Patricia Gouvêa | Murilo Castro Galeria

Em sua primeira exposição individual na Galeria Murilo Castro, a artista visual carioca Patricia Gouvêa apresenta Sobrevida, série desenvolvida desde 2017 com trabalhos em fotografia, video, objetos e textos, fruto de uma pesquisa in-progress sobre a resistência da natureza, tanto em locais ditos “preservados”, quanto nas pequenas frestas das cidades onde – apesar do cimento – teimam em operar pequenos milagres. 

Com texto assinado pelo físico Luiz Alberto Oliveira, curador geral do Museu do Amanhã, os trabalhos que integram a série foram realizados em 2017 na Amazônia, na Reserva Adolpho Ducke do INPA (Instituto Nacional de Pesquisas Amazônicas) durante a residência artística LABVERDE, e no Parque Nacional de Anavilhanas, ambos no Amazonas; em 2018 nas cidades de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Fort Lauderdale (EUA) e em 2019 novos trabalhos feitos no Deserto do Atacama (Chile), Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (Goiás) e Brumadinho (Minas Gerais) integram a montagem na Galeria Murilo Castro. A artista também redescobriu imagens em seu arquivo que foram incorporadas à série, como as que foram feitas em 2007 em Siem Riep, no Cambodja.

“Este trabalho busca relacionar situações onde a natureza mostra-se como estranhamento, resistência, resiliência, domesticação e poder”, diz a artista. 

 

Compartilhar: