Artistas famosos compartilham mensagens de esperança

© Photography by Studio Tomás Saraceno, 2016

David Hockney encontra otimismo nas flores da primavera e o Underground Museum, liderado por artistas, está ajudando a alimentar o bairro.

À medida que cidades em todo o mundo suspendem a vida pública e as pessoas se auto-isolam em casa para retardar a propagação do coronavírus, os artistas começam a encontrar sua voz nesse novo cenário. Vários deles foram às mídias sociais ou plataformas digitais para mostrar solidariedade, oferecer conselhos ou apenas enviar uma mensagem de esperança.

Desde seu confinamento na Normandia, no norte da França, o artista de 82 anos, David Hockney, compartilhou um novo desenho do iPad com o Museu de Arte Moderna da Louisiana, na Dinamarca. A imagem de narcisos em um campo traz um título edificante: “Lembre-se de que eles não podem cancelar a primavera.” Hockney também comunicou-se com o diretor da National Portrait Gallery de Londres, que foi forçada a fechar uma pesquisa sobre os retratos mais pessoais do artista. Seu diretor Nicholas Cullinan publicou em seu Instagram, escrevendo que Hockney está isolado “mas ainda está trabalhando constantemente e observando a chegada da primavera”.

O artista argentino Tomás Saraceno , que tem uma grande exposição no agora fechado Palazzo Strozzi, em Florença, postou um vídeo na nova plataforma digital do museu italiano “In Contact”. O artista coloca seu trabalho Particular Matéria (s) Jam Session no contexto da pandemia de coronavírus em andamento para explicar o movimento do patógeno.

O trabalho de Saraceno usa um feixe de luz para mostrar os milhões de pequenas partículas flutuando no ar, discutindo como nossos movimentos afetam os movimentos da matéria transportada pelo ar e, em particular, esse vírus. “… Precisamos nos mover mais devagar”, diz ele. “Esperamos que possamos nos conscientizar sobre nossas ações, sobre como o ar se move hoje e o quanto nosso movimento pode influenciar [isso] …”
“Nosso movimento influencia o quão rápido ou lento as partículas flutuam no ar. Reduzir nosso movimento e desacelerar as partículas ajudarão a todos a permanecerem seguros. Em solidariedade ao Palazzo Strozzi, Itália e ao mundo, vamos nos movimentar de maneira diferente para tempos melhores.” (Tomás Saraceno)
Veja a fala do artista na íntegra abaixo e o vídeo neste link.

“Olá, meu nome é Tomas Saraceno. E quero falar sobre uma obra de arte exibida no Palazzo Strozzi. É uma obra de arte que consiste em um feixe de luz, que ilumina o que está flutuando agora no ar. Existem milhões e bilhões de partículas que se movem e seu movimento depende de como nos movemos.
Se, por exemplo, eu falo muito perto … ou me movo, algumas das partículas do meu pulôver … você pode ver essas partículas sendo liberadas no ar. E se eu falar um pouco menos, essas partículas começam a se mover muito mais lentamente.
O que você ouve, no Palazzo Strozzi – o que você pode ouvir agora neste vídeo – é o som que essas partículas produzem quando se movem. Isso significa que toda vez que eu me movo mais rápido, você pode ouvir o som se movendo mais rápido. É esse “bip bip bip” … Se nos movermos mais devagar, as partículas produzirão um som diferente. Isso significa que é uma maneira de pensar a maneira como estamos nos movendo através da terra ou o movimento de partículas no ar. Isso significa que, se precisarmos nos mover mais devagar, o som será diferente e as partículas se moverão mais devagar. Isso significa solidariedade para todas as pessoas na Itália, na Europa e no mundo.
Esperamos que possamos nos tornar conscientes sobre nossas ações. Como o ar se move hoje e quanto nosso movimento pode influenciar o caminho … De como também podemos restringir esse movimento de algumas das partículas que se tornaram tão prejudiciais para muitas pessoas hoje no planeta Terra.”

 

O artista e ativista Ai Weiwei também participou do Palazzo Strozzi, incentivando os espectadores a “ficar em casa … e ficar juntos”, acrescentando que o vírus não conhece “nenhuma fronteira, nacionalidade ou classe ou religião diferente”. E o artista dinamarquês-islandês Olafur Eliasson cita a autora Rebecca Solnit: “A esperança se localiza nas premissas de que não sabemos o que vai acontecer e que na amplidão da incerteza há espaço para agir.”

Outros artistas estão oferecendo conselhos mais práticos. O artista e fotógrafo Wolfgang Tillmans usou suas mídias sociais para compartilhar um novo mantra com seus seguidores: “Mantenha distância, você me protege, eu te protejo”, ele postou, pedindo às pessoas que compartilhassem e enfatizassem a regra social da distância. “Lembre-se de proteger seu médico: só vá quando precisar”, acrescenta.

A artista Tai Shani está adotando uma abordagem mais ativista. A vencedora do Turner Prize lançou uma música Tragodía no Bandcamp (uma trilha sonora de sua peça de realidade virtual com o mesmo nome), e todos os lucros da venda da faixa digital (que custa apenas 5 libras) serão destinados aos bancos de alimentos. “Esta crise foi ideologicamente desviada para ferir os mais vulneráveis”, escreve ela nas mídias sociais. “Muitas pessoas dependem de bancos de alimentos neste país ganancioso e os bancos de alimentos já não são capazes de acompanhar a demanda e isso vai piorar. Haverá tantas pessoas em necessidade desesperada durante esta crise, é horrível.”

Os artistas por trás do Underground Museum, em Los Angeles, também têm em mente o bem-estar de seus próximos. O espaço de Los Angeles está lançando uma oferta de alimentos para quem encontrou as prateleiras dos supermercados vazias. O “Süpramarkt” acontece na quinta-feira em um local a pedido.

Compartilhar:
Notícias - 03/12/2021

Jeff Koons e Cicciolina voltam aos holofotes

Um artista que fez a escultura de uma serpente enrolada em uma pedra para a estrela do cinema adulto italiano …

Notícias - 03/12/2021

Lista de mais poderosos da arte contemporânea traz líder surpreendente

ERC-721, a especificação para o “token não fungível” na rede Ethereum, está em primeiro lugar no ranking anual dos mais …

Notícias - 02/12/2021

Fotografiska pretende se tornar o maior museu privado do mundo

Fotografiska, o museu sueco com fins lucrativos, está adicionando três novos locais à sua lista de unidades já existentes: além …

Notícias - 01/12/2021

Restauro de obras de arte do Metrô de São Paulo vira documentário

Em curso desde 2019 e com as primeiras etapas registradas em um documentário disponível no YouTube com aproximadamente …

Notícias - 01/12/2021

Obra icônica de Banksy vai a leilão pela Bolsa de Arte SP

Pela primeira vez, uma obra de Banksy irá a leilão na América Latina – no dia 10 de fevereiro, na …

Notícias - 30/11/2021

Inhotim recebe o Museu de Arte Negra idealizado por Abdias Nascimento

Poeta, escritor, dramaturgo, curador, artista plástico, professor universitário, pan-africanista e parlamentar, Abdias Nascimento (1914-2011), indicado oficialmente ao prêmio Nobel da …

Notícias - 30/11/2021

Museu Judaico de São Paulo é inaugurado

A partir do dia 5 de dezembro de 2021, abre para visitação o Museu Judaico de São Paulo (MUJ), espaço …

Notícias - 29/11/2021

Festival de performances abre convocatória

Festival Atos de Fala completa 10 anos e sua sexta edição – que acontece de 19 de janeiro a 02 …

Notícias - 29/11/2021

Prêmio Arcanjo de Cultura divulga indicados e retoma cerimônia presencial

Valorizar e premiar nossa cultura e seus artistas em tempos tão difíceis é a missão do Prêmio Arcanjo de Cultura, …

Notícias - 26/11/2021

Steve McCurry e a resiliência da infância em fotos

De meninas enfrentando o Mar de Sulu a crianças em idade escolar no Afeganistão, no novo livro Stories and Dreams …

Notícias - 26/11/2021

Veja resenha de nova biografia de Magritte, um homem de mistério

Ao contrário de seus contemporâneos surrealistas, René Magritte tendia a manter Freud à distância de sua obra – embora poucos artistas ofereçam …

Notícias - 26/11/2021

A 'amizade íntima' de Basquiat e Warhol é explorada em drama

A exposição prometia ser de tirar o fôlego, com os dois artistas usando luvas de boxe no pôster. Mas a ansiosamente …