Zéh Palito | Simões de Assis

O artista visual e muralista Zéh Palito estreia sua primeira individual no Brasil, depois de produzir murais em mais de 30 países entre África, América, Europa, Oriente Médio e Ásia, e participar de diversas mostras coletivas pelo mundo com suas pinturas. A exposição “Eu sei por que o pássaro canta na gaiola” traz 19 obras inéditas que evidenciam como nunca sua poética única, desenvolvida desde sua adolescência no interior de São Paulo. O projeto conta também com sensível texto crítico do curador e colecionador Ademar Britto Jr.

O título da mostra é derivado de um verso do poeta Paul Laurence Dunbar, “I know why the caged bird sings” (retirado do poema Sympathy, de 1893), posteriormente adotado por Maya Angelou como título do primeiro volume de sua autobiografia. No livro, Angelou retrata sua infância vivida em uma cidade sulista estadunidense nos anos 30 e 40, durante o período de dura segregação racial. Ambos os autores, aponta Britto Jr., tem suas histórias ecoadas nas pinturas de Palito, nas quais vemos “pessoas negras em poses altivas, com roupas elegantes, com logotipos de marcas conhecidas, em locais triviais como praias, piscinas, em frente a automóveis ou mesmo em fundo e de forma bastante positiva”.

Mas, Palito também imprime certa dose de melancolia em seus trabalhos, já que as obras, apesar de bastante coloridas, carregam aspectos políticos pertinentes e também falam de traumas, dores. Britto Jr escreve que “Zéh nos confronta com pinturas-exaltação, pessoas plenas, autoconfiantes e resolvidas, imagens positivas, em contraste com as imagens criadas nos últimos séculos, nas quais a população negra majoritariamente era representada em
situações que corroboram o trauma da colonização”.

A proposta curatorial é disponibilizar ao visitante a experiência de ver, pela primeira vez, um grande conjunto de trabalhos em pintura do artista, em uma ocupação total dos dois andares da galeria – chance única de explorar sua produção e as os detalhes e aspectos que tornam seus trabalhos tão icônicos. Eu sei por que o pássaro canta na gaiola é um convite para mergulhar no mundo criado a partir do olhar único de Zéh Palito.

Compartilhar: