Renan Marcondes | Centro Cultural Correios São Paulo

No dia 15 de outubro, o Centro Cultural Correios de São Paulo inaugura a exposição “Pinóquio”, nova individual de Renan Marcondes. Com curadoria de Julia Lima, a mostra reúne objetos usados pelo artista de performance em diferentes momentos de sua carreira, entre eles um arco-e-flecha para vestir, uma escada que se prende à cabeça e sapatos de salto tão altos que impedem que o usuário fique de pé.

Os objetos são apresentados em suportes de diferentes formas e alturas, simulando suas posições quando usados pelo artista e servindo como uma extensão de seu corpo. A representação através da madeira continua com uma marionete com as feições de Renan, criada pelo titereteiro argentino Matias Arce, em um autorretrato que faz o caminho inverso do boneco que queria ser gente.

Na entrada do espaço ainda há uma série de telas inspiradas pela história original de Pinóquio, muito mais sombria do que a versão popularizada pelos estúdios Disney, trazendo frases retiradas do livro, como “Por causa dessa paixão idiota de estudar perdi ambos os olhos”. Os quadros serão destruídos pelo artista em uma performance no dia da abertura da exposição.

O artista faz uma alusão ao distanciamento exigido pela pandemia e à impossibilidade do contato próximo entre artista e público, elemento fundamental para a performance. Os objetos em exibição e as intervenções que faz sobre eles são a forma que encontra para se fazer presente no espaço.

“Pinóquio” fica aberta ao público até o dia 3 de dezembro, com entrada gratuita. Haverá limitação no número máximo de visitantes na sala e o uso de máscara é obrigatório.

Marionete criada pelo titereteiro Matias Arce, com as feições de Renan Marcondes | FOTO: Renan Marcondes.

Compartilhar: