Rodrigo Linhares | MAC USP

O Museu de Arte Contemporânea da USP apresenta a exposição Rodrigo Linhares | Vivências por Reflexo, com mais de cem trabalhos realizados pelo artista desde meados dos anos 2000 até os dias de hoje. A curadora Adriana Dolci Palma explora o processo de formação e afirmação do artista por meio das relações que, direta ou indiretamente, ele estabeleceu com o pensamento e as obras de intelectuais e artistas vinculados à trajetória do próprio MAC USP. “As vivências reveladas em seus trabalhos – disparados e gestados por meio de suas relações com literatura, cinema, política e a própria arte, entre outras problemáticas – vem atingindo crescente amadurecimento e expressividade”, ressalta a curadora.

Rodrigo Linhares é formado em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Santa Maria (RS). Trilhando as  linguagens da arte conceitual já em seus primeiros trabalhos, sua produção é marcada pela fotografia, pela  manipulaçao de imagens digitais e pelo uso do próprio corpo na formação dessas imagens. “Procuro compor experimentações que questionam as relações entre as narrativas e os jogos de linguagem. Na prática, estas experimentações tratam de colocar em cheque a presença concreta das coisas numa tentativa de refletir sobre o papel do sujeito que vivencia a experiência a partir da experiência vivenciada pelo o outro, a experiência por reflexo”, define o artista.

Em 2018, Rodrigo Linhares apresentou uma exposição individual no Museu de Arte de Ribeirão Preto e participou da mostra coletiva [DIS]TRÓPICOS#2 na Funarte, além de ter sido indicado ao Prêmio PIPA de Artes Visuais. Nos anos anteriores recebeu o Prêmio Aquisição no 44º Salão de Arte Luiz Sacilotto (2016) e o Prêmio Aquisição no 42º Salão de Arte de Ribeirão Preto (2017). “O amadurecimento permitiu-lhe deixar apenas recentemente um processo de intensa aparição da própria imagem nas obras, para sua presença sintetizar-se na fusão integral com o mundo, seja o mundo humano, animal, científico ou das paixões”, avalia a curadora. Destaca-se, nesse contexto, uma obra inédita que Rodrigo produziu especialmente para essa mostra.

A exposição é uma das três selecionadas pelo MAC USP após chamada pública realizada no final de 2018 para exposições temporárias. O trabalho de seleção teve como parâmetros a vinculação da proposta à política de exposições do Museu, o seu ineditismo e a sua coerência conceitual. O Museu recebeu 190 propostas e selecionou três projetos, nas modalidades curadoria (Rodrigo Linhares | Vivências por Reflexo, de Adriana Dolci Palma), mostra individual (Universo Invisível, de Paulo Nenflídio) e mostra coletiva (Carma Ideológico, Grupo Empreza).

 

Compartilhar: