Nonotak Studio | Farol Santander

O Farol Santander abre sua primeira exposição de arte imersiva em 2020. “GIGANTAS – uma experiência por Nonotak Studio” é obra do duo franco-japonês Nonotak Studio com curadoria de Antonio Curti.

Apresentada pelo Ministério da Cidadania, com patrocínio do Santander, a mostra dialoga com as novas mídias e o que há de mais inovador na arte digital. Desenvolvida exclusivamente para o Farol Santander de Porto Alegre, a chamada obra-performance Gigantas V.1 transforma o imenso hall do edifício em um ambiente imersivo para os visitantes, a partir da combinação de três itens: valorização da arquitetura; inovação tecnológica e experiência imersiva.

“Instigar pessoas e conectar arte, arquitetura, tecnologia e experiência imersiva é a tônica do Farol Santander Porto Alegre para abrir o calendário de exposições em 2020.  Com essa mostra, buscamos dar luz a projetos artísticos que usam a tecnologia não apenas como uma maneira de criar experiências imersivas acessíveis a todos os públicos, mas também como uma forma de iluminar os caminhos para a arte do amanhã”, afirma Patrícia Audi, vice-presidente de Comunicação, Marketing, Sustentabilidade e Relações Institucionais do Santander.

O Nonotak Studio, projeto franco-japonês colaborativo de instalação e performance fundado em 2011 pelo artista visual Noemi Schipfer e pelo arquiteto-músico Takami Nakamoto, trabalha com instalações de luz, som e peças de performance para criar ambientes etéreos e imersivos, pensados para envolver, desafiar e surpreender o espectador. O duo é mundialmente reconhecido por suas performances ao vivo como a realizada no icônico Kiyomizudera Temple em Kyoto (Japão).

Para a instalação Gigantas V.1 a ser exposta no Farol Santander, uma das maiores já produzidas pelo Nonotak Studio, foram utilizados elementos como luzes de LED e sonorização 7.1, além de placas DMX e de áudio. A trilha sonora própria tem programação por meio do Ableton Live; já para a parte visual, o duo utiliza o programa TouchDesigner.

O curador classifica o trabalho como uma “obra-performance” que atua para transformar um extenso ambiente em uma experiência de imersão e interação, expandindo os sentidos dos visitantes. Outro ponto de destaque é a contextualização do passado e do contemporâneo, do analógico com o digital e do físico com o virtual, a partir da ocupação de um espaço construído nos anos 30, com tecnologias atuais.

A exposição ainda conta com dois vídeos complementares: Do Físico ao Digital: Transformação é um making off do processo de montagem e programação da instalação; e Nonotak Studio: O Legado é um vídeo de entrevistas com os artistas e o curador Antonio Curti, sobre a mostra e os demais trabalhados já realizados pelo duo. Os filmes serão exibidos nas salas anexas ao átrio principal.

Essa é a primeira vez que o Nonotak Studio apresenta seu trabalho em Porto Alegre. Anteriormente e também com curadoria de Antonio Curti, o duo exibiu a mostra Dimensão, na Japan House, em São Paulo.

Compartilhar: