Arte em família: mostra reúne obras de Geraldo, Fabiana e Lenora de Barros

Artista múltiplo por excelência, respeitado no Brasil e no exterior por seus trabalhos em fotografia, design, pintura, gravura e desenho industrial, entre outras linguagens, o paulista Geraldo de Barros compôs com suas duas filhas, Lenora e Fabiana, uma família de destaque nacional no âmbito das artes contemporâneas. É essa família que a partir do dia 31 de outubro ocupará a Roberto Alban Galeria, em Ondina, apresentando, pela primeira vez em um mesmo espaço, um conjunto representativo de suas principais obras. A mostra, denominada Em Forma de Família, encerra com relevância a programação deste ano da galeria.

Pioneiro mundialmente reconhecido da fotografia abstrata, fundador do movimento da arte concreta e designer de grande relevância, Geraldo de Barros (1923-1998) transpôs os limites do país e da própria arte produzida no Brasil por sua irreverência conceitual e domínio linguístico em diferentes campos artísticos, notadamente vanguardistas e experimentais. Presentes na exposição em Salvador, suas famosas Fotoformas, fotografias realizadas entre 1946 e 1951, revolucionaram a fotografia brasileira ao apresentar imagens que tanto podiam ser vinculadas ao Construtivismo como ao Cubismo, bem como a poéticas ligadas ao Expressionismo. A partir da reordenação de elementos, o artista criou uma nova composição em que estão sempre presentes as questões sociais e urbanas, além da inquietude diante da relação entre a arte e a sociedade.

Os seus últimos trabalhos, vinculados à série Sobras, com várias fotos inéditas que serão apresentadas na mostra em colaboração com o Instituto Moreira Salles (RJ), revelam um artista que sempre desafiou os limites entre o público e o privado. Isto é atestado no mobiliário UNILABOR, com o seu design apurado e modular, produzido de acordo com princípios coletivistas revolucionários. Vale lembrar que alguns trabalhos de Geraldo Barros integram o acervo de diversos museus do mundo, a exemplo do MoMA, de Nova Iorque (EUA).

A naturalidade com que as obras da exposição Em Forma de Família interagem entre si é um testemunho do poder dos laços familiares e da força da arte como um legado a ser transmitido de geração para geração. A própria Lenora de Barros admite que herdou do pai o seu lado mais performático, que é um traço marcante em sua obra. ”Ele se autofotografava com chapéus, roupas diferentes, era um apaixonado pelo cinema noir”, observa Lenora, artista visual e poeta reconhecida internacionalmente, que constrói uma obra marcada pelo uso de diversas linguagens: vídeo, performance, fotografia, instalação sonora e construção de objetos. No seu trabalho, a artista desenvolve esse lado performático nas chamadas fotos-performance, algumas construídas como sequências fotográficas em que representa diferentes personagens.

As primeiras obras criadas por Lenora podem ser colocadas no campo da “poesia visual” a partir do movimento da poesia concreta da década de 1950. Palavras e imagens foram os seus primeiros materiais. Um de seus trabalhos mais significativos, produzido em 1979 com registro fotográfico da irmã, Fabiana de Barros, é Poema, que estará presente na mostra Em Forma de Família. Nesse trabalho, a artista aparece tocando as teclas de uma máquina de escrever com a própria língua, um tema que reaparecerá em obras como Língua Vertebral (1998) e Linguagem (2008).

Já Fabiana de Barros, que vive em Genebra (Suiça), também identifica em seu trabalho artístico um ponto coincidente com a visão que Geraldo tinha da questão social: “Assim como ele, que sonhava com um mundo igualitário, produzindo uma arte para todos, tenho uma preocupação em estabelecer uma relação direta com o público, privilegiando o contato humano e o contexto social”, justifica, observando que uma de suas obras mais famosas, o Fiteiro Cultural – um quiosque de madeira que se abre nos quatro lados e funciona como um centro cultural itinerante – nasceu para atender às necessidades e desejos da comunidade, tendo sido instalado em diversas cidades do mundo.

Assim como sua irmã Lenora, Fabiana de Barros enveredou pelos caminhos da arte contemporânea, utilizando variados recursos multimídias – fotografias, vídeo, colagem, internet. A interação com o outro coloca-se como um eixo primordial em seu trabalho, que se traduz em instalações, intervenções, arte pública e virtual, web art. No ciberespaço, Fabiana encontrou as melhores condições para aproximar-se do seu público, através de sites de visitas e espaços para manifestações dos visitantes, propondo viagens a outras culturas. No Brasil, obteve seu maior reconhecimento ao participar da 25ª Bienal de São Paulo, em 2002.

Compartilhar:
Notícias - 23/10/2020

Olafur Eliasson projeta 'nossas perspectivas glaciais' como um instrumento astronômico

Artista Olafur Eliasson revela sua última obra de arte pública permanente, ‘nossas perspectivas glaciais’, ao longo da geleira hochjochferner do …

Notícias - 23/10/2020

Pintura de Klimt roubada - enterrada por 20 anos - volta a ser exibida em museu italiano

Descoberto pelo jardineiro da galeria Ricci Oddi no ano passado, o Retrato de uma Senhora será a estrela de uma …

Notícias - 23/10/2020

Vândalos atacaram 70 obras de arte em museus de Berlim em plena luz do dia

Um líquido oleoso foi derramado sobre muitas obras no que foi considerado o pior ataque à arte e antiguidades na …

Notícias - 23/10/2020

Guerra declarada entre museu e herdeiros de Piet Mondrian para recuperação de pinturas no valor de US$ 200 milhões

Como parte de um esforço contínuo de anos para recuperar os direitos de propriedade de várias pinturas criadas pelo modernista …

Notícias - 23/10/2020

Pintura de Jacob Lawrence, desaparecida há décadas, foi encontrada de forma inusitada

O painel do renomado artista negro, parte de sua série “Struggle”, foi visto pela última vez em 1960. Mas alguém …

Notícias - 21/10/2020

SESC SÃO PAULO EM NOVA ETAPA, RETOMADA GRADUAL CONTEMPLA EXPOSIÇÕES, BIBLIOTECAS E EXIBIÇÃO DE FILMES NO CINESESC

 O anúncio da aguardada Fase Verde, a penúltima e mais branda de uma  escala de cinco etapas do Plano São …

Notícias - 16/10/2020

Instituição coloca à venda pintura de David Hockney em meio a tensões financeiras

Na semana passada, a Royal Opera House de Londres anunciou planos de vender o Retrato de Sir David Webster de …

Notícias - 16/10/2020

Itáu Cultural reabre com mostras de Sandra Cinto e ocupação de Rino Levi

O Itaú Cultural (IC) retomou a partir de terça-feira (13) suas atividades presenciais. Neste momento, o público pode visitar as …

Notícias - 16/10/2020

Marina Abramović terá a primeira obra de arte de realidade mista vendida em leilão

Marina Abramović é uma das artistas contemporâneas mais conhecidas do mundo, mas muito de seu trabalho é efêmero: performances que …

Notícias - 16/10/2020

Juíza anuncia nova decisão sobre caso Inhotim e surpreende

O instituto assinou um acordo em 2016 para doar 20 obras de seu acervo ao governo, a fim de reembolsar …

Notícias - 16/10/2020

Como obras redescobertas de velhos mestres vêm de destacando em leilões com números extraordinários?

A Christie’s realizará seu leilão de Velhos Mestres durante as vendas clássicas da semana na sede do Rockefeller Center. Ao …

Notícias - 16/10/2020

Escultura de Medusa nua vira símbolo do movimento #meetoo e causa polêmica

Na maioria dos casos de violência sexual, sempre se pergunta à vítima: ‘Bom, o que você fez para provocá-lo?’ Questões …