Valdson Ramos | Referência Galeria de Arte

 

Referência Galeria de Arte apresenta a mostra Abaixo do sol, acima da terra, de Valdson Ramos, com curadoria de Paulo Henrique Silva.  São desenhos, esculturas e vídeo instalação produzidas a partir de 2022 em que o artista aborda questões relacionadas ao uso da religião como forma de manipulação e de opressão.

Esta é a terceira individual do artista e sua primeira em Brasília. Morando e trabalhando em Anápolis, Valdson elabora em seus trabalhos uma narrativa poética impregnada de iconografia religiosa, sobretudo a católica. Seus desenhos são feitos com água benta, vinho canônico e aquarela e, segundo o curador Paulo Henrique: “buscam traduzir o uso político da religiosidade como instrumento de opressão e manipulação”.

Através de um processo de produção elaborado que envolve a criação de cenas a partir das iconografias cristãs, em especial as católicas, o artista usa tecidos para envolvê-las e depois fotografá-las. ”O ato de cobrir um objeto usando do tecido atenta para a ocultação de uma imagem e, ao mesmo tempo, a revelação de outra. O tecido se torna, ele próprio, a matéria prima de uma nova figura“, diz o artista. Valdson desenha as imagens usando vinho canônico diluído em água benta. O vinho canônico é utilizado na celebração da missa, o principal culto do catolicismo. Produzido de acordo com as regras determinadas pela Igreja, esse vinho possui uma imensa carga simbólica, sendo associado, por meio do ritual, a uma aliança eterna entre Deus e o homem. Como pigmento, o vinho transforma-se em imagens que transcendem aos rituais religiosos, ganhando espaço e promovendo reflexões também em outros campos da sociedade.

“Como diluente no meu processo de produção, a água benta, um sacramental, mistura-se ao vinho canônico, suavizando as tonalidades e destacando a luz. Talvez, com isso, proporcionando a percepção da espiritualidade em suas formas plásticas. Há uma cumplicidade entre água e vinho, como no mistério da transformação, em que um complementa o outro. Nesse caso, a imagem passa a ser o todo por meio dessa junção, onde esses elementos se jogam como oponentes sobre o campo do imaginário promovendo diálogos na formação da estética”, analisa o artista.

Em Abaixo do sol, acima da terra, Valdson apresenta um conjunto de obras resultantes de sua atual pesquisa, iniciada em 2015, quando produziu os primeiros trabalhos da série “Ver Ícone”, o que, por sua vez, retoma as investigações com a técnica de assemblage e seus desdobramentos. “A instalação “Sem título, de 2012”, composta por mãos de resina de poliéster e fitas religiosas da tradicional festa do Divino Pai Eterno de Trindade – GO, de fazer artesanal e moldadas em mãos de diferentes pessoas que percorreram em procissão a via dos romeiros rumo à festa do Divino – trajeto entre Goiânia e Trindade –, revela o interesse do artista em incorporar em suas narrativas poéticas questões estabelecidas entre o sagrado e o profano”, afirma o curador.

Na mostra que acontece na Referência, Valdson aponta para o lugar onde o sagrado e o profano se entrelaçam: o mundo físico em que vivemos, onde as experiências humanas acontecem, sujeitas às leis naturais, aos ciclos e às vivências comuns da humanidade. “É abaixo do sol e acima da terra que nascemos, crescemos, sonhamos e enfrentamos nossos medos. Seja por meio dos trabalhos que têm a rocha como elemento central e referência alusiva à pedra angular, ou obras que remetem a passagens bíblicas e elementos iconográficos que estabelecem possíveis relações entre o espiritual e o material, Ramos nos convida a ver o sagrado e o profano não como esferas mutuamente exclusivas, mas sim como coexistentes em um mesmo lugar”, sentencia o curador.

Compartilhar: