Paulo Otavio | Andrea Rehder Arte Contemporânea

Após dois anos da sua individual na mesma galeria, o escultor apresenta cerca de 20 novas peças. São esculturas geométricas – de aço carbono – a partir do círculo, a forma primordial.

Objetos em movimento circular geram energia. Uma obra que, mesmo em repouso, sugere movimento, tem a potencialidade de energia. Existe algo nessas obras prestes a ser emitido. Está ali, contida, e se expande ao olhar e à sensibilidade do espectador. Portanto, a interação com o espectador não se dá pelo manuseio das peças, mas como exercício sensorial, de percepcão das energias emanadas.

Compartilhar: