Uma Obra | Pina Luz

Faceira, 1880, de Rodolfo Bernardelli

A Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, inaugura a Exposição Uma Obra, proposta pelo Núcleo de Ação Educativa (NAE), no dia 19.06, às 11h na Pinacoteca Luz.

Buscando responder sobre quantas perguntas e respostas se desdobram a partir de uma obra de arte, o NAE pretende mostrar ao visitante que cada trabalho artístico carrega em si múltiplas possibilidades de leitura!

Uma Obra foi inteiramente concebida a partir de uma única peça do acervo: a escultura Faceira, de Rodolfo Bernardelli, criada em 1880 e cuja fundição em bronze passou a integrar a coleção da Pinacoteca em 1998.

Sobre essa escultura foram pesquisadas diversas fontes como teses, dissertações, artigos, livros, textos de críticos e estudiosos de arte da época de sua criação e de hoje em dia. Foram levantadas perguntas que o público faria frente a ela, além de poemas e músicas que têm relação com o tema da escultura. Também foram investigadas as ações de restauro e conservação realizados pela obra, além de relações com outras representações de mulheres indígenas mais contemporâneas, na arte e na mídia.

Todos esses diferentes tipos de conhecimento que se articulam a partir da obra estarão expressos nas paredes ao redor da Faceira, propiciando ao público uma experiência diversa do usual, tendo oportunidade de apreciar a escultura por caminhos distintos.

Por se tratar de uma mostra educativa e que expõe a variedade de concepções, análises e interpretações sobre a arte, a exposição contará com conteúdos acessíveis via QR CODE, como recursos de acessibilidade ao público surdo e com deficiência visual e 3 playlists musicais que permitem outras formas de fruição da obra, em diálogo com a música.

O projeto conta, ainda, com recursos educativos participativos como placas para estimular a visita em família, vídeos com depoimentos de funcionários do museu e especialistas, assim como oportunidades para que o público possa deixar suas próprias impressões sobre a escultura, que serão instalados e liberados para o uso após o aval do Plano São Paulo em combate à pandemia de Coronavírus.

Mila Chiovatto, Coordenadora do Núcleo de Ação educativa diz que “A mostra procura dar visibilidade às ações, interpretações e conexões que ocorrem a partir de uma única obra exposta. Aliás, de qualquer obra de arte! Ao revelar esses potenciais, buscamos tornar o visitante cada vez mais autônomo, garantindo sua liberdade interpretativa e subjetiva frente à arte ao mesmo tempo em que oferecemos uma teia de relações com outras interpretações, estudos e olhares”.

Compartilhar: