Wisrah Villefort | BANAL BANAL

BANAL BANAL apresenta sua 11ª edição com um novo trabalho de Wisrah Villefort, em diálogo com texto de Guilherme Teixeira. Seguindo sua investigação em curso em direção a noções expandidas de natureza e ecologia, considerando as estruturas que a regulam, em EEE, o artista mostra um peça em hipermídia associada à visualização de dados e atividades industriais de larga escala, construída por meio da combinação dos gestos de apropriação e colaboração.

O projeto aloca um mapa interativo que informa, em tempo quase-real, a geolocalização de inúmeras embarcações ao redor do planeta, pospondo-o a uma construção visual tributária do imaginário de grandes corporações e à expansão espacial e liquidez de uma peça sonora desenvolvida pelo artista DESAMPA. No site, é possível acompanhar a movimentação de um fluxo global incessante, que por um lado nos informa objetivamente sobre a intensidade de um aspecto fundamental da ação humana sobre o globo e, por outro, nos oferece uma paisagem abstrata e em constante modificação, capaz de remeter a uma diversidade de deslocamentos de outras naturezas e escalas.

Wisrah Villefort (Buritizeiro, 1989) vive e trabalha em São Paulo. Sua prática conceitual incorpora fotografia, vídeo, som e texto em instalações e trabalhos em hipermídia que exploram uma noção expandida de natureza, ocupando-se especialmente dos polímeros sintéticos, do não-humano e de seus mercados. Foi finalista do III Prêmio Reynaldo Roels Jr. (Rio de Janeiro, Brasil) e participou do programa de residência Pivô Pesquisa (São Paulo, Brasil). Coleções, acervos e comissões institucionais incluem KADIST (Paris, França), 198 Contemporary Art (Londres, Inglaterra), The One Minutes Foundation at Sandberg Instituut (Amsterdam, Holanda) e Instituto Moreira Salles (São Paulo, Brasil). Entre exposições recentes estão a individual The Mouth of the Gifted Horse (Goswell Road, Paris, França) e as coletivas XOXO (Galerie I’axolotl, Toulon, França), 14a Bienal de Curitiba (Curitiba, Brasil), Prosthetics Vol.2 (U10 Art Space, Belgrado, Sérvia) e SUPERHOST (Like a Little Disaster, Polignano, Itália).

Guilherme Teixeira (São Paulo, 1992) é um escritor, curador e editor baseado em São Paulo, Brasil. Entre as instituições com as quais já trabalhou destacam-se CCSP e Videobrasil, além de galerias e escritórios de consultoria. Entre suas curadorias destacam-se PAREDAO (CCSP), Ontem Foi Um Dia Longo (MARP), O Grande Susto (ESPAÇO), Ruído e Ausência Contínuos (Galeria Sancovsky), A Imensa Preguiça (Galeria Sancovsky) entre outras. Teixeira é também editor do periódico O TURVO.

DESAMPA é um artista multimídia paulistano que cria experimentações com música eletrônica e artes visuais. Como músico, frequentou o Red Bull Music Academy em Paris em 2015.

BANAL BANAL é um espaço na internet de exposições de arte contemporânea com um programa que combina linguagem experimental e cultura digital com pensamento crítico e resistência política. Curadoria de Germano Dushá e programação de Diogo Vianna.

 

Compartilhar: