Arte em família: mostra reúne obras de Geraldo, Fabiana e Lenora de Barros

Artista múltiplo por excelência, respeitado no Brasil e no exterior por seus trabalhos em fotografia, design, pintura, gravura e desenho industrial, entre outras linguagens, o paulista Geraldo de Barros compôs com suas duas filhas, Lenora e Fabiana, uma família de destaque nacional no âmbito das artes contemporâneas. É essa família que a partir do dia 31 de outubro ocupará a Roberto Alban Galeria, em Ondina, apresentando, pela primeira vez em um mesmo espaço, um conjunto representativo de suas principais obras. A mostra, denominada Em Forma de Família, encerra com relevância a programação deste ano da galeria.

Pioneiro mundialmente reconhecido da fotografia abstrata, fundador do movimento da arte concreta e designer de grande relevância, Geraldo de Barros (1923-1998) transpôs os limites do país e da própria arte produzida no Brasil por sua irreverência conceitual e domínio linguístico em diferentes campos artísticos, notadamente vanguardistas e experimentais. Presentes na exposição em Salvador, suas famosas Fotoformas, fotografias realizadas entre 1946 e 1951, revolucionaram a fotografia brasileira ao apresentar imagens que tanto podiam ser vinculadas ao Construtivismo como ao Cubismo, bem como a poéticas ligadas ao Expressionismo. A partir da reordenação de elementos, o artista criou uma nova composição em que estão sempre presentes as questões sociais e urbanas, além da inquietude diante da relação entre a arte e a sociedade.

Os seus últimos trabalhos, vinculados à série Sobras, com várias fotos inéditas que serão apresentadas na mostra em colaboração com o Instituto Moreira Salles (RJ), revelam um artista que sempre desafiou os limites entre o público e o privado. Isto é atestado no mobiliário UNILABOR, com o seu design apurado e modular, produzido de acordo com princípios coletivistas revolucionários. Vale lembrar que alguns trabalhos de Geraldo Barros integram o acervo de diversos museus do mundo, a exemplo do MoMA, de Nova Iorque (EUA).

A naturalidade com que as obras da exposição Em Forma de Família interagem entre si é um testemunho do poder dos laços familiares e da força da arte como um legado a ser transmitido de geração para geração. A própria Lenora de Barros admite que herdou do pai o seu lado mais performático, que é um traço marcante em sua obra. ”Ele se autofotografava com chapéus, roupas diferentes, era um apaixonado pelo cinema noir”, observa Lenora, artista visual e poeta reconhecida internacionalmente, que constrói uma obra marcada pelo uso de diversas linguagens: vídeo, performance, fotografia, instalação sonora e construção de objetos. No seu trabalho, a artista desenvolve esse lado performático nas chamadas fotos-performance, algumas construídas como sequências fotográficas em que representa diferentes personagens.

As primeiras obras criadas por Lenora podem ser colocadas no campo da “poesia visual” a partir do movimento da poesia concreta da década de 1950. Palavras e imagens foram os seus primeiros materiais. Um de seus trabalhos mais significativos, produzido em 1979 com registro fotográfico da irmã, Fabiana de Barros, é Poema, que estará presente na mostra Em Forma de Família. Nesse trabalho, a artista aparece tocando as teclas de uma máquina de escrever com a própria língua, um tema que reaparecerá em obras como Língua Vertebral (1998) e Linguagem (2008).

Já Fabiana de Barros, que vive em Genebra (Suiça), também identifica em seu trabalho artístico um ponto coincidente com a visão que Geraldo tinha da questão social: “Assim como ele, que sonhava com um mundo igualitário, produzindo uma arte para todos, tenho uma preocupação em estabelecer uma relação direta com o público, privilegiando o contato humano e o contexto social”, justifica, observando que uma de suas obras mais famosas, o Fiteiro Cultural – um quiosque de madeira que se abre nos quatro lados e funciona como um centro cultural itinerante – nasceu para atender às necessidades e desejos da comunidade, tendo sido instalado em diversas cidades do mundo.

Assim como sua irmã Lenora, Fabiana de Barros enveredou pelos caminhos da arte contemporânea, utilizando variados recursos multimídias – fotografias, vídeo, colagem, internet. A interação com o outro coloca-se como um eixo primordial em seu trabalho, que se traduz em instalações, intervenções, arte pública e virtual, web art. No ciberespaço, Fabiana encontrou as melhores condições para aproximar-se do seu público, através de sites de visitas e espaços para manifestações dos visitantes, propondo viagens a outras culturas. No Brasil, obteve seu maior reconhecimento ao participar da 25ª Bienal de São Paulo, em 2002.

Compartilhar:
De Arte a Z - 06/12/2019

MASP dedicará 2020 às histórias da dança

Todos os anos, o MASP organiza a sua programação em torno de “histórias”, noção que abarca histórias reais, fictícias, relatos …

De Arte a Z - 05/12/2019

Mostra de arte feminista é censurada e diretora de museu renuncia

Uma exposição de arte feminista no Museu Nacional de Belas Artes de Bishkek, Quirguistão, foi censurada pelo governo e resultou …

De Arte a Z - 05/12/2019

Será possível restaurar pintura milionária de De Kooning encontrada depois de 30 anos?

Após 30 anos, uma pintura roubada do expressionista abstrato Willem de Kooning ressurgiu na propriedade de um casal do Novo …

De Arte a Z - 05/12/2019

Em Madri, instalação provoca cúpula de mudança climática

Comemorando o início da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP25), uma bandeira voa na frente do Museo Tyssen-Bornemisza …

De Arte a Z - 05/12/2019

Banana na parede com fita adesiva: o novo trabalho de Cattelan (de US$ 120 mil)

Maurizio Cattelan, o camaleão e, para dizer o mínimo, original, o artista italiano mais bem pago no mundo, volta a …

De Arte a Z - 05/12/2019

Turner Prize será dividido entre todos os quatro indicados

Os quatro indicados ao Turner Prize 2019 compartilharão o prêmio deste ano depois de pedirem coletivamente aos juízes que não …

De Arte a Z - 13/11/2019

MASP recebe prêmio pela exposição "Histórias Indígenas"

O MASP foi contemplado, neste mês, com o Sotheby’s Prize 2019, prêmio que reconhece projetos de excelência curatorial e apoia …

De Arte a Z - 07/11/2019

4ª edição da Art Weekend agita São Paulo

O Art Weekend São Paulo celebra sua 4ª edição entre os dias 8, 9 e 10 de novembro, com uma …

De Arte a Z - 07/11/2019

Novo museu dedicado a Picasso e Giacometti será aberto em Pequim

Dois dos artistas mais famosos da Europa – Picasso e Giacometti – serão alvo de um novo museu inaugurado em …

De Arte a Z - 07/11/2019

Parque de esculturas no Reino Unido fecha por problemas financeiros

Um dos principais parques de esculturas do Reino Unido fechou abruptamente. O Cass Sculpture, sem fins lucrativos, fundada há mais …

De Arte a Z - 07/11/2019

Artistas do Iraque são impedidos de entrar nos EUA para abertura de exposição

Neste fim de semana, o MoMA PS1, em Nova York, abriu o Theatre of Operations: The Gulf Wars, 1991–2011, uma …

De Arte a Z - 07/11/2019

Obra-prima de Bruegel é encontrada dividida em duas

A obra não se parecia muito com o trabalho de um velho mestre: um painel sujo quebrado limpo em dois, …