Artista cubana Carmen Herrera comemora incríveis 105 anos

Carmen Herrera, Rojo sobre Rojo

Desde pelo menos o final da década de 1940, Carmen Herrera tem virado o mundo da arte de cabeça para baixo com seu estilo característico de abstração geométrica. A artista centenária de origem cubana (que completa 105 anos em 30 de maio) é mais conhecida por suas abstrações com bordas bem definidas. Como a própria Herrera afirmou certa vez: “Acredito que sempre estarei admirada com a linha reta, é sua beleza que me faz pintar”. Através de suas composições exatas, as pinturas de Herrera levam os espectadores a lidar com cores e formas de maneiras novas e deliciosas. Trabalhos em larga escala como Blanco y Verde (1959), Irlanda (1965) e Vermelho sobre vermelho (Rojo sobre Rojo) (1959) são nítidos, mas convidam para suas impressionantes possibilidades ilusórias e posicionam a artista como alguém que permanece diretamente à frente de seu tempo. (Seu trabalho é anterior aos movimentos da Op Art e do Minimalismo, e lança nova luz sobre as maneiras pelas quais os artistas estavam adotando elementos da arte concreta em suas próprias práticas diversas).

Embora tenha sido ofuscada por seus contemporâneos do sexo masculino, como Ellsworth Kelly e Frank Stella, a obra de Herrera ganhou, com razão, maior destaque nas últimas décadas, graças em grande parte às grandes exposições individuais que recebeu de instituições como El Museo del Barrio, Whitney Museum, e a Galeria Ikon do Reino Unido. Do ponto de vista de hoje, parece um pouco surreal notar que Herrera só vendeu sua primeira pintura em 2004. Felizmente, instituições como o MoMA, o Walker Art Center, o Hirshorn e Tate Modern desde então reconheceram a necessidade de brincar, adquirindo suas obras impressionantes para suas próprias coleções.

Vista da instalação de Armen Herrera: The Black and White Paintings, 1951-1989 no El Museo del Barrio, Nova York, em 1998

Uma nova-iorquina de longa data que ainda está criando arte ativamente, Herrera foi o foco de uma conversa organizada pelo El Museo, a mesma instituição que montou sua primeira mostra solo em 1998, muito antes de o mundo da arte começar a celebrar seu trabalho. (Sua mostra solo no Museu Alternativo, agora extinto em Nova York, foi sua primeira exposição em museu).

“A contribuição de Herrera para a arte geométrica é incomparável”, observa Susanna V. Temkin, curadora do El Museo, que moderou a conversa. “Sua lendária perseverança é uma lição para todos nós e o El Museo de Barrio se orgulha de ter recebido um de seus primeiros trabalhos e exposições individuais. Estamos ansiosos para comemorar suas contribuições monumentais na véspera de seu aniversário marcante.”

Para a conversa ¡Felicidades Carmen !: A Celebration of Carmen Herrera Temkin foi acompanhada por Tony Bechara, um artista e amigo de longa data de Herrera; Carolina Ponce de Leon, curadora independente que organizou Carmen Herrera: The Black and White Paintings, 1951-1989 no El Museo, em 1998; e Monica Espinel, curadora independente e autora da cronologia de Carmen Herrera: Lines of Sight no Whitney Museum (2016-2017).

Visite a página de eventos do El Museo para mais detalhes.

Compartilhar:
Notícias - 11/01/2021

Artista mineira Marina Amaral entra para lista da Forbes

A colorista mineira Marina Amaral entrou para a lista da Forbes dos jovens mais influentes do ano.  A Under 30 …

Notícias - 11/01/2021

Iphan e Polícia Federal resgatam material arqueológico no Acre

Na manhã do dia 5 de janeiro, uma ação conjunta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no …

Notícias - 11/01/2021

Exposição do estilista Tomo Koizumi inicia o Departamento de Moda, Design e Arquitetura da Fundação Iberê

Em 2021, a Japan House São Paulo (JHSP) vai expandir sua presença pelo Brasil, por meio de um projeto de …

Notícias - 11/01/2021

Pinacoteca de São Paulo divulga programação de 2021

 

Em 2021, a Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, …

Notícias - 28/12/2020

Os universos díspares da Rússia contemporânea pelas lentes de Serguei Maksimishin em “O Último Império”

A exposição “O Último Império – Serguei Maksimishin”, que esteve no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, entre dezembro de …

Notícias - 20/12/2020

Consciência diante do perigo: as representações do medo ao longo da História da Arte

Quando Susan Sontag fala que fotografia é sobre dor, ela fala sobre Arte. Quando Susan afirma que “fotos são um …

Notícias - 19/12/2020

São Paulo ganha mural em homenagem às comunidades indígenas afetadas pela pandemia

As Nações Unidas e a ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 4-Amarela, em São Paulo, se unem …

Notícias - 18/12/2020

Farol Santander abre hoje mostra do artista chileno Iván Navarro

Abre hoje, 18 de dezembro, no Farol Santander São Paulo, a exposição ExFinito, primeira grande mostra individual no país do …

Notícias - 17/12/2020

Conheça os 91 projetos selecionados do Rumos Itaú Cultural 2019/2020

A Dasartes participou na última quarta-feira, 16 de dezembro, na coletiva de imprensa do Itaú Cultural, que anunciou os projetos selecionados …

Notícias - 17/12/2020

REGINA BONI ANUNCIA INAUGURAÇÃO DA GALERIA SÃO PAULO FLUTUANTE EM 2021

Para quem afrontou militares e a extrema direita em plena ditadura nos anos 60, não seria uma pandemia em escala …

Notícias - 17/12/2020

Itaú Cultural lança publicação com trabalhos de artes visuais selecionados em edital

No dia 15 de dezembro entrou no ar, no site do Itaú Cultural, www.itaucultural.org.br, uma publicação virtual que reúne as …

Notícias - 17/12/2020

CASA FIAT DE CULTURA DIVULGA SELECIONADOS PARA EXPOR NA PICCOLA GALLERIA

O 4º Programa de Seleção da Piccola Galleria da Casa Fiat de Cultura já tem os nomes dos artistas selecionados …