Masumi Yamaguchi – “Masumi – A pintura e a cidade” | Galeria Patricia Costa

Pontos de encontro ou de partida, as esquinas têm muito a dizer. Inspirada nos cruzamentos do Leblon, bairro onde vive, a japonesa Masumi Yamaguchi apresenta a exposição “Masumi – A pintura e a cidade”. Acostumada a pintar as pessoas e suas expressões, a artista se dedica às cenas urbanas pela primeira vez desde 1972, ano em que chegou ao Brasil.
Na mostra, com curadoria de Luiza Interlenghi, estão reunidas nove pinturas inéditas, em grandes dimensões, todas produzidas entre 2015 e 2016. Em toda a série, que marca a volta da artista à galeria depois de três anos sem expor, as fortes linhas que atravessam os quadros são desestabilizadas por falhas que aludem ao tempo dos que por ali passaram. As faixas de pedestres, as bolas de ferro, os rebaixamentos do meio-fio e até o branco e preto do calçadão da praia chamam a atenção.
“As esquinas são pontos de interrupção e de interseção onde se cruzam o espaço e o tempo. Com seus silêncios ilusórios e ruídos penetrantes sustentam a dimensão infinita do outro lado, que jamais podemos alcançar”, resume Masumi. “Busquei referências na minha experiência diária, mas podem ser cruzamentos de qualquer lugar. Espaços reais ou que ficam na memória”, completa.
Cada trabalho é uma construção sensível de esquinas aparentemente desabitadas, porém, atravessadas por diversas temporalidades. A artista fotografa os cruzamentos e seus ângulos e depois dá vida aos trabalhos com tinta sobre tela. “Masumi traz à tona elementos da paisagem urbana que com o tempo deixam de ser percebidos em suas minúcias. Presenças que se perdem entre tantos registros visuais da cidade são resgatados da indiferença e invisibilidade, no limiar entre observação e ficção”, diz a curadora.

Compartilhar: