Reinaldo Eckenberger | Caixa Cultural Rio

Depois de passar pela CAIXA Cultural Salvador, a mostra Reinaldo Eckenberger – Uma Poética do Excesso chega ao Rio de Janeiro no início de 2017 para celebrar os 50 anos da trajetória no Brasil do multiartista argentino radicado na Bahia. A exposição traz um panorama das diversas fases e linguagens de Eckenberger, com curadoria da jornalista e mestre em artes visuais Luciana Accioly e do poeta e editor Claudius Portugal. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.
Pensada como uma grande instalação que esbanja criatividade, a mostra traz mais de 500 itens, como assemblages, bonecos de panos, estofados e objetos híbridos, entre outras obras de arte, ligadas pelo conceito do excesso. Tanto na poética quanto na carreira de Reinaldo Eckenberger, o excesso é um princípio definitivo que opera em todas as fases, linguagens e suportes utilizados pelo artista. Assim, a montagem da exposição aposta no acúmulo exagerado de obras, de forma a traduzir as idéias de desmesura e desmando.
As diferentes fases de sua obra não são organizadamente dispostas. Convivendo no mesmo espaço, linguagens, técnicas, suportes e materiais distintos estão integrados. Os objetos híbridos são acumulados em suportes diversos, como uma mesa de jantar e um tabuleiro de xadrez com lajotas brancas e pretas.
“Cenas de sexo oral, carícias íntimas, perversão, além do fetiche por elementos como o pênis, a língua em riste, o nariz em forma de falo e os olhos expressivos são recorrentes nos desenhos, pinturas, gravuras, cerâmicas, objetos e trabalhos em tecido de Eckenberger”, diz Luciana Accioly, que obteve mestrado em artes visuais na Universidade Federal da Bahia (UFBA) com a dissertação A Poética de Trapos de Reinaldo Eckenberger.
No primeiro dia de visitação (4 de janeiro), a mostra promove um bate-papo com o artista e a curadora Luciana Accioly, às 15h, no Cinema 2 do espaço. Em seguida, às 16h, Reinaldo e a curadora realizam visita guiada à exposição.

Compartilhar: