Ribahi | Praça do Centro Cultural dos Correios do Rio de Janeiro

A obra temporária intitulada “O Redentor”, do artista plástico mineiro Ribahi, foi construída na praça do Centro Cultural dos Correios do Rio de Janeiro. A ideia do artista é trazer para a cidade o símbolo de proteção “carioca” para mais perto das pessoas.

O artista realizou com suas próprias mãos a construção da obra em 12 dias com autorização dos Correio. Mais de 1000 tijolos foram utilizados para erguer a instalação feita come se fosse uma casa habitável. Além corpo em tijolos, foi utilizado uma caixa d’água para representar a cabeça e telhas metálicas perfuradas por balas para representar os braços. Todos os materiais são típicos das favelas brasileiras.

“A obra nasceu justamente no início da pandemia quando a minha exposição que seria inaugurada entrou em quarentena. Foi a primeira vez juntei de maneira tão forte os dois lados que convivem em mim. O artista e o engenheiro”, conta o artista Ribahi. “O Redentor em cima de uma montanha está longe demais, desceu para perto das pessoas. Agora ele está na cidade, em uma praça à beira-mar. Tão real e nu quanto uma casa de favela”, reforça o artista.

Mais sobre o artista

RIBAHI nasceu em Patrocínio, Minas Gerais, em 1965. Foi criado na fazenda da família solto e selvagem como diz o artista. Em suas andanças sozinho pelos campos sempre observou os grandes cupinzeiros. Foi nessas primeiras incursões com a experiência do barro que Ribahi se descobriu artista! Largou a engenharia, que estudou por 3 anos no Rio, para entrar em uma companhia teatral. Essa paixão pelo teatro o levou à Itália e por ali ficou. Fundou sua produtora e por 25 anos criou, dirigiu, escreveu, produziu e atuou. Mergulhou em vários campos: teatro, cinema, literatura e nas artes plásticas sintetizando todas essas experiências visuais.

Compartilhar: