Ai Weiwei cria retratos de lego de estudantes mexicanos desaparecidos

O artista chinês Ai Weiwei revelou uma série de retratos feitos com cerca de um milhão de blocos de Lego, retratando 43 estudantes mexicanos que foram sequestrados e aparentemente massacrados em 2014.

O artista dissidente, que foi detido pelo governo comunista da China em 2011, diz que ele fez a peça como um comentário sobre o caso dos estudantes, um crime não solucionado que provocou protestos internacionais e continua a assombrar o México.

“Esqueça ser um artista, eu sou um ser humano, assim como você, e se você ouvir alguém sendo ferido, você ouvirá que o garoto do seu vizinho não pode voltar, e quatro anos se passaram e o governo não pode chegar a um conclusão, que tipo de governo é esse? Em que tipo de sociedade estamos vivendo? ”Ele diz.
O trabalho, intitulado Reestabelecer Memorias, ou Restabelecimento de Memórias, faz parte do novo espetáculo da Ai no Museu Universitário de Arte Contemporânea da capital mexicana.

Os retratos coloridos e multicoloridos são exibidos acima de uma linha do tempo que narra o caso dos alunos desaparecidos. A linha do tempo começa em 26 de setembro de 2014, noite em que os manifestantes estudantis – que estavam matriculados no Ayotzinapa Rural Teachers ‘College, no estado sulista de Guerrero – foram atacados por policiais corruptos na cidade vizinha de Iguala.
Em seguida, ele salta para 27 de janeiro de 2015, o dia em que o promotor-chefe do caso apresentou a versão das autoridades, dizendo que os estudantes haviam sido entregues a traficantes de drogas, que os mataram e incineraram seus corpos em um depósito de lixo.

Então, chega-se a 6 de setembro de 2015, o dia em que uma equipe de especialistas internacionais independentes que estudou a suposta cena do crime disse que a versão oficial dos eventos era impossível.
Os especialistas, enviados pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos, instaram as autoridades mexicanas a reabrir a investigação. Mas o governo na época disse considerar o caso encerrado e não renovou o mandato dos especialistas.

Ai Wewei, 63, diz que viu a Lego como um meio “democrático” para a peça.
“Todo mundo pode usá-lo, todo mundo o reconhece e você pode reconstruí-lo. É uma maneira tão eficiente e eu adoro a sensação de pixelada”, diz ele.

Compartilhar:
Notícias - 22/01/2021

Em sincronia ao aniversário de SP, artista resgata história do bairro da Liberdade

Liberdade. Liberdade. Liberdade. Essas foram as palavras proferidas por uma multidão de pessoas pretas ao verem a corda que enforcava …

Notícias - 20/01/2021

Horrana de Kássia Santoz assume vaga de curadora na Pinacoteca

Pinacoteca do Estado de São Paulo e a Coleção Ivani e Jorge Yunes comemoram a parceria com a chegada de …

Notícias - 20/01/2021

Curso gratuito de Artes Integradas e Acessibilidade abre inscrições

Já estão abertas as inscrições para o curso Artes Integradas + Educação + Acessibilidade, do projeto Um Novo Olhar. A …

Notícias - 11/01/2021

Artista mineira Marina Amaral entra para lista da Forbes

A colorista mineira Marina Amaral entrou para a lista da Forbes dos jovens mais influentes do ano.  A Under 30 …

Notícias - 11/01/2021

Iphan e Polícia Federal resgatam material arqueológico no Acre

Na manhã do dia 5 de janeiro, uma ação conjunta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no …

Notícias - 11/01/2021

Exposição do estilista Tomo Koizumi inicia o Departamento de Moda, Design e Arquitetura da Fundação Iberê

Em 2021, a Japan House São Paulo (JHSP) vai expandir sua presença pelo Brasil, por meio de um projeto de …

Notícias - 11/01/2021

Pinacoteca de São Paulo divulga programação de 2021

 

Em 2021, a Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, …

Notícias - 28/12/2020

Os universos díspares da Rússia contemporânea pelas lentes de Serguei Maksimishin em “O Último Império”

A exposição “O Último Império – Serguei Maksimishin”, que esteve no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, entre dezembro de …

Notícias - 20/12/2020

Consciência diante do perigo: as representações do medo ao longo da História da Arte

Quando Susan Sontag fala que fotografia é sobre dor, ela fala sobre Arte. Quando Susan afirma que “fotos são um …

Notícias - 19/12/2020

São Paulo ganha mural em homenagem às comunidades indígenas afetadas pela pandemia

As Nações Unidas e a ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 4-Amarela, em São Paulo, se unem …

Notícias - 18/12/2020

Farol Santander abre hoje mostra do artista chileno Iván Navarro

Abre hoje, 18 de dezembro, no Farol Santander São Paulo, a exposição ExFinito, primeira grande mostra individual no país do …

Notícias - 17/12/2020

Conheça os 91 projetos selecionados do Rumos Itaú Cultural 2019/2020

A Dasartes participou na última quarta-feira, 16 de dezembro, na coletiva de imprensa do Itaú Cultural, que anunciou os projetos selecionados …