mundo é realizada no Caminho de Santiago

“Las Estrellas del Camino” é uma exposição permanente com curadoria de Estrella Galicia e realização da agência AUPA!. A mostra …

Notícias - 05/04/2021

Inscrições para a ArtRio 2021 prorrogadas até 30 de abril

As inscrições para as galerias que desejam participar da 11ª edição da ArtRio foram prorrogadas até o dia 30 de …

Notícias - 31/03/2021

Instituto Cultural Vale lança programa gratuito de formação em Gestão Contemporânea das Artes

O Instituto Cultural Vale lança nesta terça-feira, 30, seu programa de formação em Gestão Contemporânea das Artes. Voltado para profissionais …