MUSEUL*RA | Galeria Millan

Galeria Millan tem o prazer de apresentar, de 28 de agosto a 25 de setembro de 2021, SOMA, primeira exposição da dupla MUSEUL*RA, formada pelos artistas Rodrigo Andrade e Link Museu. A mostra, com curadoria do espanhol Angel Calvo Ulloa, reúne trabalhos inéditos, incluindo pinturas e instalações, produzidas a partir do encontro¬ singular de duas figuras históricas nas artes institucionais e urbanas.

A materialidade da tinta e referências sobre a história da pintura permeiam o trabalho de Rodrigo Andrade (1962, São Paulo, SP), desde a década de 1980. O artista produziu, nesses primeiros anos, trabalhos em grandes formatos alinhados à estética do neoexpressionismo. Na década seguinte, alternou trabalhos figurativos e abstratos e, a partir de 1999, passou a criar obras em que espessas massas de tinta a óleo, em formas geométricas, são aplicadas sobre a tela

Andrade instalou ainda suas pinturas em espaços públicos de São Paulo, como o Lanches Alvorada (2001), e é nesse contato com esses entornos que reside sua potência: na permeabilidade entre a concentração e a contenção dos elementos presentes nos trabalhos do artista e nos ambientes nos quais foram instalados.

Do outro lado, Link Museu (Diego Jesus Bezerra, 1986, São Paulo, SP), artista urbano e poeta, há 20 anos vem fixando o emblema MUSEU (criado em 1989) em paredes de construções de todas as regiões da cidade de São Paulo. O desenho e a pixação prevalecem como uma experimentação ininterrupta na vida do artista, que incorporou e transformou os moldes da linguagem do pixo na paisagem urbana da cidade.

De estudos com papéis colados nas paredes do quarto, até os desdobramentos da aplicação da tinta nos muros, o trabalho de Link Museu instiga e cria tensão nos olhares passageiros nas ruas para uma estética urbana que narra sua própria história. Levando a frente do pixo coletivo MUSEU, foi pioneiro ao reinventar novas maneiras de grafar a palavra, passando pela original pixação, e outras técnicas, como o grapixo, a instalação e a pintura a óleo.

O encontro de Andrade e Link Museu ocorreu em fins de 2019. A base para o acontecimento foi o sarau Luau dos Loucos, espaço de efervescência criativa na Cidade Tiradentes (bairro situado no extremo leste da cidade) criado por Link e outros moradores locais a fim de vivenciarem a poesia e a arte de maneira festiva e cotidiana. Já nesse ano, a dupla produziu e exibiu obras na Galeria Reocupa, no bairro da Bela Vista, e realizou eventos de pintura, incluindo a Cohab Fazenda do Carmo, em dezembro.

Em paralelo, se desenvolvia também diversas ações de outro projeto coletivo que contribuiu para a aproximação de ambos os artistas: o ALI (Arte Livre Itinerante), que foi criado em fim de 2018 diante do cenário político tensionado no país, com intuito de explorar a potência proveniente da junção entre artistas do centro e artistas da periferia, sobretudo da Cidade Tiradentes.

Atualmente o grupo é formado, além de Andrade e Link Museu, pelos artistas Ana Prata, André Komatsu, Ding Musa, Leandro Muniz, Lucia Koch, Marcelo Zocchio, Marta Nehring, Sara Ramo, Evandro Cesar, Tom Guerra, Nathalia Aguilera, Sindy Paloma, William Ferreira, Faemyna, Leticia Caroline, Laura Melo, Lucas Lins, Yandra Lalleska, Ana Kia, Cleber Big, Euller de Carvalho, Lua Porto, Danilo Lago, Hiago Bezerra, Iasmin dos Santos, Thiago Thibor, Isabel Barboza, Malcom Rodrigues, entre vários outros.

A partir da fértil e ativa colaboração entre o Luau dos Loucos e o ALI, além do Instituto du Gueto, desponta também o Ateliê Um Bom Lugar, que se consolidou como um dos principais espaços de atuação do ALI. Para o curador espanhol Angel Calvo Ulloa — que assina a curadoria da exposição na Galeria Millan — a atuação do ALI prova-se como exemplo de “uma preocupação coletiva em lançar luz sobre as formas de agir artística e politicamente no dia-a-dia”.

Segundo Andrade, o grupo “é um projeto de sociedade que nasce da cooperação entre artistas de classes sociais diferentes e que se realiza como elaboração simbólica. A minha dupla com Link se mostra quase como a prova cabal de que este conceito deu certo: nós nascemos justamente dessa soma”.

 

Compartilhar: