Museu do Pontal – Programação Educativa 6 e 7 de novembro de 2021

O Museu do Pontal, referência internacional em arte popular brasileira, apresenta em sua nova sede o conjunto de seis exposições inéditas “Novos ares: Pontal reinventado”, com um espaço de brincadeiras populares, um jogo interativo de danças brasileiras e obras de arte manipuláveis. Em torno da exposição central estão cinco outras exposições nucleares, temporárias, focadas na diversidade da produção artística do país. Além disso, aos sábados e domingos há uma extensa programação gratuita dedicada ao público infantil. As inscrições são gratuitas, feitas na recepção, e nas atividades com capacidade limitada vale o critério de ordem de chegada.

Em dois horários nos fins de semana, os arte-educadores do Museu do Pontal estimulam a criançada a conhecerem o Baú de Brinquedos Populares. Nesta iniciativa inédita, o público infantil brincará com ioiôs, bilboquês, petecas, piões, fantoches, elásticos e cordas para pular, giz para riscar amarelinha e bambolês. As esculturas vistas nas exposições, especialmente no setor Brincares – brincadeiras e brincantes, enfocam várias dessas brincadeiras, e esta atividade promove este contato lúdico ao ar livre, na grande Praça-Jardim, na parte frontal do Museu. Em caso de chuva, a atividade acontece na Sala Multiuso.

PROGRAMAÇÃO EDUCATIVA 6 e 7 de NOVEMBRO

Com coordenação da arte-educadora Cecília Einsfeld, a programação deste fim de semana, em torno de uma hora de duração por cada atividade, é a seguinte:

 

  • SÁBADO, DIA 6 DE NOVEMBRO

10h – Sensibilização com barro. Faixa etária – Bebês a partir de 18 meses.

Coordenada por Daniela Mello, pedagoga especialista em educação infantil, a atividade usa a argila como linguagem expressiva é impulso de vida, “pois carrega com ela toda uma ancestralidade: é terra!” Ao brincar com o barro, entramos em contato, simbolicamente, com a existência, com fenômenos e ciclos da natureza – da secura a lama.

 

10h30 e 16h30 – Visita Musicada pela Arte e Cultura Popular Brasileira, com os arte-educadores Beatriz Bessa e Pedro Cavalcante, com duração aproximada de 1h30, classificação livre. As visitas musicadas foram criadas para atender a uma demanda do público que quer conhecer mais profundamente a arte popular do Brasil. Os roteiros são adaptados às diferentes faixas etárias, e alguns temas podem ser priorizados durante a visita, de acordo com a solicitação do público. São visitas lúdicas, que mexem com a memória afetiva dos visitantes, em que são utilizados diferentes instrumentos musicais que tocam ritmos tipicamente brasileiros como samba, forró, coco, jongo, maracatu, ciranda e capoeira, entre outros, sempre de acordo com o tema abordado no acervo. Além da música, outras linguagens como o teatro de bonecos, o cordel, a “contação” de histórias, desafios, trovas e versos são também utilizadas tornando esta experiência única, dinâmica e participativa. Durante a visita, os participantes são estimulados a refletirem sobre a diversidade cultural brasileira, as relações entre o mundo do campo e o das grandes cidades, os processos migratórios, as diferentes profissões, as práticas sociais, as relações familiares, as festividades, a espiritualidade e, ainda, sobre questões próprias ao universo das artes plásticas, os processos criativos dos artistas e os materiais que utilizam para fazer suas esculturas.

 

11h30 e 15h – Baú de Brinquedos, classificação livre.

Os arte-educadores do Museu do Pontal estimulam a criançada a conhecerem o Baú de Brinquedos Populares. Nesta iniciativa inédita, o público infantil brincará com ioiôs, bilboquês, petecas, piões, fantoches, elásticos e cordas para pular, giz para riscar amarelinha e bambolês. As esculturas vistas nas exposições, especialmente no setor Brincares – brincadeiras e brincantes, enfocam várias dessas brincadeiras, e esta atividade promove um contato lúdico ao ar livre, na grande Praça-Jardim, na parte frontal do Museu. Em caso de chuva, a atividade acontece na Sala Multiuso.

 

15h – Oficina de Estandarte Carioca. Faixa etária – livre.

Desde a Antiguidade, bandeiras, flâmulas e estandartes são utilizados para representar uma família, uma comunidade, e carregam em cada retalho, em cada fita, o orgulho de um povo, suas crenças e tradições. Nesta oficina, a costureira e arte-educadora Martha Loureiro convida os participantes a resgatarem memórias e a criar um símbolo individual utilizando retalhos de tecidos, rendas, fitas e botões descartados por confecções.

 

  • DOMINGO, DIA 7 de NOVEMBRO

10h30 e 16h30 – Visita Musicada pela Arte e Cultura Popular Brasileira, com os arte-educadores Beatriz Bessa e Pedro Cavalcante, com duração aproximada de 1h30, classificação livre. As visitas musicadas foram criadas para atender a uma demanda do público que querconhecer mais profundamente a arte popular do Brasil. Os roteiros são adaptados às diferentes faixas etárias, e alguns temas podem ser priorizados durante a visita, de acordo com a solicitação do público. São visitas lúdicas, que mexem com a memória afetiva dos visitantes, em que são utilizados diferentes instrumentos musicais que tocam ritmos tipicamente brasileiros como samba, forró, coco, jongo, maracatu, ciranda e capoeira, entre outros, sempre de acordo com o tema abordado no acervo. Além da música, outras linguagens como o teatro de bonecos, o cordel, a “contação” de histórias, desafios, trovas e versos são também utilizadas tornando esta experiência única, dinâmica e participativa. Durante a visita, os participantes são estimulados a refletirem sobre a diversidade cultural brasileira, as relações entre o mundo do campo e o das grandes cidades, os processos migratórios, as diferentes profissões, as práticas sociais, as relações familiares, as festividades, a espiritualidade e, ainda, sobre questões próprias ao universo das artes plásticas, os processos criativos dos artistas e os materiais que utilizam para fazer suas esculturas.

 

11h30 e 15h – Baú de Brinquedos, classificação livre.

Os arte-educadores do Museu do Pontal estimulam a criançada a conhecerem o Baú de Brinquedos Populares. Nesta iniciativa inédita, o público infantil brincará com ioiôs, bilboquês, petecas, piões, fantoches, elásticos e cordas para pular, giz para riscar amarelinha e bambolês. As esculturas vistas nas exposições, especialmente no setor Brincares – brincadeiras e brincantes, enfocam várias dessas brincadeiras, e esta atividade promove este contato lúdico ao ar livre, na grande Praça-Jardim, na parte frontal do Museu. Em caso de chuva, a atividade acontece na Sala Multiuso.

 

15h – Oficina de Fazer Pipa
O mecânico Max da Fonseca Cardoso aprendeu a confeccionar pipa quando ainda tinha seis anos. Apaixonado por pipas, representou o Brasil em festivais internacionais de pipas artísticas e tornou-se bicampeão mundial, vencendo competições na França e na Índia. Nesta oficina, ele vai ensinar as crianças a fazer e empinar pipas com segurança.

 

Compartilhar: