Monica Barki | Galeria Maria de Lourdes Mendes de Almeida

A exposição “Síndrome da Paixão”, que tem curadoria de Luiza Interlenghi, é composta por 26 obras entre desenhos, litografias, fotografias, colagens, uma vídeo-performance, uma pintura e um gif.

Observações contundentes sobre o que une os casais, parceiros desiguais que se atraem e, por vezes, se enfrentam, estão no centro da mostra. Monica Barki ilumina modos de dominação, entrega ou fuga que desafiam a suposta harmonia de cada encontro, sejam as uniões tradicionais ou as provisórias e marginais. Traça um arco poético, que liga a série inédita de desenhos dedicada ao Shibari (significa ‘atar’ em japonês e tem origem na técnica dos antigos) a pinturas, gravuras, desenhos, vídeos e performances realizados desde 1981. Examina a potência e as variações do corpo feminino e sua contraparte, para além dos padrões vigentes de beleza e sedução – corpos que pesam, lutam, se agigantam ou flutuam amarrados nas cordas do Shibari.

No dia 11 de dezembro, quarta-feira, às 19h, terá conversa aberta ao público, na exposição, com a artista Monica Barki, com a curadora Luiza Interlenghi e com o critico de arte Paulo Sergio Duarte.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar: