Arqueólogos criticam plano de restauração da menor das três Pirâmides de Gizé

Arqueólogos condenam o novo plano do Egito para restaurar a menor das três Pirâmides de Gizé, nos arredores do Cairo. O projeto de três anos, revelado em um vídeo postado no Facebook pelo secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, Dr. Mostafa Waziry, em 25 de janeiro, envolve cobrir a fachada desgastada da estrutura com blocos de granito, um movimento que alguns estudiosos ridicularizaram como uma violação dos princípios arqueológicos aceitos.

A pirâmide Menkaure foi construída no terceiro milênio aC como um complexo funerário para o faraó de mesmo nome. A estrutura é a mais jovem das três Pirâmides de Gizé, que compõem um complexo que inclui também a Grande Esfinge.

A pirâmide de Menkaure foi originalmente construída com calcário e revestida com blocos de granito, que caíram com o tempo. O atual projeto de restauração promete usar granito da era egípcia antiga alojado na areia abaixo da pirâmide, mas os estudiosos levantaram preocupações sobre o que consideram a imprecisão histórica deste método.

A egiptóloga Monica Hanna, reitora do Colégio Egípcio de Arqueologia e Patrimônio Cultural da Academia Árabe de Ciência, Tecnologia e Transporte Marítimo, publicou uma longa condenação da iniciativa no Facebook na terça-feira, 31 de janeiro, reunindo 64 assinaturas em apoio. Além de citar preocupações sobre a capacidade da pirâmide de resistir estruturalmente à restauração, Hanna questionou o uso de blocos enterrados no local, que não são polidos.

“Esses blocos são fragmentos que não caíram da pirâmide em si, mas foram deixados pelos trabalhadores da pirâmide como assuntos inacabados”, escreveu Hanna. “Não existe nenhuma evidência arqueológica ou histórica sobre a sua posição original na pirâmide”.

Hanna também detalhou a divergência do projeto em relação às normas acadêmicas, citando a Carta de Veneza de 1964 do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios que determina que os projetos de restauração sejam “baseados no respeito pelo material original e documentos autênticos” e “parem no ponto onde começam as conjecturas”. A carta também afirma que estas iniciativas devem ser precedidas de estudos arqueológicos e históricos, e Hanna observa que a equipe por trás do projeto de Gizé nunca publicou um estudo revisto pelos pares.

O sentimento de Hanna foi ecoado pelo ex-reitor da Faculdade de Arqueologia da Universidade do Cairo, Dr. Mohamed Hamza, que também postou uma longa declaração no Facebook criticando a iniciativa.

“A discordância é mais do que metodologia ou aplicação, mas sim sobre os princípios e axiomas fundamentais do trabalho arqueológico com os quais todos os investigadores, acadêmicos e arqueólogos concordam”, escreveu Hanna. “Essas antiguidades egípcias pertencem a todos os egípcios. Não são propriedade exclusiva do Conselho Supremo de Antiguidades, do Ministério do Turismo e Antiguidades ou de missões arqueológicas, e todos temos o direito de saber em detalhe, através do diálogo social e científico, o que está acontecendo em nosso patrimônio.

Compartilhar:
Notícias - 22/02/2024

Grada Kilomba e Paulo Nazareth integram a programação de Inhotim em 2024

O ano de 2024 traz um novo programa artístico no Inhotim. A instituição reformula suas exposições de arte e projetos …

Notícias - 21/02/2024

feira de arte ArPa apresenta curadores de sua terceira edição

Após dois anos de realização bem-sucedida e reconhecida pelo mercado, a feira de arte ArPa chega a sua terceira edição …

Notícias - 21/02/2024

Museu Britânico é inundado de pedidos por devolução de uma escultura da Ilha de Páscoa

A conta do Instagram do Museu Britânico recebeu, no fim de semana, uma enxurrada de mensagens pedindo o retorno de …

Notícias - 21/02/2024

"Não sou um pintor", veja poema de Michelangelo sobre como foi torturante pintar a Capela Sistina

Michelangelo pode ter se imortalizado pintando o teto (e a parede do altar) da Capela Sistina, mas quebrou a coluna …

Notícias - 20/02/2024

Conheça os vencedores do People's Choice para Fotógrafo de Vida Selvagem

O Prêmio People’s Choice para Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano, patrocinado e desenvolvido pelo Museu de História Natural de …

Notícias - 20/02/2024

UNESCO revela 341 centros culturais danificados na Ucrânia com prejuízo de US$ 9 bilhões

Em Abril passado, a UNESCO informou que 248 locais históricos na Ucrânia foram danificados durante a invasão da Rússia em …

Notícias - 20/02/2024

Bolsa IAC de Formação e Pesquisa abre edital de arte e cultura para pesquisadores

O Instituto de Arte Contemporânea lança a segunda edição da Bolsa IAC de Formação em Pesquisa com a intenção de …

Notícias - 20/02/2024

Representação sexy de Jesus gera debate acalorado na Espanha

Uma imagem criada para a Semana Santa vem causando polêmica na Espanha: Jesus é retratado na imagem com traços faciais …

Notícias - 20/02/2024

Impressionante: IA decifra texto de pergaminho de 2 mil anos queimado durante erupção do Monte Vesúvio

A escrita grega em de um pergaminho de 2.000 anos queimado durante a erupção do Monte Vesúvio em 79 dC …

Notícias - 20/02/2024

Veja por onde anda a obra roubada e devolvida de Van Gogh

Uma pintura antiga de Vincent van Gogh que foi roubada e entregue a um detetive de arte holandês em uma …

Notícias - 19/02/2024

Decolou! Foguete SpaceX envia esculturas de Jeff Koons para a lua

Depois de muitos atrasos, 125 esculturas de Jeff Koons foram finalmente enviadas à Lua na manhã de 15 de fevereiro, …

Notícias - 19/02/2024

Conheça a única pintura que Van Gogh vendeu em vida

Vincent van Gogh é o exemplo por excelência do artista torturado que sofreu a penúria durante sua vida, apenas para …