Tangerina Bruno | Galeria Kogan Amaro

Capturar a fugacidade dos episódios cotidianos é o que move o duo Tangerina Bruno. Os irmãos gêmeos compartilham o encantamento pela expressividade impressa nas cenas corriqueiras que parecem dizer muito sobre a existência humana. É essa pesquisa que eles apresentam a partir de 11 de janeiro na mostra Estados Cotidianos, na Galeria Kogan Amaro.

A dupla iniciou sua carreira em 2013 em Porto Ferreira, interior de São Paulo, centralizando sua produção artística na pintura. De 2018 em diante os irmãos passaram a fazer experimentos com outras linguagens como fotografia, desenho, escultura e objeto.

Com curadoria de Ana Carolina Ralston, a exposição reúne cinco telas inéditas que trazem narrativas rotineiras do âmbito doméstico. “É possível receber as vibrações dos gestos dos personagens não só pelo que a cena nos induz, mas também ao nos debruçarmos nas micronarrativas que acontecem em detalhes da tela, pintadas em uma colcha de cama desarrumada ou num móvel que compõem a sala”, reflete Ralston.

Em Rosa dos Ventos (2019), os artistas retratam o ritual de acrescentar uma pitada de sal de maneira tão precisa que remete a um frame fotográfico ou storyboard de uma peça audiovisual. Já a tela As cores primárias são as cores do fogo (2019) convida o espectador a completar a narrativa mentalmente.

As quatro mãos e duas cabeças concebem obras que apresentam situações suspensas envoltas por mistério, memória e identificação. Um convite à imaginação que mapeia a psique humana.

Compartilhar: