Brigid Berlin, artista que documentou assiduamente a fábrica de Andy Warhol, morre aos 80 anos

Brigid Berlin, Sem título (auto-retrato com flores) , ca. 1971-1973, Polaroid. CORTESIA INVISIBLE-EXPORTS, NOVA YORK

Brigid Berlin, que deixou para trás uma vida na alta sociedade de Manhattan para encontrar a fama em si mesma como uma das estrelas de Andy Warhol, morreu aos 80 anos. Sua morte foi confirmada por Vincent Fremont, um amigo de longa data que era o gerente executivo do estúdio de Warhol de 1974 a 1987.

Berlim poderia ser lembrada por sua estreita associação com Warhol, a quem conheceu em 1964. Ela trabalhou na fábrica durante as décadas de 1960 e 1970 – às vezes servindo como recepcionista – e foi vista por muitos como a “melhor amiga de Warhol”. ” Eles conversavam diariamente durante esses anos, chamavam-se Sr. e Sra. Pork e, segundo a lenda, foi Berlim quem apresentou Warhol à câmera Polaroid.

Ela teve pequenos papéis em vários de seus filmes, incluindo Imitação de Cristo (1967), Women in Revolt (1971) e Bad (1977), e fez um monólogo em seu filme experimental de 1966, Chelsea Girls. Às vezes, quando Warhol era entrevistado pela imprensa, Berlin aparecia ao lado dele e ele costumava se deparar com ela para responder à pergunta que um jornalista havia feito sobre sua obra de arte, dizendo: “Isso é verdade, Brigid?”

E em uma entrevista infame no final dos anos 60, Warhol disse à revista TIME que, de fato, Berlim havia feito sua arte. “[O] problema que isso causou! Tendo Leo Castelli e todos os revendedores ligando para Andy e dizendo que eu estava fazendo a serigrafia? Berlin disse à revista Interview em 2015.

Brigid Berlin, Sem título (Auto-retrato, dupla exposição com nus) , ca. 1971-1973, Polaroid. CORTESIA INVISIBLE-EXPORTS, NOVA YORK

Mas o tempo de Berlin na fábrica é melhor resumido por sua diligente documentação de seu cotidiano, sua própria forma de arte que envolvia Polaroids e gravações de conversas e muito mais. Naquela época, a fotografia Polaroid era uma invenção nova e Berlin estava decidida a levar o meio a seus limites, criando auto-retratos por meio da técnica de dupla exposição. Muitas dessas imagens foram coletadas em uma monografia, Brigid Berlin: Polaroids, publicada em 2015 pela Reel Art Press e editada por Anastasia James, Dagon James e Fremont, com uma introdução de outro membro da Fabrica Warhol, Bob Colacello, e um prefácio de John Waters.

Brigid Berlin, Sem título (Exposição dupla com Andy Warhol e flores) , ca. 1971-1973, Polaroid. CORTESIA INVISIBLE-EXPORTS, NOVA YORK

Brigid Berlin nasceu em 1939, filha de Muriel “Honey” (Johnson) e Richard E. Berlin, presidente da Hearst Publishing por várias décadas. Por causa da posição de seu pai, sua família estava no topo da alta sociedade de Manhattan, uma distinção que Berlin rapidamente rejeitou.

Seus anos de infância foram marcados pela luta da mãe com o peso da filha. Muriel pagou à filha por cada quilo que perdeu quando Brigid era criança e mais tarde os médicos prescreveram várias anfetaminas. Mas Brigid persistiu e, durante seus anos com Warhol, embora ela ainda fizesse dieta e seu peso às vezes flutuasse dramaticamente, ela aparentemente encontrou poder em seu corpo, pois era conhecida por estar de topless ou por ter um seio exposto em fotografias e filmes. Uma vez ela disse, de acordo com a revista AnOther : “Minha mãe queria que eu fosse uma socialite esbelta e respeitável […], em vez disso, me tornei uma causadora de problemas com excesso de peso”.

Ela chocou os pais pela primeira vez ao se casar, em 1960, com John Parker, abertamente gay. O mais rápido que pôde, Berlin deixou essa vida para trás e passou a residir no famoso Chelsea Hotel de Manhattan e adotou o sobrenome Polk (uma referência ao uso de drogas intravenosas). Eventualmente, ela conheceu Warhol e foi rapidamente conduzida ao seu escalão interior. Sua vida foi tema de um documentário de 2000 de Fremont, intitulado Pie in the Sky: The Brigid Berlin Story.

“Minha querida amiga Brigid Berlin era uma força da natureza que não podia ser ignorada”, escreveu Fremont. “Brigid era uma monóloga cativante e bem-humorada, uma artista que usava seu corpo como arte. (…) Tornei-me amigo íntimo de Brigid em 1971, no ano em que comecei a trabalhar com Andy Warhol e conheci a brilhante provocadora e pensadora conceitual que ela era. Que aventuras tivemos, tantas lembranças que nunca esquecerei.”

John Waters, que escalou Berlim em dois de seus filmes dos anos 90, capturou a essência de Berlim em seu prefácio à monografia: “Brigid sempre foi minha estrela de cinema favorita; grande, muitas vezes nua e enjoada como o inferno. … As Polaroids aqui mostram o quão amplo o mundo de Brigid era; o acesso dela foi incrível.

Fonte e tradução: ARTnews

Compartilhar:
Notícias - 20/04/2021

Prêmio Arcanjo de Cultura valoriza artistas

O ano de 2020 foi desafiador para a classe artística e os trabalhadores da cultura. Prestigiar e valorizar estes profissionais …

Notícias - 20/04/2021

Após 14 anos fechado, MAB reabre e celebra 61 anos de Brasília

Um movimento na orla do Lago Paranoá anuncia novos tempos para a capital federal. Em meio à pandemia da Covid-19, …

Notícias - 19/04/2021

Gagosian apresenta exposição com novos trabalhos de Rachel Whiteread

A Galeria Gagosian apresenta “Internal Objects”, exposição de novos trabalhos de Rachel Whiteread. Whiteread emprega a linguagem formal do minimalismo, …

Notícias - 19/04/2021

Brasileiro vence World Press Photo Award 2021

O fotojornalismo brasileiro foi mais uma vez reconhecido na mais importante competição de jornalismo visual do mundo, promovida pela World …

Notícias - 16/04/2021

As pinturas de Cézanne e Degas podem render milhões em leilão

Obras dos artistas franceses Paul Cézanne e Edgar Degas são os sucessos de um leilão em Nova York e podem …

Notícias - 15/04/2021

Arte pelos Oceanos reúne artistas visuais em prol da preservação das praias cariocas

Não é novidade que as praias cariocas, que eternizaram o Rio de Janeiro no imaginário turístico mundial, sofrem com a …

Notícias - 14/04/2021

Passagem - por Maria Fernanda Paes de Barros

Que é a arte, afinal, do ponto de vista emotivo, senão a linguagem das forças inconscientes que atuam dentro de …

Notícias - 13/04/2021

Médico e artista plástico expõe obra feita de raio-x na Igreja Presbiteriana do Butantã

Moradores e visitantes da região do Butantã têm se deparado com uma cena inusitada ao circularem a Praça Vicente Rodrigues, …

Notícias - 13/04/2021

Após reclamações, outdoors de Steven Shearer são retirados de festival em Vancouver

Uma série de sete outdoors com fotos de pessoas dormindo foi encoberta depois que os organizadores do Capture Photography Festival …

Notícias - 13/04/2021

Sotheby's e Niftygateway oferecem edição ilimitada de criptoarte

A criptoarte segue sendo assunto quente no mercado. De olho na tendência, a Sotheby’s e o site Niftygateway estão oferecendo …

Notícias - 12/04/2021

FAMA Museu lança edital para exposições no espaço

A fim de incentivar a produção artística contemporânea e valorizar a diversidade cultural por meio da multiplicidade de expressões artísticas …

Notícias - 09/04/2021

Inhotim e Arte1 firmam parceria para exibição da série Diálogos

Duas instituições voltadas para a arte acabam de se unir para disseminar conteúdos de qualidade para o público. O Instituto …