Renan Marcondes | Casa de Cultura do Parque

Renan Marcondes, Protetor de Proximidade Humana para Valsa, 2016

Investigando há anos o estatuto político do visível e do invisível, o artista Renan Marcondes vem produzindo um trabalho que se desdobra em diferentes mídias, do desenho à dança, e da instalação à performance. A mesma pesquisa também se apresenta em vídeos produzidos em diferentes ocasiões e contextos. Uma amostra dessa produção videográfica poderá ser vista na exposição virtual Ensaio para uma cidadania mundana: vídeos de Renan Marcondes, a partir de 9 de junho no site e YouTube da Casa de Cultura do Parque.

Com curadoria do pesquisador e professor Ruy Luduvice, a exposição apresenta quatro vídeos desenvolvidos ao longo dos últimos cinco anos, além de uma estreia. São eles: Protetor de Proximidade Humana para Valsa (2016), Protetor de Proximidade Humana para Beijo (2017), Projeto Invisível – Estação 2: Palestras para coisas e objetos (2017), Intervalo (da série Teatro) (2018) e Orquestra (da série Teatro) (2018).

Tendo em comum o esforço de desalienação tanto do trabalho artístico quanto da subjetividade dos espectadores, exploram as subterrâneas políticas do visível que tem formatado a nossa imaginação nos últimos anos e as suas consequências para a formação dos laços sociais na contemporaneidade.

A estreia, Projeto Invisível – Estação 2: Palestras para coisas e objetos (2017) discute a generalização da performance e seu espraiamento por todos os campos e confins da sociabilidade e da psique humana. O artista trabalha com o nonsense e a ironia a fim de buscar por um ponto de fuga possível das prisões impostas por identidades que desejam monopolizar o que significa ser humano. O lançamento do video ocorre no dia 8 de julho, no site e YouTube da Casa.

“Dar a ver pode significar esconder. Pode haver assepsia no sujar-se, assim como é possível dar a sensação de presença apartando-se o máximo possível, pois ter “Lugar” (Locus) não é o mesmo que ter “Mundo” (Mundus). É sobre esse terreno pantanoso – no limite, um jogo de vida e morte – que os vídeos reunidos nessa mostra se movem. Exigentes quanto à atenção do espectador, o conduz com gentileza, convidando-o a ser mundano.”, reflete Ruy Luduvice.

Na ocasião da abertura, a Casa de Cultura do Parque promove, às 19h, uma mesa de conversa online, via Facebook e YouTube. Marcondes e Luduvice convidam o curador Diego Matos para o debate. Juntos, eles abordam as obras de Ensaio para uma cidadania mundana e abrem espaço para participação do público.

Compartilhar: