Crítico de arte italiano que cunhou o termo Arte Povera morre aos 80 anos

Jannis Kounellis - Palazzo Riso

O influente historiador, crítico e curador de arte italiano Germano Celant, que cunhou o termo Arte Povera para descrever a arte radicalmente econômica de Jannis Kounellis, Mario e Marisa Merz e Giuseppe Penone, entre outros, morreu aos 80 anos em Milão devido a a complicações do coronavírus.

Sua morte, relatada por vários meios de comunicação italianos, seguiu sua hospitalização no hospital San Raffaele várias semanas atrás.

Ele começou a exibir sintomas depois de voltar para casa de Nova York, onde havia visitado o Armory Show, segundo a publicação italiana Artibune.

Crítico de arte Germano Celant.  Foto de Marco Secchi / Corbis via Getty Images.

O eminente curador iniciou sua carreira em 1967, quando publicou seu manifesto Arte Povera, “Notas para uma guerra de guerrilha”, na revista Flash Art , onde defendia o trabalho de artistas que faziam “arte pobre, comprometida com a contingência, com eventos, não com o histórico, para o presente.”

Arte Povera – em grande parte uma resposta à cultura e economia industrial da Itália no pós-guerra – contrastava com as cores vivas e a sensibilidade comercial do movimento pop art americano. Celant lançou seus artistas favoritos, que usaram materiais não convencionais, como compensados ​​e trapos em seus trabalhos, em termos políticos. No fundo, enquanto Celant escrevia suas polêmicas, uma recessão na Itália dificultou o que anteriormente era um período de crescimento econômico sustentado, e os alunos influenciados por Marx protestavam nas universidades.

Enquanto ajudava a construir a reputação de artistas anti-establishment nas décadas de 1960 e 1970, Celant subiu nas fileiras do mundo da arte em uma carreira cada vez mais distinta.

Em 1997, ele curou a Bienal de Veneza e também atuou como curador na Guggenheim, editor colaborador das revistas Artforum e Interview, e foi diretor artístico da Fundação Prada em Milão na época de sua morte. Em outubro, ele anunciou que planejava uma mostra dedicada ao artista urbano KAWS.

“Não me sinto um homem de poder”, ele disse uma vez. “Eu sempre me interessei pelo poder da arte. Os artistas sabem disso: é por isso que confiam em mim.”

Celant nasceu em Gênova em 1940. Estudou história da arte na Universidade de Gênova com o crítico Eugenio Battisti, com quem trabalhou mais tarde na revista de arte e design Marcatrè , fundada por um grupo de críticos, incluindo Umberto Eco.

A exposição de Celant, Im Spazio, que foi montada na Galleria La Bertesca de Gênova em 1967, é frequentemente vista como o início do movimento Arte Povera. Entre suas muitas outras exposições significativas, havia um show de 1993 na Fundação Prada, no qual ele reinventou When Attitudes Make Form, a influente mostra de Harald Szeemann em 1969. Outras exposições significativas de Celant incluíram Metamorfose italiana, 1943-1968, que foi realizada no Guggenheim em Nova York.

“A perda de Germano Celant é uma catástrofe”, escreveu Carolyn Christov-Bakargiev, diretora do museu Castello di Rivoli em Turim, em um Tweet. “Uma das pessoas mais sérias do mundo da arte, das mais inteligentes e profundas.”

Fonte e tradução: Artnet News. Por Naomi Rea.

Compartilhar:
Notícias - 11/01/2021

Artista mineira Marina Amaral entra para lista da Forbes

A colorista mineira Marina Amaral entrou para a lista da Forbes dos jovens mais influentes do ano.  A Under 30 …

Notícias - 11/01/2021

Iphan e Polícia Federal resgatam material arqueológico no Acre

Na manhã do dia 5 de janeiro, uma ação conjunta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no …

Notícias - 11/01/2021

Exposição do estilista Tomo Koizumi inicia o Departamento de Moda, Design e Arquitetura da Fundação Iberê

Em 2021, a Japan House São Paulo (JHSP) vai expandir sua presença pelo Brasil, por meio de um projeto de …

Notícias - 11/01/2021

Pinacoteca de São Paulo divulga programação de 2021

 

Em 2021, a Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, …

Notícias - 28/12/2020

Os universos díspares da Rússia contemporânea pelas lentes de Serguei Maksimishin em “O Último Império”

A exposição “O Último Império – Serguei Maksimishin”, que esteve no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, entre dezembro de …

Notícias - 20/12/2020

Consciência diante do perigo: as representações do medo ao longo da História da Arte

Quando Susan Sontag fala que fotografia é sobre dor, ela fala sobre Arte. Quando Susan afirma que “fotos são um …

Notícias - 19/12/2020

São Paulo ganha mural em homenagem às comunidades indígenas afetadas pela pandemia

As Nações Unidas e a ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 4-Amarela, em São Paulo, se unem …

Notícias - 18/12/2020

Farol Santander abre hoje mostra do artista chileno Iván Navarro

Abre hoje, 18 de dezembro, no Farol Santander São Paulo, a exposição ExFinito, primeira grande mostra individual no país do …

Notícias - 17/12/2020

Conheça os 91 projetos selecionados do Rumos Itaú Cultural 2019/2020

A Dasartes participou na última quarta-feira, 16 de dezembro, na coletiva de imprensa do Itaú Cultural, que anunciou os projetos selecionados …

Notícias - 17/12/2020

REGINA BONI ANUNCIA INAUGURAÇÃO DA GALERIA SÃO PAULO FLUTUANTE EM 2021

Para quem afrontou militares e a extrema direita em plena ditadura nos anos 60, não seria uma pandemia em escala …

Notícias - 17/12/2020

Itaú Cultural lança publicação com trabalhos de artes visuais selecionados em edital

No dia 15 de dezembro entrou no ar, no site do Itaú Cultural, www.itaucultural.org.br, uma publicação virtual que reúne as …

Notícias - 17/12/2020

CASA FIAT DE CULTURA DIVULGA SELECIONADOS PARA EXPOR NA PICCOLA GALLERIA

O 4º Programa de Seleção da Piccola Galleria da Casa Fiat de Cultura já tem os nomes dos artistas selecionados …