Sou dos trópicos | Galeria Café

Artistas: Gabriel Nehemy • Okun • Murilo Pascoal • Bruno Café Sforcin • Mariana Zoccoli • Rodrigo Pedrosa • Isabella Pina

Para confirmar seu nome da Vernissage dia 1/9, CLIQUE AQUI

Abaixo da linha do Equador, o calor e a cor. Nascemos pulsantes, ligados à África pelo ritmo nos pés: samba, guedra, kizomba, funk. Bebemos do sol sua energia vibrante, fonte da exuberância da nossa natureza e das cores do nosso cotidiano.  A polidez do norte foi ensinada, mas não pode conter as emoções. Somos explosivos, impulsivos, calorosos, contraditórios. Nossa música fala de amar como se não houvesse amanhã, mas nossos olhos não resistem às coxas de outro alguém. Malemolentes, de andar cadente herdado de uma ancestralidade tribal, acolhemos todos os tons de negro e vermelho em nossas crenças e estórias. Se muito da arte feita hoje parece não ter raiz, aqui reunimos aquela que, exagerada, só poderia vir dos trópicos.

“Eu sei que minhas Deusas e sei que meus Monstros

sempre te parecerão sensuais e bárbaros

Eu sei que você gostaria de ver reinar em minhas mãos

a medida imutável dos elos eternos.

Você esquece que eu sou dos trópicos, e de mais longe ainda

você esquece tudo isso, que de mais longe vindo

se mistura ainda nas minhas veias,

ao sangue queimado do Astro equatorial,

o orgulho bravio do Espanhol vencido”

Trecho do poema Explicação, de Maria Martins, 1943

 

 

Artistas:

Òkun

 

Rodrigo Pedrosa

 

Gabriel Nehemy

 

Bruno Café Sforcin

 

Murilo Pascoal

 

Isabella Pina

 

Mariana Zoccoli

Compartilhar: