Crítico de arte italiano que cunhou o termo Arte Povera morre aos 80 anos

Jannis Kounellis - Palazzo Riso

O influente historiador, crítico e curador de arte italiano Germano Celant, que cunhou o termo Arte Povera para descrever a arte radicalmente econômica de Jannis Kounellis, Mario e Marisa Merz e Giuseppe Penone, entre outros, morreu aos 80 anos em Milão devido a a complicações do coronavírus.

Sua morte, relatada por vários meios de comunicação italianos, seguiu sua hospitalização no hospital San Raffaele várias semanas atrás.

Ele começou a exibir sintomas depois de voltar para casa de Nova York, onde havia visitado o Armory Show, segundo a publicação italiana Artibune.

Crítico de arte Germano Celant.  Foto de Marco Secchi / Corbis via Getty Images.

O eminente curador iniciou sua carreira em 1967, quando publicou seu manifesto Arte Povera, “Notas para uma guerra de guerrilha”, na revista Flash Art , onde defendia o trabalho de artistas que faziam “arte pobre, comprometida com a contingência, com eventos, não com o histórico, para o presente.”

Arte Povera – em grande parte uma resposta à cultura e economia industrial da Itália no pós-guerra – contrastava com as cores vivas e a sensibilidade comercial do movimento pop art americano. Celant lançou seus artistas favoritos, que usaram materiais não convencionais, como compensados ​​e trapos em seus trabalhos, em termos políticos. No fundo, enquanto Celant escrevia suas polêmicas, uma recessão na Itália dificultou o que anteriormente era um período de crescimento econômico sustentado, e os alunos influenciados por Marx protestavam nas universidades.

Enquanto ajudava a construir a reputação de artistas anti-establishment nas décadas de 1960 e 1970, Celant subiu nas fileiras do mundo da arte em uma carreira cada vez mais distinta.

Em 1997, ele curou a Bienal de Veneza e também atuou como curador na Guggenheim, editor colaborador das revistas Artforum e Interview, e foi diretor artístico da Fundação Prada em Milão na época de sua morte. Em outubro, ele anunciou que planejava uma mostra dedicada ao artista urbano KAWS.

“Não me sinto um homem de poder”, ele disse uma vez. “Eu sempre me interessei pelo poder da arte. Os artistas sabem disso: é por isso que confiam em mim.”

Celant nasceu em Gênova em 1940. Estudou história da arte na Universidade de Gênova com o crítico Eugenio Battisti, com quem trabalhou mais tarde na revista de arte e design Marcatrè , fundada por um grupo de críticos, incluindo Umberto Eco.

A exposição de Celant, Im Spazio, que foi montada na Galleria La Bertesca de Gênova em 1967, é frequentemente vista como o início do movimento Arte Povera. Entre suas muitas outras exposições significativas, havia um show de 1993 na Fundação Prada, no qual ele reinventou When Attitudes Make Form, a influente mostra de Harald Szeemann em 1969. Outras exposições significativas de Celant incluíram Metamorfose italiana, 1943-1968, que foi realizada no Guggenheim em Nova York.

“A perda de Germano Celant é uma catástrofe”, escreveu Carolyn Christov-Bakargiev, diretora do museu Castello di Rivoli em Turim, em um Tweet. “Uma das pessoas mais sérias do mundo da arte, das mais inteligentes e profundas.”

Fonte e tradução: Artnet News. Por Naomi Rea.

Compartilhar:
Notícias - 19/10/2021

Primeira exposição de arte contemporânea do Egito nas pirâmides de Gizé em 4.500 anos

Pela primeira vez na história, as pirâmides de Gizé servirão de cenário para uma exposição de arte contemporânea. Forever Is …

Notícias - 18/10/2021

17ª SP-Arte aposta em modelo híbrido

Em sua 17ª edição, a SP-Arte – Festival Internacional de Arte de São Paulo, acontece de 20 a 24 de …

Notícias - 18/10/2021

Museus de Viena estão expondo obras no site adulto OnlyFans

Em um esforço para evitar a censura por plataformas de mídia social como Instagram, Facebook e TikTok, o Conselho de …

Notícias - 15/10/2021

Ruas de São Luís recebem performances

Quando corpo e rua se encontram, muitas histórias podem ser contadas e, mais do que isso, podem ser sentidas e …

Notícias - 15/10/2021

Centro do Rio ganha novo espaço de arte

Os cariocas e o Centro do Rio de Janeiro ganham uma nova opção de cultura com conteúdo e lazer. Com …

Notícias - 12/10/2021

Projeto Latitude apoia participação de galerias brasileiras na Frieze London, FIAC Paris 2021 e SP-Arte 2021

Marcando presença em importantes feiras internacionais, cinco galerias brasileiras figurarão em dois eventos de grande prestígio no mês de outubro, …

Notícias - 12/10/2021

Leilão de fotos em NFT destinará arrecadação para ações do SOS Pantanal

Até o dia 16/10 ocorre, virtualmente, o primeiro leilão de fotos em NFT 100% beneficente para ajudar em ações de …

Notícias - 12/10/2021

Museu em Roterdã inaugura ambicioso projeto e abre sua reserva técnica para visitação

O Depot [depósito] Boijmans Van Beuningen deve abrir suas portas no dia 6 de novembro de 2021 – tornando toda …

Notícias - 08/10/2021

Sotheby's anuncia obra prima de Botticelli em leilão

 

Primeiro, em julho de 2019, houve o especulativo Retrato de um Jovem, catalogado como “No estilo de Botticelli”, que foi …

Notícias - 08/10/2021

Feira em Dubai é acusada de censurar "Davi", de Michelangelo

Uma cópia impressa em 3D do David de Michelangelo está no centro da controvérsia em Dubai, onde expositores obscureceram os …

Notícias - 06/10/2021

Descoberta versão casta da "Madonna" de Munch

Na década de 1890, a representação erótica da Madona por Edvard Munch, retratada com as mãos levantadas atrás das costas …

Notícias - 06/10/2021

Mercado de arte contemporânea se recupera com quase três bilhões em vendas no último ano

O mercado de arte contemporânea arrecadou um recorde de US $ 2,7 bilhões em vendas entre junho de 2020 e …