Tarsilinha e as Cores | Tarsilinha e as Formas | Editora Melhoramentos

Na sala de aula ou na sala de estar, as crianças adoram observar as obras de Tarsila do Amaral. Por trabalharem bastante com suas pinturas na escola, os pequenos aprendem a reconhecer e a reproduzir seus traços e personagens desde pequenos. Agora, eles podem descobrir muito mais dentro de casa com as novas aventuras de “Tarsilinha e as Cores” e “Tarsilinha e as Formas”, um relançamento da Editora Melhoramentos.

Os livros trazem páginas recheadas com obras famosas da maior artista plástica do Brasil, como Abapuru, A Cuca, Antropofagia, Caipirinha, Manacá e muitas outras. Em “Tarsilinha e as Cores”, conhecemos a beleza das cores que compõem as pinturas da artista e as comparamos com aquilo que enxergamos no nosso dia a dia. Em “Tarsilinha e as Formas”, além de ensinar as formas geométricas por meio dos elementos que compõem as pinturas, a personagem mostra como podemos usá-la para desenhar uma série de coisas, como o Sol, as casas e uma igreja.

Com ilustração de Cris Alhadeff, as duas histórias foram escritas por Patrícia Engel Secco, autora premiada pelo International Board on Books for Young People (IBBY), e Tarsilinha do Amaral, sobrinha-neta da artista e palestrante especializada em sua vida e obra.

“As pinturas de Tarsila conversam muito com o público infantil porque são alegres, coloridas e trazem bastante da infância dela. É muito legal ver as crianças mergulhando nas obras e aprendendo com elas não só na sala de aula, mas agora também com seus pais. Com esta repaginada da Editora Melhoramentos, o livro ficou ainda mais atrativo e divertido”, afirma Patrícia.

Na opinião de Tarsilinha, um dos grandes sucessos das obras de sua tia vem da conexão que ela tem com o público infantil. “Sua infância é marcante nas obras. Vemos muito do que ela viveu nas fazendas do pai, como as cores do interior, as paisagens rurais, a fauna e a flora. Na escola, as crianças aprendem sobre sua vida, que tinha 40 gatos, subia em árvore e catava maracujá. Então, achamos que seria maravilhoso trazer a própria Tarsilinha para ter esse contato com as crianças.”

A sobrinha-neta da artista conta ainda que se impressiona com o conhecimento dos pequenos sobre as pinturas. “Até os menores sabem os nomes das obras e informações que nem os pais conhecem.” A autora, que tem o mesmo nome da artista, agradece pela homenagem que seus pais fizeram. “É muito legal quando encontro as crianças e elas me confundem com a pintora. Eu acabo materializando minha tia e aproximando as crianças deste mito que foi a Tarsila. É mágico.”

Compartilhar: