Vaivém | CCBB-SP

Associada à identidade brasileira e à cultura indígena, a rede de dormir está em mais de 300 obras dos séculos 16 ao 21, de cerca de 130 artistas, incluindo Bené Fonteles, Claudia Andujar, Tarsila do Amaral e Tunga.

Com curadoria de Raphael Fonseca, a mostra também traz trabalhos históricos de Debret e Rugendas, obras inéditas de artistas contemporâneos indígenas, como Arissana Pataxó, Denilson Baniwá, Duhigó Tukano, Jaider Esbell e o coletivo MAHKU, e ainda redes de artesãs brasileiras feitas especialmente para o projeto.

Compartilhar: