Renzo Eusebi e Marcus Amaral | Centro Cultural Correios

Renzo Eusebi e Marcus Amaral abrem “Diversidade e Contaminação” exposição que conecta Brasil e Itália no Centro Cultural Correios.

Influenciada pela estética construtivista, a exposição “Diversidade e Contaminação” apresenta a riqueza artística pela multiplicidade de elementos, intersecções de técnicas, diversificação de texturas, fragmentação de elementos e profusões volumétricas. Propõe a provocação dos sentidos e percepções ao olhar do observador sobre a infinitude dos objetos e suas possibilidades cromáticas e confluências poéticas.

Nesta mostra testemunhamos a comunhão entre a abstração geométrica e a organicidade. A materialidade de natureza orgânico-industrial imprime sentidos e, nesta instigante dialética construtiva, o paradoxo ressignifica e constitui uma experiência ótica sensorial transgressora.

A mostra realizada pela Tartaglia Arte de Roma em parceria com a CRIO.ART e diversos outros parceiros, conta com a curadoria de Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez e texto crítico da exposição e do catálogo da curadora e crítica de arte de Patricia Toscano. A exposição abre no dia 04 de dezembro 2019, às 19h e fica em exibição até 26 de janeiro de 2020 no Centro Cultural dos Correios do Rio de Janeiro e conta com o apoio do Instituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro, Consulado Honorário Italiano de Santa Catarina e Círculo Ítalo Brasileiro de Santa Catarina.

“A partir da observação crítica, é possível apontar uma prática artística mútua que se contamina na fronteira de suas órbitas culturais e universos artísticos distintos, permitindo que a unimultiplicidade de elementos e experienciais sejam os condutores da pluralidade poética. Logo, a contaminação discute seus limites, sentidos e força transformadora. Levando em conta o poder que a arte exerce sobre as integrações humanas, é apresentada uma dualidade que consubstancia e converge na singularidade de seus discursos de interioridade.

Diante de uma bela contaminação poética de diversificados elementos plásticos aqui ressignificados pela adição, acumulação e costura de cores, formas, texturas, reflexões e sentimentos que nos deslocam de um lugar comum, instaurando novas histórias visuais, percorremos surpreendentes experiências perceptivas. Eusebi e Amaral nos convidam à fruição de suas vivências sensíveis e suas múltiplas possibilidades compositivas geram novos e marcantes campos sensoriais para a plenitude do olhar.” diz Patricia Toscano curadora e crítica de arte.

Compartilhar: