Crítico de arte italiano que cunhou o termo Arte Povera morre aos 80 anos

Jannis Kounellis - Palazzo Riso

O influente historiador, crítico e curador de arte italiano Germano Celant, que cunhou o termo Arte Povera para descrever a arte radicalmente econômica de Jannis Kounellis, Mario e Marisa Merz e Giuseppe Penone, entre outros, morreu aos 80 anos em Milão devido a a complicações do coronavírus.

Sua morte, relatada por vários meios de comunicação italianos, seguiu sua hospitalização no hospital San Raffaele várias semanas atrás.

Ele começou a exibir sintomas depois de voltar para casa de Nova York, onde havia visitado o Armory Show, segundo a publicação italiana Artibune.

Crítico de arte Germano Celant.  Foto de Marco Secchi / Corbis via Getty Images.

O eminente curador iniciou sua carreira em 1967, quando publicou seu manifesto Arte Povera, “Notas para uma guerra de guerrilha”, na revista Flash Art , onde defendia o trabalho de artistas que faziam “arte pobre, comprometida com a contingência, com eventos, não com o histórico, para o presente.”

Arte Povera – em grande parte uma resposta à cultura e economia industrial da Itália no pós-guerra – contrastava com as cores vivas e a sensibilidade comercial do movimento pop art americano. Celant lançou seus artistas favoritos, que usaram materiais não convencionais, como compensados ​​e trapos em seus trabalhos, em termos políticos. No fundo, enquanto Celant escrevia suas polêmicas, uma recessão na Itália dificultou o que anteriormente era um período de crescimento econômico sustentado, e os alunos influenciados por Marx protestavam nas universidades.

Enquanto ajudava a construir a reputação de artistas anti-establishment nas décadas de 1960 e 1970, Celant subiu nas fileiras do mundo da arte em uma carreira cada vez mais distinta.

Em 1997, ele curou a Bienal de Veneza e também atuou como curador na Guggenheim, editor colaborador das revistas Artforum e Interview, e foi diretor artístico da Fundação Prada em Milão na época de sua morte. Em outubro, ele anunciou que planejava uma mostra dedicada ao artista urbano KAWS.

“Não me sinto um homem de poder”, ele disse uma vez. “Eu sempre me interessei pelo poder da arte. Os artistas sabem disso: é por isso que confiam em mim.”

Celant nasceu em Gênova em 1940. Estudou história da arte na Universidade de Gênova com o crítico Eugenio Battisti, com quem trabalhou mais tarde na revista de arte e design Marcatrè , fundada por um grupo de críticos, incluindo Umberto Eco.

A exposição de Celant, Im Spazio, que foi montada na Galleria La Bertesca de Gênova em 1967, é frequentemente vista como o início do movimento Arte Povera. Entre suas muitas outras exposições significativas, havia um show de 1993 na Fundação Prada, no qual ele reinventou When Attitudes Make Form, a influente mostra de Harald Szeemann em 1969. Outras exposições significativas de Celant incluíram Metamorfose italiana, 1943-1968, que foi realizada no Guggenheim em Nova York.

“A perda de Germano Celant é uma catástrofe”, escreveu Carolyn Christov-Bakargiev, diretora do museu Castello di Rivoli em Turim, em um Tweet. “Uma das pessoas mais sérias do mundo da arte, das mais inteligentes e profundas.”

Fonte e tradução: Artnet News. Por Naomi Rea.

Compartilhar:
Notícias - 14/04/2021

Passagem - por Maria Fernanda Paes de Barros

Que é a arte, afinal, do ponto de vista emotivo, senão a linguagem das forças inconscientes que atuam dentro de …

Notícias - 13/04/2021

Médico e artista plástico expõe obra feita de raio-x na Igreja Presbiteriana do Butantã

Moradores e visitantes da região do Butantã têm se deparado com uma cena inusitada ao circularem a Praça Vicente Rodrigues, …

Notícias - 13/04/2021

Após reclamações, outdoors de Steven Shearer são retirados de festival em Vancouver

Uma série de sete outdoors com fotos de pessoas dormindo foi encoberta depois que os organizadores do Capture Photography Festival …

Notícias - 13/04/2021

Sotheby's e Niftygateway oferecem edição ilimitada de criptoarte

A criptoarte segue sendo assunto quente no mercado. De olho na tendência, a Sotheby’s e o site Niftygateway estão oferecendo …

Notícias - 12/04/2021

FAMA Museu lança edital para exposições no espaço

A fim de incentivar a produção artística contemporânea e valorizar a diversidade cultural por meio da multiplicidade de expressões artísticas …

Notícias - 09/04/2021

Inhotim e Arte1 firmam parceria para exibição da série Diálogos

Duas instituições voltadas para a arte acabam de se unir para disseminar conteúdos de qualidade para o público. O Instituto …

Notícias - 08/04/2021

Conheça Bruna Pessoa de Queiroz, presidente da “Usina da Arte”

Ancorada numa tradição cultural “artistocrática”, a família Pessoa de Queiroz revive desde 2015 uma antiga fábrica de cana-de-açúcar perto do …

Notícias - 08/04/2021

Galeria Nara Roesler representa o Brasil na EXPO CHGO ONLINE

Com o apoio do projeto Latitude – Platform for Brazilian Art Galleries Abroad, uma parceria da ABACT (Associação Brasileira de …

Notícias - 08/04/2021

INSTITUTO TOMIE OHTAKE ABRE AS INSCRIÇÕES PARA O 5º PRÊMIO TERRITÓRIOS

Iniciativa idealizada e coordenada pelo Instituto Tomie Ohtake, com patrocínio da Estácio e do Grupo GPS, em parceria com o …

Notícias - 07/04/2021

Conheça o jovem que saiu da Vila Vintém para defender o acesso à cultura em Boston

Como já vem sendo feito há alguns anos, a Brazil Conference at Harvard & MIT 2021, evento criado por …

Notícias - 07/04/2021

Nova galeria de arte vende obras com o tema "identidade"

Inaugurada no mês de celebração ao Dia Mundial das Mulheres, a Pequena Galeria apresenta cinco artistas mulheres de diferentes regiões …

Notícias - 06/04/2021

Obras de Antony Gormley colocadas na praia dividem opiniões

Esperava-se que incentivassem a apreciação da arte contemporânea. Mas, em vez disso, quatro esculturas de ferro de Antony Gormley parecem …