Como posso saber se meu Warhol é falso?

Andy Warhol é um dos artistas mais famosos da era moderna — o que significa que ele é um dos mais comumente falsificados, também. Graças à técnica mecânica de foto-seda do artista pop, praticamente qualquer pessoa com um pouco de treinamento — e o acetato certo — pode aprender a fazer um Andy Warhol.

Algumas obras chegam muito perto de duplicar a coisa real. Pode ser difícil determinar se essas falsificações convincentes foram feitas para o próprio entretenimento do criador ou para enganar o mercado de arte. É seguro dizer que se uma obra é assinada, foi fabricada com o intuito de enganar. Antes da grande exposição de Andy Warhol no UCCA Center for Contemporary Art de Pequim, a maior da história da China, autenticadores como Richard Polsky antecipam ver um aumento nas falsificações.

Tendo examinado vários supostos Warhols ao longo dos anos, o dono da Richard Polsky Art Authentication, especializada em autenticação do trabalho de artistas como Warhol, Basquiat, Keith Haring, Roy Lichtenstein e Jackson Pollock, identificou cinco pistas que podem ajudar a separar o real do falso.

1. Procure o toque humano

Um erro que os falsificadores de Warhol frequentemente cometem se relaciona com sua técnica de silkscreening — e, especificamente, a incapacidade de recriar a sutileza e nuance do artista original. Warhol variou intencionalmente a quantidade de tinta que ele guinchou através da tela de seda, o que resultou em imagens únicas, cada uma com sua própria personalidade. Às vezes, Warhol usava muita tinta, resultando em uma impressão escura com menos detalhes. Em outras ocasiões, ele usou pouca tinta, o que criou formas fantasmas. Mas mesmo as genuínas pinturas de Warhol que utilizavam “a quantidade certa” de tinta têm suas próprias idiossincrasias, como variações na cor de fundo, que nenhum falsificador pode duplicar.

2. Cuidado com as impressões de “Marilyn”

As impressões mais falsas de Andy Warhol são as “Marilyns”, de longe. Os colecionadores devem ter certeza que qualquer impressão de Marilyn Monroe que eles estão considerando tem uma procedência rastreável. Eles também devem estar cientes das amplas variações na forma como esta série foi assinada e numerada na parte de trás. Descobrimos assinaturas falsas (tanto em lápis quanto em caneta esferográfica). Também vimos discrepâncias nas fontes de carimbo de borracha usadas para numerar cada impressão. Embora os falsificadores sempre tenham o tamanho da edição correto (250), eles muitas vezes tropeçam na “barra” desenhada à mão usada para separar o número individual da impressão do tamanho da edição.

3. Seja cético quanto à condição da “refrescância”

Um grande problema com a série de estampas clássicas de Warhol (as “Flores”, “Latas de Sopa de Campbell” e “Cadeiras Elétricas”) é que alguns dos originais desapareceram. Embora ainda sejam genuínos, valem consideravelmente menos dinheiro do que aqueles em condições de “refrescância”. Agora existem lojas de impressão que descobriram como refazer essas impressões. Mas essa tentativa equivocada de “refrescar” a imagem essencialmente faz com que ela não seja mais original — e, em vez disso, torna-a praticamente inútil.

4. Pare para cheirar as flores

As pinturas mais comumente falsificadas de Andy Warhol são os Maos, Flores e Cadeiras Elétricas. Mais recentemente, pinturas falsas de Mick Jagger também têm feito as rondas. Estes são frequentemente “levantados” da impressão Mick Jagger “11.43” (como está listado no Warhol Prints Catalogue Raisonné) e transferidos para tela. Warhol fez apenas oito pinturas de Mick Jagger. Na verdade, foi-nos mostrado uma pintura que apresentava essa imagem e incluía assinaturas nas costas de celebridades que saíam com Andy no Studio 54: Michael Jackson, Liza Minnelli, John Lennon, Sylvester Stallone, e… Donald Trump!

5. Tome cuidado extra com desenhos

Quando se trata dos desenhos de Andy Warhol, aqueles que gostam de pesquisar no eBay provavelmente se deparam com uma preponderância de falsificações do período pré-Pop do artista, quando ele trabalhou como ilustrador. Em particular, os colecionadores devem ter cuidado com obras falsas da série “Sapatos”. Quase todos os oferecidos online são falsos. É relativamente fácil fazer uma impressão laser em preto e branco de um desenho de sapato e, em seguida, pintar à mão com aquarela. O segundo corpo de trabalho mais visado por falsificadores são os “Gatos” coloridos à mão. Quanto aos desenhos posteriores de Warhol, o maior problema é com a série “Mickey Mouse”. Aqui, você frequentemente vê desenhos feitos com Sharpies em guardanapos de pano e lenços. Desenhos genuínos do Mickey Mouse foram feitos com grafite, em papel de alta qualidade, e utilizaram a técnica de rastreamento “projetor aéreo” de Warhol.

Resumindo: Aqueles que são sérios em colecionar pinturas e gravuras de Andy Warhol devem investir em cópias do Catálogo Andy Warhol Raisonné para Pinturas e Esculturas 1961-1978 (a publicação está em andamento e eventualmente incluirá todos os trabalhos até 1987) e o Catálogo Andy Warhol Raisonné para Impressões 1962-1987.

Além disso, o fator mais óbvio, mas crucial, é saber com quem você está lidando. Comprar Warhols do eBay ou obscuros sites de leilões online é um grande erro. Por alguma razão, as pessoas que de outra forma são inteligentes muitas vezes acreditam que possuem um sexto sentido que lhes permite encontrar uma pechincha. Tendo passado os últimos cinco anos autenticando o trabalho de Andy Warhol, posso dizer com grande confiança que não existe tal coisa.

 

FONTE: Artnet.com

Compartilhar:
Notícias - 20/04/2021

Prêmio Arcanjo de Cultura valoriza artistas

O ano de 2020 foi desafiador para a classe artística e os trabalhadores da cultura. Prestigiar e valorizar estes profissionais …

Notícias - 20/04/2021

Após 14 anos fechado, MAB reabre e celebra 61 anos de Brasília

Um movimento na orla do Lago Paranoá anuncia novos tempos para a capital federal. Em meio à pandemia da Covid-19, …

Notícias - 19/04/2021

Gagosian apresenta exposição com novos trabalhos de Rachel Whiteread

A Galeria Gagosian apresenta “Internal Objects”, exposição de novos trabalhos de Rachel Whiteread. Whiteread emprega a linguagem formal do minimalismo, …

Notícias - 19/04/2021

Brasileiro vence World Press Photo Award 2021

O fotojornalismo brasileiro foi mais uma vez reconhecido na mais importante competição de jornalismo visual do mundo, promovida pela World …

Notícias - 16/04/2021

As pinturas de Cézanne e Degas podem render milhões em leilão

Obras dos artistas franceses Paul Cézanne e Edgar Degas são os sucessos de um leilão em Nova York e podem …

Notícias - 15/04/2021

Arte pelos Oceanos reúne artistas visuais em prol da preservação das praias cariocas

Não é novidade que as praias cariocas, que eternizaram o Rio de Janeiro no imaginário turístico mundial, sofrem com a …

Notícias - 14/04/2021

Passagem - por Maria Fernanda Paes de Barros

Que é a arte, afinal, do ponto de vista emotivo, senão a linguagem das forças inconscientes que atuam dentro de …

Notícias - 13/04/2021

Médico e artista plástico expõe obra feita de raio-x na Igreja Presbiteriana do Butantã

Moradores e visitantes da região do Butantã têm se deparado com uma cena inusitada ao circularem a Praça Vicente Rodrigues, …

Notícias - 13/04/2021

Após reclamações, outdoors de Steven Shearer são retirados de festival em Vancouver

Uma série de sete outdoors com fotos de pessoas dormindo foi encoberta depois que os organizadores do Capture Photography Festival …

Notícias - 13/04/2021

Sotheby's e Niftygateway oferecem edição ilimitada de criptoarte

A criptoarte segue sendo assunto quente no mercado. De olho na tendência, a Sotheby’s e o site Niftygateway estão oferecendo …

Notícias - 12/04/2021

FAMA Museu lança edital para exposições no espaço

A fim de incentivar a produção artística contemporânea e valorizar a diversidade cultural por meio da multiplicidade de expressões artísticas …

Notícias - 09/04/2021

Inhotim e Arte1 firmam parceria para exibição da série Diálogos

Duas instituições voltadas para a arte acabam de se unir para disseminar conteúdos de qualidade para o público. O Instituto …