Artista fornece um palco para nós tomarmos decisões políticas

Björn Meyer-Ebrecht, “Untitled (Platform 1)” (2018)

Björn Meyer-Ebrecht: Uprising na Owen James Gallery é uma exposição de reposição composta de sete plataformas de madeira e três desenhos de tinta sobre papel. O estilo de Meyer-Ebrecht é cerebral e lúdico e usa as experiências intelectuais e físicas do espectador para ativar as obras da exposição. Embora os objetos de Meyer-Ebrecht sejam coloridos e visualmente atraentes, a insurreição requer uma contemplação constante para decifrar seus comentários políticos silenciosos.

Posicionados no nível normal dos olhos e usando magistralmente o espaço, os desenhos pendurados na parede inicialmente dominam a atenção do espectador. Construção simples das plataformas, bem como uma nota no comunicado de imprensa diz que os telespectadores podem sentar-se sobre eles, direciona ainda mais o foco para o trabalho de parede. Untitled (Audience), Untitled (Ceiling) e Untitled (Stairs), todos de 2019, retratam os substantivos em seus títulos. Meyer-Ebrecht extrai profundidade habilmente; ver as obras parece um mundo que se expande diretamente do nosso ponto de vista – como se estivesse subindo uma escada, olhando para um telhado ou olhando pelo corredor de um teatro.

Vista da instalação de Björn Meyer-Ebrecht: Revolta na Galeria Owen James: “Untitled (Platform 6)” (2019); “Untitled (escadas)” (2019); “Sem título (plataforma 2)” (2018); “Sem título (plataforma 5)” (2019); “Sem título (plataforma 3)” (2018); “Sem título (teto)” (2019)

Meyer-Ebrecht posiciona o espectador como o ponto de origem de um desenho bidimensional que retrata um mundo tridimensional. A presença do espectador no espaço expositivo, portanto, expande a profundidade de cada desenho para abranger o espectador e a galeria. Nesse sentido, o próprio ato de existência do espectador ativa uma relação espacial explícita entre todos os objetos, colocando cada desenho em conversação com os outros trabalhos.

As plataformas, mais enigmáticas que as obras em papel, são de alturas variadas, e talvez projetadas para parecer caseiras. Elas são pintadas grosseiramente em cores primárias. Alguns são a altura ideal de um assento, outros de um banquinho. Elas são divertidas e não têm pretensão; no seu mais básico, elas fornecem um lugar bem-vindo para se sentar. Formalmente, eles contrastam com os desenhos de tinta, que demonstram habilidade artística hábil. Entretanto, uma vez que se perceba a sugestão de Meyer-Ebrecht de que o espectador ative o espaço, as plataformas fazem sentido como objetos que convidam à interação.

Björn Meyer-Ebrecht, “Untitled (Ceiling)” (2019), tinta e fita de arquivo em 2 folhas de papel, 77 ½ x 81 ¼ pol. (Todas as imagens são cortesia de Owen James Gallery)

O título Uprising tem claras conotações políticas e fornece mais pistas para entender a exposição. Todos os trabalhos evocam sentar ou levantar: uma audiência está sentada; olha-se para o teto; um sobe escadas, para cima ou para baixo; e um ou senta-se numa plataforma, em repouso ou em pé, para elevar o ponto de vista ou a voz de alguém. Objetos de Meyer-Ebrecht fornecem um palco, e o espectador é o ator que deve realizar a insurreição. Um comentário político talvez esteja nessa potencialidade, pois não há revolta sem uma decisão de agir. Essa ambigüidade – sentada ou em pé, ativa ou passiva – nascida de relações espaciais está repleta de possibilidades, e o toque de Meyer-Ebrecht é leve o suficiente para permitir que ele evolua de maneira diferente para cada espectador.

Björn Meyer-Ebrecht, “Untitled (Stairs)” (2019)

Compartilhar:
Notícias - 30/07/2021

Artefatos indígenas falsos estão sendo vendidos por museus e galerias canadenses

Um negociante canadense admitiu vender arte indígena fraudulenta a várias lojas de museus e outras empresas de arte na Colúmbia …

Notícias - 30/07/2021

Em chamas: Trágedia atinge a história da Cinemateca Brasileira

Na noite de quinta-feira, 29 de julho de 2021, a Cinemateca Brasileira foi engolida pelas chamas na zona oeste de …

Notícias - 29/07/2021

road-movie de Lúcia Murat investiga artistas latinoamericanas

Livremente inspirado na peça “Há mais futuro que passado” o road-movie “Ana. Sem Título”, da diretora Lúcia Murat (“Praça Paris”, …

Notícias - 29/07/2021

Conheça alguns dos artistas já definidos para a Bienal de Veneza

O fluxo de e-mails anunciando quais artistas estão representando seus respectivos países na Bienal de Veneza de 2022 tem sido …

Notícias - 29/07/2021

Galeria Marília Razuk exibe projeto a partir de diálogo entre artistas

Trazer ao público o processo de uma exposição que se desdobra no espaço e no tempo por meio de módulos …

Notícias - 29/07/2021

Prêmio PIPA anuncia Exposição dos Vencedores de 2020

Com uma trajetória de mais de dez anos no cenário da arte contemporânea, o Prêmio PIPA, uma iniciativa do Instituto …

Notícias - 28/07/2021

Sesc São Paulo promove exposição com obras de artistas indígenas

Encontros Ameríndios, exposição que entra em cartaz no Sesc Vila Mariana a partir do dia 31 de julho, traz um …

Notícias - 27/07/2021

Galeria Arte132 abre em São Paulo com exposição de Alex Flemming

Com foco na produção artística brasileira, a Arte132, galeria comandada por Telmo Porto abre suas portas em Moema, zona sul …

Notícias - 27/07/2021

Conheça os artistas e as obras da abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Enquanto a estrela do tênis japonesa Naomi Osaka carregava a tocha olímpica escada acima durante a cerimônia de abertura dos …

Notícias - 27/07/2021

Instituto Artium abre as portas em São Paulo

O Instituto Artium, entidade cultural sem fins lucrativos, fundada em 2019, abre as portas para o público com exposição coletiva …

Notícias - 22/07/2021

Instituições anunciam iniciativa colaborativa para o mundo da arte no combate às mudanças climáticas

Os lobistas da indústria das artes Gallery Climate Coalition (GCC), a casa de leilões global Christie’s (membro do GCC) e …

Notícias - 22/07/2021

Louvre aciona advogados por reconstituições pornográficas de obra

O Pornhub parece realmente empenhado em trabalhar com a História da Arte. Depois de oferecer espécies de “visitas guiadas” por …