Rodrigo Koraicho | Centro Cultural TCU

O déficit habitacional na região metropolitana de São Paulo é de 1,8 milhão de domicílios, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Um número que desde 2011 cresce a um ritmo médio de 10% ao ano e vem aumentando a cada dia, com 1 milhão de inscritos na fila por moradia popular. Esse universo, que se repete nas grandes cidades brasileiras, é o tema da exposição “Ô Culpa”, que estará aberta virtualmente a partir do dia 3 de agosto, na galeria do Centro Cultural TCU, através do link https://tinyurl.com/oculpa.

A mostra conta com fotografias, instalações, poemas e projeção realizados pelo fotógrafo Rodrigo Koraicho, que é resultado de um processo de convivência iniciado em agosto de 2019 e que vem se desenvolvendo até o momento, fruto de uma imersão de aprendizado e troca no cotidiano, de aproximadamente 35 famílias, que perderam suas casas, ou não possuem moradias próprias e passaram a conviver debaixo de um viaduto no bairro do Bom Retiro. “Ô Culpa” vem da ambiguidade conceitual em contraponto a uma afinidade sonora que existe no cerne da palavra culpa e do verbo ocupar – ou ocupação –, lidando com uma questão social que é direito fundamental. Ser culpado de ocupar um espaço sem pertencer. Uma moradia, mas não um lar. Para estas famílias, o futuro é a incerteza de uma residência efêmera debaixo de um viaduto e o resultado, esta culpa compartilhada. Culpa de todos nós”, define Rodrigo.

A temática apresentada tem relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, da Organização das Nações Unidas, um apelo global para acabar com a pobreza, proteger o meio ambiente e o clima e garantir que todas as pessoas do planeta possam desfrutar de paz e de prosperidade. O objeto desta exposição está diretamente vinculado aos ODS 10 e 11: Redução das desigualdades e Cidades e comunidades sustentáveis.

As ações promovidas pelo Centro Cultural TCU oferecem a estudantes e ao grande público, uma oportunidade de acesso à história, à arte e a outras manifestações culturais. Tais atividades têm a aptidão e o propósito de explicar o papel do Tribunal e de aproximá-lo dos cidadãos, a quem já se dedica em sua missão institucional de aperfeiçoar a administração pública em benefício da sociedade. A exposição contará com o Programa Educativo do Centro Cultural TCU, um projeto que promove a inserção e o contato de alunos, professores e do público em geral com a arte. A iniciativa visa promover um encontro que possibilite compartilhar experiências entre arte e educação, bem como aprender a importância do papel do Tribunal de Contas da União.

Com a realização de visitas mediadas por arte-educadores e em suas demais atividades, como oficinas e workshops, o Programa Educativo do Centro Cultural TCU contribui diretamente para a visão crítica e a formação cidadã de estudantes das escolas das redes pública e privada de ensino.

Ô Culpa – 2020

A exposição é fruto de uma imersão, aprendizado e troca, durante a convivência de Rodrigo Koraicho com famílias que viviam embaixo de um viaduto no Bom Retiro sob determinadas regras, das quais se destacam a proibição do uso de drogas, o barulho em horários inadequados, a higiene nos locais compartilhados e a priorização pelo convívio harmônico, o que nem sempre é possível em meio a tantas complicações.

No dia 17 de março (pré pandemia), após terem todos os pedidos de auxílio negados pelo poder público, a Polícia Militar e os órgãos públicos competentes prosseguiram com a ação de reintegração de posse e remoção das famílias do local. Com o aviso prévio decretado pelo Batalhão da Polícia Militar oficializando a data da ação, os moradores, buscando evitar uma situação violenta de confronto, já haviam se retirado do local. A cena da demolição e os sons da destruição daquilo que foi o lar de muitas famílias e agora vinha abaixo eram chocantes diante dos olhos de quem tinha aquele lugar como seu único abrigo. “Este projeto não se propõe a oferecer respostas ou apresentar uma proposição que aponte para uma direção. O intuito deste trabalho trata de ampliar as percepções através desse campo criativo de partilha e reflexão em diálogo aberto, intensificando o intercâmbio e as experiências existenciais com aqueles que ali viveram e compartilhando este universo simbólico que se sobrepõe em tantas camadas”, define Koraicho.

Por conta da pandemia, a exposição “Ô Culpa” acontecerá somente com visitação virtual. O Programa Educativo também se adaptou e criou uma nova plataforma para que novos recursos fossem disponibilizados para as visitas mediadas, tal como textos, vídeos, áudios e até jogos que possam trabalhar o tema da exposição de uma forma mais lúdica. “As visitas mediadas são para todas as faixas etárias, desde crianças até adultos e poderão ser agendadas de segunda a domingo, em diferentes horários, através do link https://tinyurl.com/visitamediada , onde o visitante pode entrar e agendar sua visita ou escolher outro tipo de atividade disponível”, afirma Ingrid Orlandi, coordenadora do programa educativo do Centro Cultural TCU.

Compartilhar: