livro Latinamerica, 2020 | Gabriela Noujaim | Fundação Calouste Gulbenkian – Lisboa Portugal

Gabriela Noujaim, Livro Latinamerica, 2020 | FOTO: Rafael Adorján

Sessão de apresentação do livro Latinamerica, 2020, da artista brasileira Gabriela Noujaim. O livro, uma caixa-experiência em edição limitada, contém serigrafias em vários suportes e textos. Resultou de um trabalho, iniciado em abril de 2020, com mulheres de várias regiões do Brasil e diversas áreas de atividade.

Sobre o projeto, a artista diz que “o impacto negativo da pandemia nas mulheres se tornou algo latente, revelando questões extremamente urgentes na América Latina, principalmente pelas condições precárias de trabalhos informais – cuidadoras e trabalhadoras domésticas, por exemplo, além do aumento da violência contra a mulher, somado aos casos de mortes pelo vírus entre indígenas e demais mulheres em situação de vulnerabilidade”.

A apresentação será feita por Leonor Veiga, curadora, investigadora e professora na Faculdade de Belas-Artes de Lisboa. Durante a sessão irá ser exibido o vídeo Mulheres Latinamericas 2020 (3′ 33″), realizado no contexto do trabalho do livro de artista. Um exemplar da obra será oferecido à coleção da Biblioteca de Arte. Em permanente crescimento, esta coleção da Biblioteca de Arte tem um âmbito internacional. Porém, o maior número de exemplares que a integram é da autoria de artistas portugueses ou estrangeiros residentes em Portugal, de gerações várias, refletindo a criação artística nacional a partir da década de 1960.

A relação dos artistas com o livro é tão antiga como o próprio livro. Não raras vezes o «livro» é apenas um referente conceitual usado como suporte dum projeto artístico específico, não reduzido a papel e tinta, mas incorporando todos os tipos de materiais que o artista desejar utilizar. Nesta coleção, que inclui livros de “edição independente” – por vezes, a fronteira que os separa dos livros de artista é muito tênue -, encontram-se tanto obras únicas como múltiplos, de formatos e tamanhos diversos: livros impressos em offset, em digital ou com caracteres tipográficos móveis; livros inteiramente produzidos manualmente ou nos quais o artista teve uma intervenção direta na sua impressão; livros com tiragens que podem ser centenas de exemplares ou de apenas uma dezena, ou ainda edições especiais, acompanhadas de desenhos e/ou pinturas originais, gravuras e/ou serigrafias.

Compartilhar: