“A China não é confiável” diz Ai Weiwei, artista e ativista chinês, ao criar máscaras para caridade

A arte uniu-se ao ativismo na forma de máscaras faciais criadas pelo artista Ai Weiwei, que mostram imagens de sementes de girassol, bestas míticas e, talvez o mais apropriado, um dedo do meio desafiador.

O artista e ativista chinês imprimiu um lote inicial de 10.000 máscaras para serem vendidas para caridade através do eBay. Todos a vendas serão direcionadas aos esforços humanitários do coronavírus liderados pela Human Rights Watch, Refugees International e Médicos Sem Fronteiras.

Ai estava em casa, em Cambridge, quando começou a ficar zangado com notícias de máscaras, incluindo os EUA serem acusados ​​de “pirataria moderna”, acusados ​​de levar máscaras destinadas à Alemanha.

Era quase risível, ele disse. “É um desperdício. Há muita discussão em torno da máscara. Uma máscara facial pesa apenas três gramas, mas carrega muitos argumentos estatais sobre segurança global e quem a possui e quem não a possui.”

Ele imprimiu uma escultura de madeira em uma máscara e a colocou no Instagram. As pessoas adoraram e perguntaram como conseguir um. Daí veio seu novo projeto de arte.

As obras de arte serão vendidas isoladamente por US$ 50 (£ 40), US$ 300 para uma série de quatro e US$ 1.500 para uma coleção de 20. Elas terão imagens familiares aos fãs do trabalho do artista, incluindo sementes de girassol baseadas em sua instalação da Tate Modern no qual ele encheu o Turbine Hall da galeria com 100m de sementes de girassol confeccionadas individualmente. Algumas das imagens incluem o gesto conhecido pelo artista com o dedo do meio.

Ai Weiwei retratado em Londres, 2015, com sua criação chamada Árvore

Ai Weiwei em Londres em 2015 com sua criação chamada Tree. Foto: Leon Neal / AFP / Getty

Ai disse que a pandemia era uma crise humanitária. “Isso desafia nossa compreensão do século XXI e alerta para os perigos futuros. Exige que cada indivíduo aja, sozinho e coletivamente.” Ele comparou cada compra a um ato de esperança e consciência social.

Ai passou 81 dias em uma prisão chinesa e quatro anos em prisão domiciliar antes de recuperar seu passaporte e fugir para a Alemanha em 2015. Ele se mudou para o Reino Unido no ano passado.

Ele disse que as pessoas estavam certas em sentir raiva da China por causa da pandemia. “Quando falamos de humanidade, o mais importante é a confiança, entre pessoas e entre nações. Sem transparência e confiança, você não pode jogar. A China há muito tempo não é confiável. Todos nós aceitamos isso.

A China intencionalmente encobriu informações sobre o surto, destruindo até evidências médicas, disse ele. “A China tem agido da maneira militar antiga: todos que os questionam podem ser um inimigo em potencial.”

O projeto é curado por Alexandra Munroe, que disse que as máscaras eram obras de arte que simbolizavam a vida na época do coronavírus. “Ter um é um ato ético e criativo para superar nosso isolamento cansado e participar de um empreendimento coletivo de verdadeira compaixão.”

Ai estava preparando a direção de uma ópera, Turandot de Puccini, quando o bloqueio ocorreu durante os ensaios.

Em casa, em Cambridge, onde ele mora com seu parceiro e filho, foi maravilhoso, ele disse. “Nunca tive um momento tão pacífico e agradável na minha vida. Estou passando tanto tempo com meus entes queridos e esta primavera em Cambridge será memorável pelo resto da minha vida, porque nunca vi tantas flores silvestres. Diariamente, saio pelos campos, fotografo e vejo qual é o nome em latim e chinês. Isto é muito divertido.”

Fonte e tradução: The Guardian

Compartilhar:
Notícias - 07/12/2021

Culturas Indígenas e Favelas são temas de novos museus de São Paulo

O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (6) um investimento total de R﹩ 40 milhões para ampliação do Museu da …

Notícias - 06/12/2021

Começam as as obras de ampliação da Pinacoteca de São Paulo

O Governo de São Paulo anunciou, nesta terça-feira (23), o início das obras da Pinacoteca Contemporânea, o novo prédio …

Notícias - 03/12/2021

Jeff Koons e Cicciolina voltam aos holofotes

Um artista que fez a escultura de uma serpente enrolada em uma pedra para a estrela do cinema adulto italiano …

Notícias - 03/12/2021

Lista de mais poderosos da arte contemporânea traz líder surpreendente

ERC-721, a especificação para o “token não fungível” na rede Ethereum, está em primeiro lugar no ranking anual dos mais …

Notícias - 02/12/2021

Fotografiska pretende se tornar o maior museu privado do mundo

Fotografiska, o museu sueco com fins lucrativos, está adicionando três novos locais à sua lista de unidades já existentes: além …

Notícias - 01/12/2021

Restauro de obras de arte do Metrô de São Paulo vira documentário

Em curso desde 2019 e com as primeiras etapas registradas em um documentário disponível no YouTube com aproximadamente …

Notícias - 01/12/2021

Obra icônica de Banksy vai a leilão pela Bolsa de Arte SP

Pela primeira vez, uma obra de Banksy irá a leilão na América Latina – no dia 10 de fevereiro, na …

Notícias - 30/11/2021

Inhotim recebe o Museu de Arte Negra idealizado por Abdias Nascimento

Poeta, escritor, dramaturgo, curador, artista plástico, professor universitário, pan-africanista e parlamentar, Abdias Nascimento (1914-2011), indicado oficialmente ao prêmio Nobel da …

Notícias - 30/11/2021

Museu Judaico de São Paulo é inaugurado

A partir do dia 5 de dezembro de 2021, abre para visitação o Museu Judaico de São Paulo (MUJ), espaço …

Notícias - 29/11/2021

Festival de performances abre convocatória

Festival Atos de Fala completa 10 anos e sua sexta edição – que acontece de 19 de janeiro a 02 …

Notícias - 29/11/2021

Prêmio Arcanjo de Cultura divulga indicados e retoma cerimônia presencial

Valorizar e premiar nossa cultura e seus artistas em tempos tão difíceis é a missão do Prêmio Arcanjo de Cultura, …

Notícias - 26/11/2021

Steve McCurry e a resiliência da infância em fotos

De meninas enfrentando o Mar de Sulu a crianças em idade escolar no Afeganistão, no novo livro Stories and Dreams …